Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 16 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Se eu perdesse a minha verdade, não sobraria nada de mim no jogo', diz Juliette



05/05/2021 | 18:20


A final do Big Brother Brasil 21 desta terça-feira, 4, consagrou Juliette Freire como vencedora. A maquiadora, que é fenômeno nas redes sociais, onde já acumula mais de 24 milhões de seguidores, venceu o reality show da Globo com a marca de 90,15% dos votos.

Camilla de Lucas ficou em segundo lugar na competição, com 5,23% da preferência do público, seguida pelo cantor Fiuk, que conquistou a terceira colocação, com 4,62% dos votos.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 5, os três finalistas falaram sobre os principais desafios e polêmicas do reality e revelaram quais são os planos futuros, depois de toda repercussão do programa.

"Eu me sentia feia, burra, inocente e a única coisa que eu ainda tinha era a minha verdade. Se eu perdesse aquilo, não sobraria mais nada de mim no jogo. Eu não tinha escolha, tive que continuar apegada na fé que eu tinha nas pessoas", disse Juliette sobre a exclusão e conflitos que viveu no BBB.

Apesar do sentimento de solidão em alguns momentos, a paraibana atribui a sua vitória justamente a superação dessas dificuldades no convívio com outros participantes. Para ela, isso fez com que o público tivesse um sentimento de identificação e empatia mais intenso.

"As pessoas querem ver coisas reais, estamos cansados do mais do mesmo. O que aconteceu comigo fez todos se identificarem e entenderem que ninguém é perfeito. Cada coisa que eu vivi lá, uma pessoa aqui fora se identificava de alguma forma. Me sinto muito honrada em ter doado a minha história e minha vida pra ajudar tantas pessoas", explicou.

Ainda sobre sua resiliência no jogo, a campeã ressaltou que se inspirou na força das mulheres nordestinas, principalmente na sua mãe, a dona Fátima.

"Minha mãe sempre foi minha base, ela viveu coisas horríveis e, assim como eu, sempre se manteve muito inocente e forte, ensinando para mim e meus irmãos muitas virtudes. A mulher nordestina em si é a força, luta e resistência em meio a tantas adversidades", afirmou.

As redes sociais

A vencedora do BBB 21 também revelou que se surpreendeu com o número de seguidores na internet e com a equipe de 18 pessoas que estava administrando seu perfil.

"Eu tenho uma amiga, a Deborah, que sempre me apoiou em tudo. Quando eu vim para cá, não tinha a pretensão de estourar nas redes sociais. Deixei apenas as minhas senhas e disse: 'faça o que quiser, você me conhece melhor do que eu mesma e confio em você'", explicou Juliette.

"Mas, quando me disseram que eu tinha uma equipe desse tamanho, só perguntei: 'quem está pagando todo esse povo?'. Eu ainda não sei como tudo está funcionando, sei que tem outros amigos administrando, mas pretendo entender melhor como lidar com tudo isso", completou.

Carreira

Diversos momentos da campeã cantando na casa viralizaram nas redes sociais, porém a sister explicou que não pretende seguir a carreira musical como profissão. "Eu cantava ali para fugir do caos, do que eu estava sentindo e para relaxar, mas não tenho a pretensão de seguir carreira. Eu só estou me achando que o povo disse que sou artista", brincou ela.

Sobre a carreira de advogada, Juliette explicou que tinha o sonho de ser delegada, porém, depois da exposição do programa, ela não pretende dar continuidade nesse plano.

"A carreira jurídica requer um afastamento necessário. Agora, as pessoas já me viram de todas as formas possíveis. O que quero no momento é só cuidar da saúde da minha mãe e deixar minha família confortável financeiramente. Mas, o que eu puder fazer pra ajudar a cultura nordestina, eu vou doar minha vida e visibilidade", contou.

Camilla de Lucas

A segunda colocada do BBB 21, Camilla de Lucas, revelou que saiu do reality com novos aprendizados, que serão levados para o resto da vida. "Eu trouxe uma confiança que eu não sabia que eu tinha. Eu me achava muito influenciável, mas, lá dentro do jogo, eu consegui bater o martelo. Sei que, em alguns momentos, errei, mas a minha confiança foi o que me fez ir até o segundo lugar."

Conhecida por seus vídeos de comédia nas redes sociais, a influenciadora contou que o público esperava que ela seria sempre engraçada, porém o convívio com os outros brothers também foi um desafio para ela.

"Eu cheguei ali achando que minha vida ia ser piscina, hidromassagem, academia e alguns barracos, mas logo me deparei com grandes pautas dentro do programa. Então, devido às discussões que envolviam assuntos muito sérios, eu não conseguia brincar e me sentia angustiada. Eu não estava sempre feliz, a pressão do jogo me deixou mais séria", explicou ela.

Pauta racial e cancelamento

Camilla lembrou a situação de racismo que seu amigo de confinamento, João Luiz, viveu - quando seu cabelo foi comparado ao de um homem das cavernas por Rodolffo.

"Aquilo me doeu muito, porque, por muito tempo, eu sofri para aceitar o meu cabelo do jeito que ele é, justamente por comentários como o do Rodolffo. As pessoas sempre zombam do cabelo crespo. E eu senti na pele, porque o meu cabelo é igual ao do João e compartilhamos muitas dores juntos", disse ela.

Porém, a sister explicou que não concorda com os cancelamentos nas redes sociais. Para ela, é importante que as pessoas reconheçam o erro e simplesmente não repitam. "Não acho que o cancelamento deva ser da forma como tem sido, envolvendo o trabalho e psicológico das pessoas. Cabe aos internautas pontuar os erros e não sair massacrando as pessoas que erraram."

Carreira: Camilla vai apostar na atuação

Sobre os planos para o futuro, a influenciadora contou que pretende fazer um curso de teatro. "Conversei com a minha equipe e sei que já recebi algumas propostas interessantes, mas pretendo também fazer um curso de teatro. Isso porque os meus vídeos que viralizaram tinham um pouco de atuação e eu quero me aprimorar".

Fiuk

O terceiro colocado, Fiuk, explicou que a experiência do BBB 21 foi essencial para que ele desenvolvesse mais segurança em si. "Eu finalmente tive coragem de ser eu sou, me dei o direito de ser imperfeito. Sempre escondi minha depressão e meu DDA (Distúrbio de Déficit de Atenção), por conta das pressões das redes sociais. Eu também nunca tinha postado foto fumando por exemplo, não gosto disso em mim. Mas, o programa foi uma experiência transformadora", explicou.

Questões Financeiras

No reality, o cantor expôs que estava passando por dificuldades financeiras e, nas redes sociais, logo começaram a surgir boatos de que seu pai, Fábio Jr., lhe dava mesada. Fiuk negou as especulações, porém confirmou que a pandemia impactou na sua vida profissional.

"Eu não tenho vergonha de dizer que para nós, da classe artística, a pandemia foi muito complicada, assim como foi para todo mundo. Mas, quando comentei isso no programa, eu exagerei no discurso, porque, quando você se vê tão perto do prêmio, bate o desespero", brincou.

"Sou emancipado e, desde os 16 anos, ninguém me paga nada. Eu imaginei que fossem inventar algumas coisas de que o filho do Fábio Jr. é mimado, mas não tenho vergonha da minha trajetória", explicou.

Carreira

Fiuk promete novas músicas e já tem convite pra atuar

Sobre sua carreira de cantor e ator, Fiuk explicou que pretende dar continuidade nos projetos artísticos. "Eu entendi quem sou de verdade e cantar e atuar são coisas que estão em mim e vou seguir. Saí do programa com muito gás. Com certeza vem muitas músicas e já tem um projeto de atuação engatilhado", contou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;