Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Tarifa da usina de Itaipu vai cair em 2022 com fim da dívida, diz diretor-geral



05/05/2021 | 15:44


Com a quitação do pagamento da dívida da construção da usina hidrelétrica binacional de Itaipu, prevista para 2023, a previsão é de que a haja redução da tarifa de energia da hidrelétrica para todos os consumidores já a partir do próximo ano, informou o diretor-geral do lado brasileiro da usina, general João Francisco Ferreira, que assumiu o cargo no lugar do atual presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna.

Para este ano, segundo fontes próximas ao assunto, o impacto nas contas de luz seria da ordem de R$ 4 bilhões, e a partir de 2023, de R$ 10 bilhões por ano.

A dívida corresponde a quase 70% dos custos da empresa, sem qualquer relação com a parte da tarifa responsável pelo custeio da usina e pelo financiamento de projetos atuais e futuros.

"Agora, vamos trabalhar junto com o governo federal para que, já no ano que vem, possamos ter uma redução significativa na tarifa de Itaipu. A partir de 2023, quando as dívidas de construção estiverem zeradas, a redução na tarifa, todos os anos, será ainda maior. E isso, mantendo todos os investimentos atuais e futuros da Itaipu", reforçou o general em nota.

Segundo ele, a Copel, que também tem uma cota de Itaipu, vai ter as tarifas reduzidas.

Nesta quarta-feira, Itaipu completa 37 anos de geração de energia, acumulando uma produção de quase 2,8 bilhões de megawatts-hora (MWh), a contar de 5 de maio de 1984, quando começou a operar.

"Toda essa energia seria suficiente para iluminar o mundo inteiro por 45 dias. Nenhuma outra usina do mundo produziu tanta energia limpa e renovável quanto Itaipu", informou o militar.

A usina é responsável por quase 15% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e por 90% do consumo paraguaio de eletricidade.

"Com a redução na tarifa de Itaipu, o Brasil e o Paraguai poderão atrair mais investimentos e abrir frentes de trabalho para nossa gente", afirmou o diretor-geral.

Ele destacou ainda que a queda da tarifa, além de ser uma compensação efetiva para quem pagou pela construção dessa obra gigantesca, será importante para a retomada da economia em meio à pandemia de covid-19.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;