Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Financiador da Superliga, banco JPMorgan reconhece que avaliou mal a competição



23/04/2021 | 08:22


O banco americano JPMorgan reconheceu, nesta sexta-feira, que avaliou mal a Superliga Europeia, uma competição polêmica que acabou suspensa depois de vários clubes desistirem. "Nós claramente avaliamos mal como o acordo seria visto pela comunidade futebolística no geral e como poderia ter impacto no futuro. Vamos aprender com isso", informou em um comunicado oficial.

O JPMorgan era um dos financiadores da competição entre os grandes clubes da Europa, em um valor aproximado de 4 bilhões de euros (cerca de R$ 26 bilhões na cotação atual). O incentivo à criação da Superliga, além de irritar os amantes do futebol, também afetou os investidores: desde o final de semana passado, as ações do banco caíram mais de 5% (de US$ 85, cerca de R$ 464, para US$ 80, perto de R$ 436).

O anúncio da Superliga Europeia aconteceu no último domingo, mas não sobreviveu mais de 48 horas, com várias críticas desde governos até a Uefa, Fifa, federações nacionais e torcedores. Perante as críticas, Manchester City, Liverpool, Arsenal, Manchester United, Tottenham e Chelsea iniciaram a debandada do projeto na última terça-feira, seguindo-se já na quarta por Atlético de Madrid e Internazionale.

Milan e Juventus já reconheceram a necessidade de avaliar o projeto, enquanto que o Barcelona diz que sua permanência depende da aprovação dos sócios. O Real Madrid é o único dos 12 clubes fundadores da competição que ainda não emitiu uma posição oficial sobre o tema.

O "sonho" liderado pelo presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, juntou 12 dos principais clubes de Inglaterra, Espanha e Itália, tendo em vista a criação de uma competição anual com 20 equipes, na mesma época em que Uefa revelou um novo formato, com mais times, da Liga dos Campeões da Europa a partir da temporada 2024/2025.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Financiador da Superliga, banco JPMorgan reconhece que avaliou mal a competição


23/04/2021 | 08:22


O banco americano JPMorgan reconheceu, nesta sexta-feira, que avaliou mal a Superliga Europeia, uma competição polêmica que acabou suspensa depois de vários clubes desistirem. "Nós claramente avaliamos mal como o acordo seria visto pela comunidade futebolística no geral e como poderia ter impacto no futuro. Vamos aprender com isso", informou em um comunicado oficial.

O JPMorgan era um dos financiadores da competição entre os grandes clubes da Europa, em um valor aproximado de 4 bilhões de euros (cerca de R$ 26 bilhões na cotação atual). O incentivo à criação da Superliga, além de irritar os amantes do futebol, também afetou os investidores: desde o final de semana passado, as ações do banco caíram mais de 5% (de US$ 85, cerca de R$ 464, para US$ 80, perto de R$ 436).

O anúncio da Superliga Europeia aconteceu no último domingo, mas não sobreviveu mais de 48 horas, com várias críticas desde governos até a Uefa, Fifa, federações nacionais e torcedores. Perante as críticas, Manchester City, Liverpool, Arsenal, Manchester United, Tottenham e Chelsea iniciaram a debandada do projeto na última terça-feira, seguindo-se já na quarta por Atlético de Madrid e Internazionale.

Milan e Juventus já reconheceram a necessidade de avaliar o projeto, enquanto que o Barcelona diz que sua permanência depende da aprovação dos sócios. O Real Madrid é o único dos 12 clubes fundadores da competição que ainda não emitiu uma posição oficial sobre o tema.

O "sonho" liderado pelo presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, juntou 12 dos principais clubes de Inglaterra, Espanha e Itália, tendo em vista a criação de uma competição anual com 20 equipes, na mesma época em que Uefa revelou um novo formato, com mais times, da Liga dos Campeões da Europa a partir da temporada 2024/2025.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;