Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Inea reverte interdição de Terminal da Vale feita por secretaria de Mangaratiba



22/04/2021 | 16:45


O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) reverteu a interdição do Terminal da Ilha da Guaíba (TIG), da Vale, realizada na manhã de hoje. Segundo a autoridade ambiental fluminense, a suspensão das atividades foi feita irregularmente pela secretaria de Meio Ambiente de Mangaratiba. O Inea afirma que a companhia tem licença ambiental válida e em fase de renovação, solicitada dentro do prazo legal.

O órgão ambiental estadual classifica a ação da secretaria de "arbitrária e irresponsável", já que cabe ao Inea licenciar e fiscalizar a operação.

Segundo a nota, a lei prevê a competência dos demais entes para realizar interdição cautelar no caso de iminência ou ocorrência de flagrante degradação ambiental, o que não foi o caso.

O Inea destaca que, em nenhuma de suas vistorias no local, foi constatado cenário de dano ambiental que ensejasse medidas extremas como a interdição. A última vistoria ocorreu em setembro de 2020.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inea reverte interdição de Terminal da Vale feita por secretaria de Mangaratiba


22/04/2021 | 16:45


O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) reverteu a interdição do Terminal da Ilha da Guaíba (TIG), da Vale, realizada na manhã de hoje. Segundo a autoridade ambiental fluminense, a suspensão das atividades foi feita irregularmente pela secretaria de Meio Ambiente de Mangaratiba. O Inea afirma que a companhia tem licença ambiental válida e em fase de renovação, solicitada dentro do prazo legal.

O órgão ambiental estadual classifica a ação da secretaria de "arbitrária e irresponsável", já que cabe ao Inea licenciar e fiscalizar a operação.

Segundo a nota, a lei prevê a competência dos demais entes para realizar interdição cautelar no caso de iminência ou ocorrência de flagrante degradação ambiental, o que não foi o caso.

O Inea destaca que, em nenhuma de suas vistorias no local, foi constatado cenário de dano ambiental que ensejasse medidas extremas como a interdição. A última vistoria ocorreu em setembro de 2020.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;