Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Empresários de fretamento protestam para adiar pagamentos a BNDES e bancos

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


20/04/2021 | 14:55


Empresários do setor de fretamento de ônibus fazem nesta terça-feira, 20, manifestação em mais de dez capitais do Brasil com cerca de 600 ônibus para pedir a prorrogação do prazo para o pagamento das mensalidades de seus veículos financiados junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e bancos privados por um período de 12 meses.

Batizado de "Fretadores pela Liberdade", que em fevereiro lançou em Brasília a campanha "Fretado é Legal", os protestos estão programados para Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, entre outras, segundo os organizadores.

"O setor, fortemente atingido pela pandemia e a consequente queda de circulação e de público, é responsável pela geração de 180 mil empregos diretos e indiretos e movimenta mais de 50 mil ônibus pelo Brasil. A categoria está ameaçada pela redução e cancelamentos das viagens de turismo, em razão da pandemia", disse a organização em nota.

Desde o início de março, representantes do Movimento têm feito diversas articulações junto ao Ministério da Economia e a bancos no intuito de tentar a negociação.

"As empresas tiveram vários contratos fixos cancelados, além de observar as viagens de turismo sendo drasticamente reduzidas. As poucas viagens que restaram estão sendo impedidas por decretos e medidas restritivas", informou Marcelo Nunes, empresário do setor de fretamento e um dos líderes do Movimento Fretadores pela Liberdade.

De acordo com Nunes, vários estados e municípios brasileiros proibiram a entrada de turistas, como Caldas Novas (GO), Salvador (BA), Porto Seguro (BA), Cabo Frio (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Aparecida (SP), entre outras.

Nunes acredita que a prorrogação do prazo para pagar os financiamentos traria fôlego aos empresários do Turismo e do Fretamento.

Neste atual momento de conjuntura, há milhares de ônibus no Brasil financiados pelo BNDES com suas parcelas atrasadas. Sofremos com constantes apreensões. Veículos estão sendo leiloados.", afirmou Nunes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Empresários de fretamento protestam para adiar pagamentos a BNDES e bancos


20/04/2021 | 14:55


Empresários do setor de fretamento de ônibus fazem nesta terça-feira, 20, manifestação em mais de dez capitais do Brasil com cerca de 600 ônibus para pedir a prorrogação do prazo para o pagamento das mensalidades de seus veículos financiados junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e bancos privados por um período de 12 meses.

Batizado de "Fretadores pela Liberdade", que em fevereiro lançou em Brasília a campanha "Fretado é Legal", os protestos estão programados para Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, entre outras, segundo os organizadores.

"O setor, fortemente atingido pela pandemia e a consequente queda de circulação e de público, é responsável pela geração de 180 mil empregos diretos e indiretos e movimenta mais de 50 mil ônibus pelo Brasil. A categoria está ameaçada pela redução e cancelamentos das viagens de turismo, em razão da pandemia", disse a organização em nota.

Desde o início de março, representantes do Movimento têm feito diversas articulações junto ao Ministério da Economia e a bancos no intuito de tentar a negociação.

"As empresas tiveram vários contratos fixos cancelados, além de observar as viagens de turismo sendo drasticamente reduzidas. As poucas viagens que restaram estão sendo impedidas por decretos e medidas restritivas", informou Marcelo Nunes, empresário do setor de fretamento e um dos líderes do Movimento Fretadores pela Liberdade.

De acordo com Nunes, vários estados e municípios brasileiros proibiram a entrada de turistas, como Caldas Novas (GO), Salvador (BA), Porto Seguro (BA), Cabo Frio (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Aparecida (SP), entre outras.

Nunes acredita que a prorrogação do prazo para pagar os financiamentos traria fôlego aos empresários do Turismo e do Fretamento.

Neste atual momento de conjuntura, há milhares de ônibus no Brasil financiados pelo BNDES com suas parcelas atrasadas. Sofremos com constantes apreensões. Veículos estão sendo leiloados.", afirmou Nunes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;