Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Amigo íntimo de Rainha Elizabeth II morreu no mesmo dia do funeral de príncipe Philip



20/04/2021 | 12:11


Os últimos dias parecem ter sido realmente difíceis para a Rainha Elizabeth II. Depois de perder o marido, o príncipe Philip, que morreu no dia 9 de abril, e enterrá-lo no último sábado, dia 17, o Daily Mail conta que a monarca também teve que se despedir de um amigo próximo - que morreu no exato dia do funeral do Duque de Edimburgo.

De acordo com o veículo, o amigo em questão era Sir Michael Oswald, ex-gerente do Haras Real que aconselhou tanto a rainha quanto sua mãe, Elizabeth - popularmente conhecida como Rainha Mãe -, em seus interesses em corridas de cavalo.

Michael tinha 86 anos de idade e lutava há algum tempo contra uma doença que não foi especificada. Sir Michael trabalhou para a Rainha Mãe de 1970 até a morte dela, em 2002, e em 2003 já passou a aconselhar a própria Rainha Elizabeth II, sendo inclusive nomeado Cavaleiro da Grã-Cruz da Ordem Real Vitoriana na lista de Honras de Ano Novo de 2020.

Ao longo dos anos, ele foi frequentemente retratado ao lado da rainha em diversas corridas - e também chamou a atenção quando, em 2016, Kate Middleton fez sua estreia na famosa pista de corridas Royal Ascot, sendo fotografada conversando com o especialista.

O Daily Mail ainda informa que a viúva de Michael, Lady Angela - que também foi dama de companhia da Rainha Mãe durante muitos anos -, emitiu uma declaração na qual comentava sobre o trabalho do marido servindo a família real:

Ele sempre disse que tinha o emprego mais maravilhoso que alguém poderia ter e que durante toda a sua vida profissional ele estava simplesmente fazendo o que teria feito se fosse um homem rico que não precisasse trabalhar.

Outra declaração obtida pelo veículo foi a de Nicky Henderson, um treinador de cavalos de salto da família real, que conta a relação íntima que a rainha nutria com o funcionário de décadas, relatando que Sir Michael poderia ir a qualquer lugar do país apenas para ver os cavalos reais correrem:

A rainha uma vez me disse que tínhamos que impedir que Michael viajasse por todo o país. Eu observei com muito respeito que ela era a única que poderia fazer isso.

O treinador ainda conta uma ocasião engraçada envolvendo calças de bronze que foram definidas como troféus de uma corrida, e que foram levadas por Sir Michael diretamente para o palácio real, servindo como um prêmio para o príncipe Philip:

Eles [os prêmios] estavam dispostos sobre a mesa, prontos para as apresentações, quando de repente perceberam que dar à rainha um par de calças de bronze pode ser considerado impróprio, então removeram aquele troféu em particular e o substituíram por um vaso. Sir Michael deixou bem claro que queria as calças, não o vaso, e anunciou que as levaria direto para o Castelo de Windsor. Na manhã seguinte, falei com a rainha, que disse que o duque de Edimburgo ficou muito satisfeito com o prêmio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Amigo íntimo de Rainha Elizabeth II morreu no mesmo dia do funeral de príncipe Philip


20/04/2021 | 12:11


Os últimos dias parecem ter sido realmente difíceis para a Rainha Elizabeth II. Depois de perder o marido, o príncipe Philip, que morreu no dia 9 de abril, e enterrá-lo no último sábado, dia 17, o Daily Mail conta que a monarca também teve que se despedir de um amigo próximo - que morreu no exato dia do funeral do Duque de Edimburgo.

De acordo com o veículo, o amigo em questão era Sir Michael Oswald, ex-gerente do Haras Real que aconselhou tanto a rainha quanto sua mãe, Elizabeth - popularmente conhecida como Rainha Mãe -, em seus interesses em corridas de cavalo.

Michael tinha 86 anos de idade e lutava há algum tempo contra uma doença que não foi especificada. Sir Michael trabalhou para a Rainha Mãe de 1970 até a morte dela, em 2002, e em 2003 já passou a aconselhar a própria Rainha Elizabeth II, sendo inclusive nomeado Cavaleiro da Grã-Cruz da Ordem Real Vitoriana na lista de Honras de Ano Novo de 2020.

Ao longo dos anos, ele foi frequentemente retratado ao lado da rainha em diversas corridas - e também chamou a atenção quando, em 2016, Kate Middleton fez sua estreia na famosa pista de corridas Royal Ascot, sendo fotografada conversando com o especialista.

O Daily Mail ainda informa que a viúva de Michael, Lady Angela - que também foi dama de companhia da Rainha Mãe durante muitos anos -, emitiu uma declaração na qual comentava sobre o trabalho do marido servindo a família real:

Ele sempre disse que tinha o emprego mais maravilhoso que alguém poderia ter e que durante toda a sua vida profissional ele estava simplesmente fazendo o que teria feito se fosse um homem rico que não precisasse trabalhar.

Outra declaração obtida pelo veículo foi a de Nicky Henderson, um treinador de cavalos de salto da família real, que conta a relação íntima que a rainha nutria com o funcionário de décadas, relatando que Sir Michael poderia ir a qualquer lugar do país apenas para ver os cavalos reais correrem:

A rainha uma vez me disse que tínhamos que impedir que Michael viajasse por todo o país. Eu observei com muito respeito que ela era a única que poderia fazer isso.

O treinador ainda conta uma ocasião engraçada envolvendo calças de bronze que foram definidas como troféus de uma corrida, e que foram levadas por Sir Michael diretamente para o palácio real, servindo como um prêmio para o príncipe Philip:

Eles [os prêmios] estavam dispostos sobre a mesa, prontos para as apresentações, quando de repente perceberam que dar à rainha um par de calças de bronze pode ser considerado impróprio, então removeram aquele troféu em particular e o substituíram por um vaso. Sir Michael deixou bem claro que queria as calças, não o vaso, e anunciou que as levaria direto para o Castelo de Windsor. Na manhã seguinte, falei com a rainha, que disse que o duque de Edimburgo ficou muito satisfeito com o prêmio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;