Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Motoristas de Diadema
relatam falta de pagamento

Trabalhadores de empresa terceirizada pela Prefeitura afirmam que salários estão atrasados


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

20/04/2021 | 00:01


Mais de um mês após a paralisação que deixou os pacientes de hemodiálise de Diadema sem transporte, os motoristas contratados pela empresa que presta serviço para a Prefeitura, a Hiplan Construções e Serviços de Manutenção Urbana Ltda, afirmam que os pagamentos continuam atrasados. Segundo as denúncias, motoristas comissionados também não estão recebendo os salários de maneira integral.

Um trabalhador, que pediu para não ser identificado, afirmou que, além da falta de pagamentos para a empresa contratada – que por sua vez não está repassando para os motoristas –, a Prefeitura de Diadema também não realiza o pagamento dos postos de combustíveis conveniados, onde os motoristas podem abastecer os carros antes de cumprir os itinerários. “Se preciso abastecer R$ 40 para cumprir o roteiro, só posso colocar R$ 15”, relatou.

A categoria realizou paralisação em 5 de março. Na ocasião, a Prefeitura informou que estava regularizando o contrato com a empresa, que encerrou em 31 de dezembro, e prorrogando os prazos para efetuar os pagamentos devidamente e “que a maioria dos débitos é referente à gestão anterior e que a situação já havia sido normalizada”.

De acordo com os motoristas, foi realizado pagamento parcial, mas que a Prefeitura continuou atrasando os repasses e/ou realizando quitação de valores inferiores aos devidos. “Estão pagando cerca de um terço dos salários. Também tiraram as atividades que os comissionados faziam e que, às vezes, rendiam hora extra e passaram para terceirizados, mas não estão pagando”, completou outro trabalhador, que também pediu para não ser identificado.

Questionada, a Prefeitura informou que a Secretaria Municipal da Saúde não possui contrato direto com os motoristas e, sim, com a empresa de serviços de transportes, que tem débitos significativos do exercício anterior. Neste ano, o último pagamento foi efetuado ontem. Quanto ao vencimento de motoristas comissionados, a administração alegou que não procede a informação. A Prefeitura não respondeu sobre os problemas de abastecimento nos postos de combustível credenciados. O Diário entrou em contato com representante da Hiplan, mas não obteve resposta.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Motoristas de Diadema
relatam falta de pagamento

Trabalhadores de empresa terceirizada pela Prefeitura afirmam que salários estão atrasados

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

20/04/2021 | 00:01


Mais de um mês após a paralisação que deixou os pacientes de hemodiálise de Diadema sem transporte, os motoristas contratados pela empresa que presta serviço para a Prefeitura, a Hiplan Construções e Serviços de Manutenção Urbana Ltda, afirmam que os pagamentos continuam atrasados. Segundo as denúncias, motoristas comissionados também não estão recebendo os salários de maneira integral.

Um trabalhador, que pediu para não ser identificado, afirmou que, além da falta de pagamentos para a empresa contratada – que por sua vez não está repassando para os motoristas –, a Prefeitura de Diadema também não realiza o pagamento dos postos de combustíveis conveniados, onde os motoristas podem abastecer os carros antes de cumprir os itinerários. “Se preciso abastecer R$ 40 para cumprir o roteiro, só posso colocar R$ 15”, relatou.

A categoria realizou paralisação em 5 de março. Na ocasião, a Prefeitura informou que estava regularizando o contrato com a empresa, que encerrou em 31 de dezembro, e prorrogando os prazos para efetuar os pagamentos devidamente e “que a maioria dos débitos é referente à gestão anterior e que a situação já havia sido normalizada”.

De acordo com os motoristas, foi realizado pagamento parcial, mas que a Prefeitura continuou atrasando os repasses e/ou realizando quitação de valores inferiores aos devidos. “Estão pagando cerca de um terço dos salários. Também tiraram as atividades que os comissionados faziam e que, às vezes, rendiam hora extra e passaram para terceirizados, mas não estão pagando”, completou outro trabalhador, que também pediu para não ser identificado.

Questionada, a Prefeitura informou que a Secretaria Municipal da Saúde não possui contrato direto com os motoristas e, sim, com a empresa de serviços de transportes, que tem débitos significativos do exercício anterior. Neste ano, o último pagamento foi efetuado ontem. Quanto ao vencimento de motoristas comissionados, a administração alegou que não procede a informação. A Prefeitura não respondeu sobre os problemas de abastecimento nos postos de combustível credenciados. O Diário entrou em contato com representante da Hiplan, mas não obteve resposta.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;