Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

França quer diálogo mas apoia sanções à Rússia por 'comportamento inaceitável'



18/04/2021 | 09:38


O presidente da França, Emmanuel Macron, defendeu que outros países mantenham diálogo com a Rússia, mas também apoiou sanções contra o país em caso de "comportamento inaceitável", citando como exemplo a invasão russa à Ucrânia, foco de renovadas tensões e retaliações recentes entre Washington e Moscou.

A declaração foi dada durante entrevista à CBS, em trecho veiculado neste domingo no site da emissora americana. Macron argumentou que os contatos com Moscou são importantes para melhorar, por exemplo, o sistema global em termos de controle de armas. "Precisamos de um diálogo aberto e franco" com o país, afirmou.

Por outro lado, também defendeu as sanções, quando necessárias. "Temos de ter limites claros com a Rússia", disse ele. "As sanções são parte do pacote" para lidar com os russos, considerou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

França quer diálogo mas apoia sanções à Rússia por 'comportamento inaceitável'


18/04/2021 | 09:38


O presidente da França, Emmanuel Macron, defendeu que outros países mantenham diálogo com a Rússia, mas também apoiou sanções contra o país em caso de "comportamento inaceitável", citando como exemplo a invasão russa à Ucrânia, foco de renovadas tensões e retaliações recentes entre Washington e Moscou.

A declaração foi dada durante entrevista à CBS, em trecho veiculado neste domingo no site da emissora americana. Macron argumentou que os contatos com Moscou são importantes para melhorar, por exemplo, o sistema global em termos de controle de armas. "Precisamos de um diálogo aberto e franco" com o país, afirmou.

Por outro lado, também defendeu as sanções, quando necessárias. "Temos de ter limites claros com a Rússia", disse ele. "As sanções são parte do pacote" para lidar com os russos, considerou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;