Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Crianças vacinadas por engano retornam à UBS para realizar exame de detecção de anticorpos

Daniel Tossato/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Os menores receberam dose de Coronavac, por engano, ao invés de do imunizante contra a gripe


Daniel Tossato

17/04/2021 | 10:24


Atualizada às 11h55

As cinco crianças que receberam dose da Coronavac, por engano, ao invés do imunizante contra a influenza (gripe), retornaram hoje pela manhã à UBS Nações, em Diadema, para realizar exames de detecção de anticorpos para a Covid-19

Com atendimento marcado para as 9h, os pais, junto das crianças, chegaram ainda antes do horário marcado, tamanha era a apreensão com a situação. Convocados ontem pela secretaria de Saúde, os pais não foram informados quais seriam os procedimentos realizados. As crianças têm de 7 meses a 4 anos.

Conforme Eduardo Jackson Gomes, um dos pais das crianças, as enfermeiras realizaram coleta de sangue dos pequenos com intuito de descobrir se eles estão carregando anticorpos para o vírus da Covid-19. O resultado da análise deverá sair dentro de uma semana.

“Eles fizeram exame para detectar anticorpos da Covid na criança e pediram para aguardar. Falaram que poderemos ser chamados para realizar um novo exame mais para frente, possivelmente na próxima semana. Eles querem ver se não há algum tipo de coagulação no sangue, também”, declarou Gomes, pai da pequena Manuela Almeida Gomes, de 4 anos. “Estamos vivendo um dia após o outro”, afirmou. O pai avaliou que o quadro de saúde da filha é “normal”, apesar de notar um aumento da sonolência e de coceira na pele. “Mas ela já tem um quadro de dermatite (espécie de alergia).”

O Diário buscou contato com os profissionais da UBS para que explicassem os exames realizados hoje no equipamento de saúde, mas uma das enfermeiras decidiu não se manifestar.

Os pais demonstravam visível preocupação com a situação e principalmente com as crianças. Como Fabiana Lima, mãe de Liz Bernardes da Silva, de apenas 7 meses.
“Claro que há preocupação. A enfermeira errou de maneira grave. Agora estamos aqui, sem dormir, sem saber o que pode acontecer”, afirmou.

A prefeitura informou que as crianças serão acompanhadas pelos próximos 42 dias e garantiu que processo administrativo para apuração dos fatos foi aberto. A administração municipal afirma que afastou as funcionárias envolvidas.

Ao Diário, por meio de nota, a Prefeitura de Diadema alegou que, por orientação técnica da Divisão de Imunização do Centro de Vigilência Epidemiológica do Estado de São Paulo, hoje foi realizada coleta de sangue de quatro das cinco crianças vacinadas por engano. Uma as famlílias solicitou que a coleta fosse realizada na próxima semana. O procedimento, ainda segundo a gestão, tem objetivo de contribuir no monitoramento dos vacinados. Outras duas coletas deverão ser realizadas no período previsto de acompanhamento entre 15 e 30 dias. Os resultados das amostras serão revelados quando estiverem prontos, mas a Administração não informou uma data. A secretária de Saúde de Diadema também reforçou o compromisso de dar a assistência necessária às crianças.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Crianças vacinadas por engano retornam à UBS para realizar exame de detecção de anticorpos

Os menores receberam dose de Coronavac, por engano, ao invés de do imunizante contra a gripe

Daniel Tossato

17/04/2021 | 10:24


Atualizada às 11h55

As cinco crianças que receberam dose da Coronavac, por engano, ao invés do imunizante contra a influenza (gripe), retornaram hoje pela manhã à UBS Nações, em Diadema, para realizar exames de detecção de anticorpos para a Covid-19

Com atendimento marcado para as 9h, os pais, junto das crianças, chegaram ainda antes do horário marcado, tamanha era a apreensão com a situação. Convocados ontem pela secretaria de Saúde, os pais não foram informados quais seriam os procedimentos realizados. As crianças têm de 7 meses a 4 anos.

Conforme Eduardo Jackson Gomes, um dos pais das crianças, as enfermeiras realizaram coleta de sangue dos pequenos com intuito de descobrir se eles estão carregando anticorpos para o vírus da Covid-19. O resultado da análise deverá sair dentro de uma semana.

“Eles fizeram exame para detectar anticorpos da Covid na criança e pediram para aguardar. Falaram que poderemos ser chamados para realizar um novo exame mais para frente, possivelmente na próxima semana. Eles querem ver se não há algum tipo de coagulação no sangue, também”, declarou Gomes, pai da pequena Manuela Almeida Gomes, de 4 anos. “Estamos vivendo um dia após o outro”, afirmou. O pai avaliou que o quadro de saúde da filha é “normal”, apesar de notar um aumento da sonolência e de coceira na pele. “Mas ela já tem um quadro de dermatite (espécie de alergia).”

O Diário buscou contato com os profissionais da UBS para que explicassem os exames realizados hoje no equipamento de saúde, mas uma das enfermeiras decidiu não se manifestar.

Os pais demonstravam visível preocupação com a situação e principalmente com as crianças. Como Fabiana Lima, mãe de Liz Bernardes da Silva, de apenas 7 meses.
“Claro que há preocupação. A enfermeira errou de maneira grave. Agora estamos aqui, sem dormir, sem saber o que pode acontecer”, afirmou.

A prefeitura informou que as crianças serão acompanhadas pelos próximos 42 dias e garantiu que processo administrativo para apuração dos fatos foi aberto. A administração municipal afirma que afastou as funcionárias envolvidas.

Ao Diário, por meio de nota, a Prefeitura de Diadema alegou que, por orientação técnica da Divisão de Imunização do Centro de Vigilência Epidemiológica do Estado de São Paulo, hoje foi realizada coleta de sangue de quatro das cinco crianças vacinadas por engano. Uma as famlílias solicitou que a coleta fosse realizada na próxima semana. O procedimento, ainda segundo a gestão, tem objetivo de contribuir no monitoramento dos vacinados. Outras duas coletas deverão ser realizadas no período previsto de acompanhamento entre 15 e 30 dias. Os resultados das amostras serão revelados quando estiverem prontos, mas a Administração não informou uma data. A secretária de Saúde de Diadema também reforçou o compromisso de dar a assistência necessária às crianças.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;