Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Fernanda Lima fala sobre casamento em meio à pandemia e revela sobre vestido: Comprado há 18 anos



16/04/2021 | 13:11


Fernanda Lima contou na estreia do programa Bem Juntinhos, do GNT, que o casamento com Rodrigo Hilbert aconteceu em um meio a um momento de muita dor em sua vida. Os dois, que estão há mais de 19 anos juntos, resolveram selar a união em plena pandemia do coronavírus em 2020, com uma cerimônia bem íntima na capela que Rodrigo construiu.

- O nosso foi um mini micro casamento. A gente se casou durante a pandemia, tinham três amigos nossos, os nossos filhos e uns funcionários que moram lá no sitio e estavam ali com a gente e me ajudaram a preparar a surpresa pro Rodrigo, disse a beldade, que organizou a cerimônia no dia do aniversário do apresentador.

Mesmo em luto por causa da morte do pai, vítima da Covid-19, Fernanda decidiu que era o momento de celebrar o amor com o companheiro.

- Naquele contexto de pandemia foi muito sofrido, eu perdi meu pai. Foi muita dor, a gente chorou muito, as crianças. E ai um dia eu me peguei pensando: Bom, eu preciso louvar o que eu tenho porque o que eu perdi eu perdi. Então a gente precisa celebrar o hoje, o que a gente tem. Então mesmo com muita dor, mesmo sem a minha mãe e a minha sogra eu resolvi organizar essa surpresa, explicou.

Outro detalhe bastante interessante que chamou a atenção do casamento foi o vestido usado por ela, que foi comprado anos atrás:

- Eu fui fazer um trabalho em Buenos Aires, eu estava naquela feirinha de Santelmo, e eu achei o vestido. Na época eu era bem hippie, daí eu olhei o vestido e pensei: putz, eu vou comprar esse vestido para um dia casar com o Rodrigo. Eu só não imaginava que 18 anos depois eu fosse usar aquele vestido!, relembrou a modelo.

Antes da exibição do episódio mostrando o casamento, Fernanda desabafou sobre o momento em que o programa foi tomando forma:

Esse programa foi criado e gravado em meio à uma pandemia respeitando todos os protocolos de saúde .Ele foi criado num momento muito triste da minha vida. Nasceu meses depois que eu perdi o meu pai para Covid-19. Durante o meu luto eu me perguntava, como continuar? Amamentava minha caçula, me agarrava a ela mas também assistia aos noticiários e com isso percebi que a vida sempre pode piorar. Outras famílias viviam seus lutos, mas muitas delas sequer podiam sentar e chorar. A panela vazia, a falta de emprego, o choro das crianças não permitem o luto .Nesse triste momento, percebi mais uma vez meus privilégios. Por vezes até me senti constrangida de sofrer e chorar, mas a vida seguiu, a vida segue. Comecei a pensar como eu poderia compartilhar um pouco do que aprendi e do que eu vinha fazendo para me manter sã. Fiz pequenos vídeos de respiração, falei sobre meditação e yoga. Também ouvi e aprendi mais sobre maternidade, alimentação, e assim fui me nutrindo. Foi desse sentimento que brotou o Bem juntinhos. Ele surgiu de uma necessidade de dar e receber afeto, surgiu da saudade de um abraço. Daqui a cinco minutos ele vai estrear. E as coisas no Brasil pioraram. A vacina não chega a tempo de salvar todas as vidas, três crianças seguem desaparecidas na Baixada, no Rio de Janeiro, os hospitais ainda estão muito lotados. Muitas ações precisam ser tomadas a tempo para o pais caminhar .Esperamos que Bem juntinhos seja uma pausa, uma suspensão, um descanso momentâneo, um respiro pra gente continuar lutando pela vida. Tomara que vocês gostem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fernanda Lima fala sobre casamento em meio à pandemia e revela sobre vestido: Comprado há 18 anos


16/04/2021 | 13:11


Fernanda Lima contou na estreia do programa Bem Juntinhos, do GNT, que o casamento com Rodrigo Hilbert aconteceu em um meio a um momento de muita dor em sua vida. Os dois, que estão há mais de 19 anos juntos, resolveram selar a união em plena pandemia do coronavírus em 2020, com uma cerimônia bem íntima na capela que Rodrigo construiu.

- O nosso foi um mini micro casamento. A gente se casou durante a pandemia, tinham três amigos nossos, os nossos filhos e uns funcionários que moram lá no sitio e estavam ali com a gente e me ajudaram a preparar a surpresa pro Rodrigo, disse a beldade, que organizou a cerimônia no dia do aniversário do apresentador.

Mesmo em luto por causa da morte do pai, vítima da Covid-19, Fernanda decidiu que era o momento de celebrar o amor com o companheiro.

- Naquele contexto de pandemia foi muito sofrido, eu perdi meu pai. Foi muita dor, a gente chorou muito, as crianças. E ai um dia eu me peguei pensando: Bom, eu preciso louvar o que eu tenho porque o que eu perdi eu perdi. Então a gente precisa celebrar o hoje, o que a gente tem. Então mesmo com muita dor, mesmo sem a minha mãe e a minha sogra eu resolvi organizar essa surpresa, explicou.

Outro detalhe bastante interessante que chamou a atenção do casamento foi o vestido usado por ela, que foi comprado anos atrás:

- Eu fui fazer um trabalho em Buenos Aires, eu estava naquela feirinha de Santelmo, e eu achei o vestido. Na época eu era bem hippie, daí eu olhei o vestido e pensei: putz, eu vou comprar esse vestido para um dia casar com o Rodrigo. Eu só não imaginava que 18 anos depois eu fosse usar aquele vestido!, relembrou a modelo.

Antes da exibição do episódio mostrando o casamento, Fernanda desabafou sobre o momento em que o programa foi tomando forma:

Esse programa foi criado e gravado em meio à uma pandemia respeitando todos os protocolos de saúde .Ele foi criado num momento muito triste da minha vida. Nasceu meses depois que eu perdi o meu pai para Covid-19. Durante o meu luto eu me perguntava, como continuar? Amamentava minha caçula, me agarrava a ela mas também assistia aos noticiários e com isso percebi que a vida sempre pode piorar. Outras famílias viviam seus lutos, mas muitas delas sequer podiam sentar e chorar. A panela vazia, a falta de emprego, o choro das crianças não permitem o luto .Nesse triste momento, percebi mais uma vez meus privilégios. Por vezes até me senti constrangida de sofrer e chorar, mas a vida seguiu, a vida segue. Comecei a pensar como eu poderia compartilhar um pouco do que aprendi e do que eu vinha fazendo para me manter sã. Fiz pequenos vídeos de respiração, falei sobre meditação e yoga. Também ouvi e aprendi mais sobre maternidade, alimentação, e assim fui me nutrindo. Foi desse sentimento que brotou o Bem juntinhos. Ele surgiu de uma necessidade de dar e receber afeto, surgiu da saudade de um abraço. Daqui a cinco minutos ele vai estrear. E as coisas no Brasil pioraram. A vacina não chega a tempo de salvar todas as vidas, três crianças seguem desaparecidas na Baixada, no Rio de Janeiro, os hospitais ainda estão muito lotados. Muitas ações precisam ser tomadas a tempo para o pais caminhar .Esperamos que Bem juntinhos seja uma pausa, uma suspensão, um descanso momentâneo, um respiro pra gente continuar lutando pela vida. Tomara que vocês gostem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;