Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Carreata pela reabertura do comércio reúne 80 veículos em S.Bernardo

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Protesto foi do Riacho Grande ao Paço, onde buzinaço defendeu que o setor não é responsável pelo aumento de casos de Covid


Do Diário do Grande ABC

15/04/2021 | 18:47


Aproximadamente 80 veículos se reuniram no fim da tarde desta quinta-feira (15) para protestar pedindo a reabertura do comércio em São Bernardo. Comerciantes e funcionário se encontraram por volta das 15h no Riacho Grande e partiram em carreata até o Paço, onde fizeram buzinaço e tocaram os hinos nacional e municipal. A ação teve apoio da Riacho Grande Associação Comercial Independente.

Os manifestantes defendem que a categoria não é responsável pelo aumento dos casos e mortes de Covid-19, uma vez que mesmo com as portas fechadas desde março, a pandemia continuou avançando. Wilson Escudeiro, autônomo e um dos organizadores, explica que principais objetivos foram chamar atenção e demonstrar repúdio à passividade do Executivo. Este foi o segundo ato dos comerciantes. O primeiro foi em 31 de março.

O Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), também apoiou o ato, afirmando que os estabelecimentos estão preparados para receber os clientes, seguindo todos os protocolos de segurança. "Já lançamos a campanha ''''''''Não Somos os Culpados, Queremos Trabalhar'''''''' para levar ao conhecimento de toda a sociedade a situação desse setor e que também impacta a vida de outras pessoas e famílias, pois se trata de um segmento importante na economia, gera emprego e renda. Não é possível que não seremos ouvidos”, ressalta Beto Moreira, presidente da entidade. 

Há uma semana, comerciantes de Diadema também fizeram carreata pedindo a reabertura dos estabelecimentos. Inclusive, faixas com os dizeres “Passa-se o ponto para o governador e prefeito” foram colocadas nas fachadas dos comércios em diversas áreas da cidade.

Atualmente na fase vermelha do Plano São Paulo, comércios não-essenciais, bares e restaurantes não podem atender ao público presencialmente. Eles estão autorizados a operar com entregas, retirada e drive-thru. O Grande ABC e os demais municípios paulistas ficaram por 21 dias, encerrados no último domingo (11), na fase emergencial, cujas medidas eram ainda mais restritivas. As categorias pedem que, ao menos, a isenção de encargos como o IPTU (Imposto sobre Propriedade Predial, Territorial e Urbana).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Carreata pela reabertura do comércio reúne 80 veículos em S.Bernardo

Protesto foi do Riacho Grande ao Paço, onde buzinaço defendeu que o setor não é responsável pelo aumento de casos de Covid

Do Diário do Grande ABC

15/04/2021 | 18:47


Aproximadamente 80 veículos se reuniram no fim da tarde desta quinta-feira (15) para protestar pedindo a reabertura do comércio em São Bernardo. Comerciantes e funcionário se encontraram por volta das 15h no Riacho Grande e partiram em carreata até o Paço, onde fizeram buzinaço e tocaram os hinos nacional e municipal. A ação teve apoio da Riacho Grande Associação Comercial Independente.

Os manifestantes defendem que a categoria não é responsável pelo aumento dos casos e mortes de Covid-19, uma vez que mesmo com as portas fechadas desde março, a pandemia continuou avançando. Wilson Escudeiro, autônomo e um dos organizadores, explica que principais objetivos foram chamar atenção e demonstrar repúdio à passividade do Executivo. Este foi o segundo ato dos comerciantes. O primeiro foi em 31 de março.

O Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), também apoiou o ato, afirmando que os estabelecimentos estão preparados para receber os clientes, seguindo todos os protocolos de segurança. "Já lançamos a campanha ''''''''Não Somos os Culpados, Queremos Trabalhar'''''''' para levar ao conhecimento de toda a sociedade a situação desse setor e que também impacta a vida de outras pessoas e famílias, pois se trata de um segmento importante na economia, gera emprego e renda. Não é possível que não seremos ouvidos”, ressalta Beto Moreira, presidente da entidade. 

Há uma semana, comerciantes de Diadema também fizeram carreata pedindo a reabertura dos estabelecimentos. Inclusive, faixas com os dizeres “Passa-se o ponto para o governador e prefeito” foram colocadas nas fachadas dos comércios em diversas áreas da cidade.

Atualmente na fase vermelha do Plano São Paulo, comércios não-essenciais, bares e restaurantes não podem atender ao público presencialmente. Eles estão autorizados a operar com entregas, retirada e drive-thru. O Grande ABC e os demais municípios paulistas ficaram por 21 dias, encerrados no último domingo (11), na fase emergencial, cujas medidas eram ainda mais restritivas. As categorias pedem que, ao menos, a isenção de encargos como o IPTU (Imposto sobre Propriedade Predial, Territorial e Urbana).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;