Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Câmara aprova projeto para aumento de pena a maus-tratos contra incapaz



15/04/2021 | 13:10


Na esteira da repercussão do caso Henry Borel, a Câmara aprovou um projeto de lei (PL) para aumentar pena para abandono de incapaz e maus-tratos de crianças, idosos e pessoas com deficiência. O texto foi aprovado de forma simbólica, sem contagem de votos, e segue agora ao Senado.

O projeto altera o Código Penal e o Estatuto do Idoso. A pena de abandono de incapaz, atualmente de seis meses a três anos de detenção, passará a ser de dois a cinco anos de reclusão. Se houver morte, a prisão passa para de oito a 14 anos (atualmente é de quatro a 12 anos).

A medida também agrava as penas para quem colocar em risco pessoa que esteja sob sua responsabilidade, para prisão de dois a cinco anos e de oito a 14 anos, quando houver morte. A mesma pena pode ser aplicada para quem expuser idosos ao perigo, submetê-los a condições desumanas ou degradantes.

A medida aprovada é de autoria do deputado Hélio Lopes (PSL-RJ) e foi relatada pelo deputado Frederico (Patriota-MG). "A situação se agravou diante da pandemia do coronavírus, como no caso do menino Henry e de vários outros brasileiros, inclusive idosos", disse o relator.

Durante a aprovação do requerimento de urgência do projeto, na sessão de terça-feira, dia 13, deputados fizeram um minuto de silêncio para o menino Henry Borel.

O garoto morreu no dia 8 de março no Rio e a polícia investiga o caso desde então. A perícia indicou ferimentos compatíveis com agressão na criança. A mãe do menino, a professora Monique Medeiros, e seu namorado, o vereador carioca Dr. Jairinho, foram presos na quinta-feira, 8, por ordem da Justiça no caso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara aprova projeto para aumento de pena a maus-tratos contra incapaz


15/04/2021 | 13:10


Na esteira da repercussão do caso Henry Borel, a Câmara aprovou um projeto de lei (PL) para aumentar pena para abandono de incapaz e maus-tratos de crianças, idosos e pessoas com deficiência. O texto foi aprovado de forma simbólica, sem contagem de votos, e segue agora ao Senado.

O projeto altera o Código Penal e o Estatuto do Idoso. A pena de abandono de incapaz, atualmente de seis meses a três anos de detenção, passará a ser de dois a cinco anos de reclusão. Se houver morte, a prisão passa para de oito a 14 anos (atualmente é de quatro a 12 anos).

A medida também agrava as penas para quem colocar em risco pessoa que esteja sob sua responsabilidade, para prisão de dois a cinco anos e de oito a 14 anos, quando houver morte. A mesma pena pode ser aplicada para quem expuser idosos ao perigo, submetê-los a condições desumanas ou degradantes.

A medida aprovada é de autoria do deputado Hélio Lopes (PSL-RJ) e foi relatada pelo deputado Frederico (Patriota-MG). "A situação se agravou diante da pandemia do coronavírus, como no caso do menino Henry e de vários outros brasileiros, inclusive idosos", disse o relator.

Durante a aprovação do requerimento de urgência do projeto, na sessão de terça-feira, dia 13, deputados fizeram um minuto de silêncio para o menino Henry Borel.

O garoto morreu no dia 8 de março no Rio e a polícia investiga o caso desde então. A perícia indicou ferimentos compatíveis com agressão na criança. A mãe do menino, a professora Monique Medeiros, e seu namorado, o vereador carioca Dr. Jairinho, foram presos na quinta-feira, 8, por ordem da Justiça no caso.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;