Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Cantor sertanejo tem bala alojada na cabeça há mais de 20 anos: - Se tirar, fico cego ou surdo



15/04/2021 | 10:11


O cantor Maicon, que faz dupla com Marlon, vive com uma bala alojada na cabeça! O sertanejo está há mais de 20 anos nesta situação.

Maicon afirmou, no podcast No Flow, que foi vítima de um tiro acidental. Ele conta que isso aconteceu em uma brincadeira entre amigos, quando era mais jovem. A bala nunca foi retirada, já que o cantor tinha risco de perder a visão ou a audição:

- A bala está até hoje na minha cabeça. Na época de moleque, fui na casa de um amigo acompanhado de um outro amigo. Quando chegamos lá, esse meu amigo foi mostrar as armas que a família dele tinha penduradas na parede. Ele pegou uma delas e brincou: Já pensou se tivesse uma bala. E tinha mesmo. A arma foi disparada na direção da minha cabeça. Não pude tirá-la porque está entre o nervo da visão e o da audição. Na hora em que foram abrir, o médico disse que não poderia tirar. Se tirar, fico cego ou surdo. Aí deixei. Só preciso ter cuidado para não bater uma bola ou coisa assim porque pode deslocar a bala.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cantor sertanejo tem bala alojada na cabeça há mais de 20 anos: - Se tirar, fico cego ou surdo


15/04/2021 | 10:11


O cantor Maicon, que faz dupla com Marlon, vive com uma bala alojada na cabeça! O sertanejo está há mais de 20 anos nesta situação.

Maicon afirmou, no podcast No Flow, que foi vítima de um tiro acidental. Ele conta que isso aconteceu em uma brincadeira entre amigos, quando era mais jovem. A bala nunca foi retirada, já que o cantor tinha risco de perder a visão ou a audição:

- A bala está até hoje na minha cabeça. Na época de moleque, fui na casa de um amigo acompanhado de um outro amigo. Quando chegamos lá, esse meu amigo foi mostrar as armas que a família dele tinha penduradas na parede. Ele pegou uma delas e brincou: Já pensou se tivesse uma bala. E tinha mesmo. A arma foi disparada na direção da minha cabeça. Não pude tirá-la porque está entre o nervo da visão e o da audição. Na hora em que foram abrir, o médico disse que não poderia tirar. Se tirar, fico cego ou surdo. Aí deixei. Só preciso ter cuidado para não bater uma bola ou coisa assim porque pode deslocar a bala.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;