Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Mercado de trabalho feminino


Do Diário do Grande ABC

14/04/2021 | 23:59


Sabemos que as mulheres foram extremamente impactadas pela crise da pandemia, que se alastrou no mundo todo, mas especialmente as negras, que foram demitidas ou dispensadas por esse motivo. Segundo relatório norte-americano produzido pelo LeanIn.Org em parceria com a consultoria empresarial McKinsey, entre janeiros de 2015 e de 2020 a representação de mulheres em cargos de vice-presidente sênior havia crescido de 23% para 28%, e a representação na diretoria havia passado de 17% para 21%. Notamos que estamos crescendo, mas sabemos do longo trajeto que ainda temos que percorrer. Ainda, que uma em cada quatro mulheres considera, que antes era impensado, mudar de carreira ou deixar definitivamente o mercado de trabalho. Com isso quem perde? Com certeza as empresas, pois vão afundar anos de trabalho árduo no progresso em direção à diversidade de gênero.

Sabemos que há muitas diferenças entre mercado feminino e mundo corporativo de lá para o brasileiro, mas nossa realidade não está longe, não só pelas demissões, mas também pelas duplas até triplas jornadas que temos que enfrentar diariamente por conta da pandemia, onde escolas e creches estão fechadas e o home office está presente, além, claro, de cuidar dos afazeres domésticos. No Brasil, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), de novembro passado, 897,2 mil trabalhadores perderam o emprego de março a setembro de 2020, por conta da pandemia e do isolamento físico, sendo 588,5 mil mulheres, ou seja, 65% dos demitidos.

Ainda, segundo os dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), as categorias em que há mais mulheres trabalhando foram as que mais perderam os empregos, como em alojamento. E alimentação, em que 58,3% dos profissionais são mulheres, a queda foi de 51%. Nos serviços domésticos, em que 85, 7% dos profissionais ocupados são mulheres, a queda foi de 46,2%. Em educação, saúde e serviços sociais, a queda foi de 33,4%. E 76,4% dos profissionais da área são mulheres. Sabemos que na crise temos que construir oportunidade. Se as empresas fizerem investimentos significativos na construção de local de trabalho mais flexível e empático, elas poderão reter essas profissionais mais afetadas pela crise, criando ambiente mais igualitário e justo. Estamos em momento muito difícil, ainda mais quando todos estamos vivenciando crise de saúde e efeito devastador na economia. Precisamos nos cuidar e nos vacinar o mais rápido possível, para que esse efeito seja minimizado e para evitarmos que a desigualdade se aprofunde ainda mais no futuro, e que todas as mulheres possam viver dignamente, seja no mercado de trabalho ou empreendendo.

Jandaraci Araújo é executiva do mercado financeiro na área de sustentabilidade.


PALAVRA DO LEITOR

Tristeza
Há algum tempo que não escrevo aqui. Talvez seja consequência da pandemia. Mas diante do último acontecimento, do qual mais se fala no Brasil e que também é o que mais me abalou, tenho que me manifestar. Não vou me ater a tudo que já ouvi. Quero simplesmente chamar a atenção das amigas mulheres no geral, que se encontram na situação de terem filhos pequenos, ou seja, crianças, para que façam o máximo para renunciar, abrir mão de si próprias por amor a seus filhos. Isso não impede nenhuma de namorar, e até se relacionar, mas farão grande diferença no futuro de seus pequenos. Peço encarecidamente para que esperem os pequenos crescerem para que não aconteça com eles o que aconteceu a Isabela Nardoni e agora ao pequeno Henry. Oro para que Deus lhes dê sabedoria.
Rosângela Caris
Mauá


Punição
Hoje estou como presidente da Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas da Região do Grande ABCDMRPRGS. Fui, no passado, como diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, preso e cassado pela ditadura militar. Participei da fundação do PT, que no início era dos trabalhadores no geral, hoje está completamente diferente. Eduardo Leite, parabéns pelo seu trabalho como vereador transparente e honesto nas suas declarações sobre o prefeito de Santo André, onde disse que na saúde está fazendo o melhor trabalho da região, nesse momento difícil que estamos passando por conta da pandemia causada pelo vírus da Covid-19. Eduardo Leite, você é vereador da cidade de Santo André e não do PT. Respeito e admiro! Cuidado com os que lhe perseguem, pois foi assim com o Cicote, Gilson, João Avamileno, Luiza Erundina e outros. Você foi o único reeleito do partido e isso causa inveja. Continue fazendo o que é bom para Santo André. Também digo o mesmo ao Paulo Serra, o melhor prefeito da região.
Isaías Urbano da Cunha
Santo André


Bolsonaro agoniza
Bolsonaro nas cordas! O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal), por dez votos a um, confirma decisão liminar do ministro Luiz Roberto Barroso, da abertura imediata da CPI da Pandemia. Que aterroriza Jair Bolsonaro, já que vai investigar a lamentável atuação do governo no combate à Covid-19. Porém, para tentar tumultuar essa comissão, o governo cooptou aliados para que fosse incluída ‘jabuticaba’ nesse evento, a fim de que se investigue governadores e prefeitos pelo uso de verbas destinadas pelo Planalto nesta pandemia. Pura ingenuidade política de Bolsonaro! Pior para Bolsonaro, que não governa e tem sua credibilidade no fundo do poço.
Paulo Panossian
São Carlos (SP)


Aglomeração
Mesmo com toda fatalidade da Covid-19 e a triste notícia neste Diário sobre o Grande ABC registrar recorde diário de 70 mortes, sendo em São Bernardo o total de 31 vidas perdidas (Setecidades, ontem), o absurdo de aglomerações em torno do Paço Municipal continua. Domingo tinha até um grupo jogando bola e grande quantidade de pessoas sem máscara ou com ela no queixo. E isso porque tem base da Guarda Civil Municipal a 50 metros e nada é feito para que se respeite o decreto municipal sobre isolamento físico e normas sanitárias de combate à pandemia. É triste ver o total abandono da cidade, que está à própria sorte. A terra dos ‘batateiros’ parece que está nos tempos de faroeste, o mais forte manda. Onde estão os vereadores da cidade para que tomem as devidas providências e cumpram o que está na lei?
Maria de Lourdes Barbosa dos Santos
São Bernardo 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mercado de trabalho feminino

Do Diário do Grande ABC

14/04/2021 | 23:59


Sabemos que as mulheres foram extremamente impactadas pela crise da pandemia, que se alastrou no mundo todo, mas especialmente as negras, que foram demitidas ou dispensadas por esse motivo. Segundo relatório norte-americano produzido pelo LeanIn.Org em parceria com a consultoria empresarial McKinsey, entre janeiros de 2015 e de 2020 a representação de mulheres em cargos de vice-presidente sênior havia crescido de 23% para 28%, e a representação na diretoria havia passado de 17% para 21%. Notamos que estamos crescendo, mas sabemos do longo trajeto que ainda temos que percorrer. Ainda, que uma em cada quatro mulheres considera, que antes era impensado, mudar de carreira ou deixar definitivamente o mercado de trabalho. Com isso quem perde? Com certeza as empresas, pois vão afundar anos de trabalho árduo no progresso em direção à diversidade de gênero.

Sabemos que há muitas diferenças entre mercado feminino e mundo corporativo de lá para o brasileiro, mas nossa realidade não está longe, não só pelas demissões, mas também pelas duplas até triplas jornadas que temos que enfrentar diariamente por conta da pandemia, onde escolas e creches estão fechadas e o home office está presente, além, claro, de cuidar dos afazeres domésticos. No Brasil, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), de novembro passado, 897,2 mil trabalhadores perderam o emprego de março a setembro de 2020, por conta da pandemia e do isolamento físico, sendo 588,5 mil mulheres, ou seja, 65% dos demitidos.

Ainda, segundo os dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), as categorias em que há mais mulheres trabalhando foram as que mais perderam os empregos, como em alojamento. E alimentação, em que 58,3% dos profissionais são mulheres, a queda foi de 51%. Nos serviços domésticos, em que 85, 7% dos profissionais ocupados são mulheres, a queda foi de 46,2%. Em educação, saúde e serviços sociais, a queda foi de 33,4%. E 76,4% dos profissionais da área são mulheres. Sabemos que na crise temos que construir oportunidade. Se as empresas fizerem investimentos significativos na construção de local de trabalho mais flexível e empático, elas poderão reter essas profissionais mais afetadas pela crise, criando ambiente mais igualitário e justo. Estamos em momento muito difícil, ainda mais quando todos estamos vivenciando crise de saúde e efeito devastador na economia. Precisamos nos cuidar e nos vacinar o mais rápido possível, para que esse efeito seja minimizado e para evitarmos que a desigualdade se aprofunde ainda mais no futuro, e que todas as mulheres possam viver dignamente, seja no mercado de trabalho ou empreendendo.

Jandaraci Araújo é executiva do mercado financeiro na área de sustentabilidade.


PALAVRA DO LEITOR

Tristeza
Há algum tempo que não escrevo aqui. Talvez seja consequência da pandemia. Mas diante do último acontecimento, do qual mais se fala no Brasil e que também é o que mais me abalou, tenho que me manifestar. Não vou me ater a tudo que já ouvi. Quero simplesmente chamar a atenção das amigas mulheres no geral, que se encontram na situação de terem filhos pequenos, ou seja, crianças, para que façam o máximo para renunciar, abrir mão de si próprias por amor a seus filhos. Isso não impede nenhuma de namorar, e até se relacionar, mas farão grande diferença no futuro de seus pequenos. Peço encarecidamente para que esperem os pequenos crescerem para que não aconteça com eles o que aconteceu a Isabela Nardoni e agora ao pequeno Henry. Oro para que Deus lhes dê sabedoria.
Rosângela Caris
Mauá


Punição
Hoje estou como presidente da Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas da Região do Grande ABCDMRPRGS. Fui, no passado, como diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, preso e cassado pela ditadura militar. Participei da fundação do PT, que no início era dos trabalhadores no geral, hoje está completamente diferente. Eduardo Leite, parabéns pelo seu trabalho como vereador transparente e honesto nas suas declarações sobre o prefeito de Santo André, onde disse que na saúde está fazendo o melhor trabalho da região, nesse momento difícil que estamos passando por conta da pandemia causada pelo vírus da Covid-19. Eduardo Leite, você é vereador da cidade de Santo André e não do PT. Respeito e admiro! Cuidado com os que lhe perseguem, pois foi assim com o Cicote, Gilson, João Avamileno, Luiza Erundina e outros. Você foi o único reeleito do partido e isso causa inveja. Continue fazendo o que é bom para Santo André. Também digo o mesmo ao Paulo Serra, o melhor prefeito da região.
Isaías Urbano da Cunha
Santo André


Bolsonaro agoniza
Bolsonaro nas cordas! O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal), por dez votos a um, confirma decisão liminar do ministro Luiz Roberto Barroso, da abertura imediata da CPI da Pandemia. Que aterroriza Jair Bolsonaro, já que vai investigar a lamentável atuação do governo no combate à Covid-19. Porém, para tentar tumultuar essa comissão, o governo cooptou aliados para que fosse incluída ‘jabuticaba’ nesse evento, a fim de que se investigue governadores e prefeitos pelo uso de verbas destinadas pelo Planalto nesta pandemia. Pura ingenuidade política de Bolsonaro! Pior para Bolsonaro, que não governa e tem sua credibilidade no fundo do poço.
Paulo Panossian
São Carlos (SP)


Aglomeração
Mesmo com toda fatalidade da Covid-19 e a triste notícia neste Diário sobre o Grande ABC registrar recorde diário de 70 mortes, sendo em São Bernardo o total de 31 vidas perdidas (Setecidades, ontem), o absurdo de aglomerações em torno do Paço Municipal continua. Domingo tinha até um grupo jogando bola e grande quantidade de pessoas sem máscara ou com ela no queixo. E isso porque tem base da Guarda Civil Municipal a 50 metros e nada é feito para que se respeite o decreto municipal sobre isolamento físico e normas sanitárias de combate à pandemia. É triste ver o total abandono da cidade, que está à própria sorte. A terra dos ‘batateiros’ parece que está nos tempos de faroeste, o mais forte manda. Onde estão os vereadores da cidade para que tomem as devidas providências e cumpram o que está na lei?
Maria de Lourdes Barbosa dos Santos
São Bernardo 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;