Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Fed vê atividade nos EUA acelerando para ritmo moderado de fevereiro a abril



14/04/2021 | 15:35


A atividade econômica nos Estados Unidos acelerou para um ritmo moderado entre fevereiro e abril, com um fortalecimento dos gastos do consumidor, segundo avaliações que constam no Livro Bege, sumário das condições econômicas publicado nesta quarta-feira, 14, pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

O cenário para serviços não financeiros, "no geral melhorou", apoiado pelo "fortalecimento da demanda por serviços de transporte, profissionais e de negócios, lazer e hotelaria", de acordo com a publicação.

Segundo o documento, as expectativas para o turismo estão mais otimistas, tendo em vista uma alta na demanda a redução de restrições de mobilidade no país para tentar conter a covid-19, um aumento da vacinação e os estímulos fiscais.

Outro setor que registrou aumento foram as vendas de carro, com o relatório destacando que o movimento ocorreu a despeito da escassez global de chips.

Inflação

O nível de inflação nos Estados Unidos acelerou levemente, de acordo com o Livro Bege, que detalha a situação da economia em cada um dos 12 distritos do banco central americano. De acordo com a publicação, muitos distritos reportaram um aumento modesto nos preços, enquanto outros registraram uma alta mais robusta.

Custos de insumo aumentaram em todas as áreas desde o último relatório, em especial nos setores de manufatura, construção, varejo e transportes.

Houve ainda aumento generalizado nos preços de vendas, sem acompanhar, porém, os preços de custos, informa o Livro Bege. Segundo o documento, é esperado, a curto prazo, uma alta contínua nos preços.

De acordo com a publicação, a alta nos preços foi parcialmente provocada por gargalos na cadeia de suprimentos, que, em alguns casos, foram exacerbados por problemas de ordem climática em meio ao inverno no hemisfério norte.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fed vê atividade nos EUA acelerando para ritmo moderado de fevereiro a abril


14/04/2021 | 15:35


A atividade econômica nos Estados Unidos acelerou para um ritmo moderado entre fevereiro e abril, com um fortalecimento dos gastos do consumidor, segundo avaliações que constam no Livro Bege, sumário das condições econômicas publicado nesta quarta-feira, 14, pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

O cenário para serviços não financeiros, "no geral melhorou", apoiado pelo "fortalecimento da demanda por serviços de transporte, profissionais e de negócios, lazer e hotelaria", de acordo com a publicação.

Segundo o documento, as expectativas para o turismo estão mais otimistas, tendo em vista uma alta na demanda a redução de restrições de mobilidade no país para tentar conter a covid-19, um aumento da vacinação e os estímulos fiscais.

Outro setor que registrou aumento foram as vendas de carro, com o relatório destacando que o movimento ocorreu a despeito da escassez global de chips.

Inflação

O nível de inflação nos Estados Unidos acelerou levemente, de acordo com o Livro Bege, que detalha a situação da economia em cada um dos 12 distritos do banco central americano. De acordo com a publicação, muitos distritos reportaram um aumento modesto nos preços, enquanto outros registraram uma alta mais robusta.

Custos de insumo aumentaram em todas as áreas desde o último relatório, em especial nos setores de manufatura, construção, varejo e transportes.

Houve ainda aumento generalizado nos preços de vendas, sem acompanhar, porém, os preços de custos, informa o Livro Bege. Segundo o documento, é esperado, a curto prazo, uma alta contínua nos preços.

De acordo com a publicação, a alta nos preços foi parcialmente provocada por gargalos na cadeia de suprimentos, que, em alguns casos, foram exacerbados por problemas de ordem climática em meio ao inverno no hemisfério norte.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;