Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar oscila nos primeiros negócios, mas queda predomina com melhora em NY

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/04/2021 | 09:47


O dólar abriu esta quarta-feira, 14, com viés de baixa e inverteu o sinal, subindo à máxima de R$ 5,7220 no mercado à vista, diante do avanço dos juros dos Treasuries. No entanto, a moeda americana já volta a cair reagindo à melhora dos Futuros de Nova York após os balanços bem recebidos do Goldman Sachs e Wells Fargo e com uma desaceleração da alta dos juros dos Treasuries.

Por volta das 9h10, o dólar à vista retomou a queda, em um realinhamento também à baixa da moeda americana frente pares principais e grande parte das divisas emergentes e ligadas a commodities no exterior. Contudo, o dólar seguia em alta leve frente o peso mexicano (+0,17%, às 9h15).

No radar dos investidores estão ainda falas dos presidentes dos Bancos Centrais do EUA (Jerome Powell), do Banco Central Europeu (Christine Lagarde) e de Campos Neto, além da CPI da covid-19, instalada ontem no Senado. À tarde, as atenções estarão ainda no julgamento pelo plenário do STF de liminar do ministro Luís Roberto Barroso sobre abertura de CPI da Covid, no Senado.

Às 9h27, o dólar à vista caía 0,29%, a R$ 5,7015, após mínima a R$ 5,6935 e máxima, a R$ 5,7220. O dólar para maio recuava 0,20%, a R$ 5,7065.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar oscila nos primeiros negócios, mas queda predomina com melhora em NY


14/04/2021 | 09:47


O dólar abriu esta quarta-feira, 14, com viés de baixa e inverteu o sinal, subindo à máxima de R$ 5,7220 no mercado à vista, diante do avanço dos juros dos Treasuries. No entanto, a moeda americana já volta a cair reagindo à melhora dos Futuros de Nova York após os balanços bem recebidos do Goldman Sachs e Wells Fargo e com uma desaceleração da alta dos juros dos Treasuries.

Por volta das 9h10, o dólar à vista retomou a queda, em um realinhamento também à baixa da moeda americana frente pares principais e grande parte das divisas emergentes e ligadas a commodities no exterior. Contudo, o dólar seguia em alta leve frente o peso mexicano (+0,17%, às 9h15).

No radar dos investidores estão ainda falas dos presidentes dos Bancos Centrais do EUA (Jerome Powell), do Banco Central Europeu (Christine Lagarde) e de Campos Neto, além da CPI da covid-19, instalada ontem no Senado. À tarde, as atenções estarão ainda no julgamento pelo plenário do STF de liminar do ministro Luís Roberto Barroso sobre abertura de CPI da Covid, no Senado.

Às 9h27, o dólar à vista caía 0,29%, a R$ 5,7015, após mínima a R$ 5,6935 e máxima, a R$ 5,7220. O dólar para maio recuava 0,20%, a R$ 5,7065.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;