Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Insegurança marca retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de São Bernardo e Santo André

Yasmin Assagra/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pais ainda sentem medo de mandar os filhos para sala de aula; na rede pública, sistema presencial segue suspenso


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

14/04/2021 | 08:02


Atualizada às 16h10

As Prefeituras de Santo André e São Bernardo autorizaram a retomada das aulas presenciais na rede privada a partir desta quarta-feira (14), com ocupação máxima de até 35% dos alunos. Porém, ainda que esteja avalizado esse retorno, muitos pais seguem inseguros em deixar seus filhos nas unidades escolares e comentam que os cuidados estão redobrados.

Em São Bernardo, na escola Viva Vida, na Nova Petrópolis, a recepção dos alunos foi a partir das 7h. Segundo informações publicadas no site da escola, os protocolos internos, bem como os horários de entrada e saída dos alunos devem respeitar as regras de higiene, como respeitar o horário de entrada e portar mais de uma máscara de proteção para troca no decorrer do dia. No local, funcionários fazem a medição de temperatura e oferecem o álcool gel aos estudantes. 

No caso da gerente comercial, Andrinéia Rigolim, 38 anos, que precisa trabalhar, apesar da insegurança, comenta que a melhor opção é deixar seu filho, Igor, 5, na escola pela praticidade. "No meu caso, não teve jeito. Eu repasso os cuidados em casa, deixo ele aqui cedo e já vou trabalhar", comenta. 

A auxiliar de classe, Patrícia Viana, 28, também aderiu o retorno das aulas para sua filha, Bárbara, 5. Viana observa que os protocolos adotados também pela escola fazem a diferença. "Hoje é comum ver alunos falando para o amigo passar o álcool na mão ou usar a máscara de forma correta. Sabemos que ainda existe muito medo, mas muitos pais precisam trabalhar e a escola auxilia nesse processo", avalia. 

A escola programa um retorno gradativo, ou seja, nesta semana, alunos do infantil até o 3º ano do Ensino Fundamental já podem voltar. Na próxima semana, é a vez dos estudantes até o 5º ano e na semana do dia 26, o Ensino fundamental II (6º ao 9º ano) e Ensino Médio. Segundo os pais, a escola já acompanhava a situação de cada família e qual seria a proporção desse retorno. De acordo com eles, a adesão ainda é baixa.

A veterinária Gabriela de Moraes, 42, além de precisar trabalhar, observa que o filho Lorenzo, 6, já queria voltar para a escola, mas esse retorno ficará em análise por conta dos casos da Covid-19. "Ele não estava aguentando mais, mas todos os dias conversamos sobre os cuidados, tanto que, no almoço, busco ele, ele toma banho em casa e o deixo na minha mãe", conta. 

Com o cenário um pouco diferente, em Santo André, no Centro Educacional Infantil Rhema, na Vila América, a adesão foi um pouco maior, ainda seguindo a capacidade máxima de 35%. A coordenadora da unidade, Silvia Ritschel, que atende crianças do barçario ao Infantil (de 2 a 5 anos), comenta que a situação dos pais é muito parecida, seja por trabalharem fora e não terem com quem deixar as crianças, mas também, por observar os estudantes mais estressados dentro de casa. "Nessa unidade foram poucos os pais que optaram em manter seus filhos em casa. Muitos deles já estavam precisando desse retorno antes, o que não tinha sido possível. Hoje, além das medidas de higiene, a higienização nos brinquedos também é frequente", avalia. 

A Prefeitura de Santo André, conforme o último decreto do prefeito Paulo Serra (PSDB), publicado no dia 10 de abril, as aulas presenciais nas redes municipal e estadual estão suspensas até 30 de abril. Neste momento ainda não é possível saber a data exata de quando as aulas presenciais na rede pública serão retomadas, mas seguem com o ensino remoto. Assim como, em São Bernardo, que as aulas presencias na rede pública também permanecem suspensas. 

Em São Bernardo não há previsão para o retorno das aulas presenciais na rede pública (estadual e municipal). 

DEMAIS CIDADES - Após anúncio do governo estadual, na última sexta-feira (9), que liberou as aulas presenciais na rede estadual, São Caetano informou que as escolas estaduais e particulares já estão autorizadas a funcionarem presencialmente, seguindo a determinação da capacidade máxima de alunos em 35%. Apenas a rede municipal continua de forma remota e sem previsão de retorno. 

O mesmo acontece em Diadema, que autorizou o retorno das aulas presenciais das escolas particulares e estaduais. Nas escolas municipais, o retorno está previsto para o dia 3 de maio, também de forma híbrida. 

Em Ribeirão Pires, o retorno de atividades presenciais em escolas estaduais e particulares da cidade está programado para 22 de abril. Para a rede municipal, a data prevista de retorno de aulas presenciais está programada para 30 de maio. Os alunos da rede municipal também seguem em ensino remoto.

Já Rio Grande da Serra informou que a retomada das aulas de forma presencial não tem previsão de retorno.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Insegurança marca retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de São Bernardo e Santo André

Pais ainda sentem medo de mandar os filhos para sala de aula; na rede pública, sistema presencial segue suspenso

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

14/04/2021 | 08:02


Atualizada às 16h10

As Prefeituras de Santo André e São Bernardo autorizaram a retomada das aulas presenciais na rede privada a partir desta quarta-feira (14), com ocupação máxima de até 35% dos alunos. Porém, ainda que esteja avalizado esse retorno, muitos pais seguem inseguros em deixar seus filhos nas unidades escolares e comentam que os cuidados estão redobrados.

Em São Bernardo, na escola Viva Vida, na Nova Petrópolis, a recepção dos alunos foi a partir das 7h. Segundo informações publicadas no site da escola, os protocolos internos, bem como os horários de entrada e saída dos alunos devem respeitar as regras de higiene, como respeitar o horário de entrada e portar mais de uma máscara de proteção para troca no decorrer do dia. No local, funcionários fazem a medição de temperatura e oferecem o álcool gel aos estudantes. 

No caso da gerente comercial, Andrinéia Rigolim, 38 anos, que precisa trabalhar, apesar da insegurança, comenta que a melhor opção é deixar seu filho, Igor, 5, na escola pela praticidade. "No meu caso, não teve jeito. Eu repasso os cuidados em casa, deixo ele aqui cedo e já vou trabalhar", comenta. 

A auxiliar de classe, Patrícia Viana, 28, também aderiu o retorno das aulas para sua filha, Bárbara, 5. Viana observa que os protocolos adotados também pela escola fazem a diferença. "Hoje é comum ver alunos falando para o amigo passar o álcool na mão ou usar a máscara de forma correta. Sabemos que ainda existe muito medo, mas muitos pais precisam trabalhar e a escola auxilia nesse processo", avalia. 

A escola programa um retorno gradativo, ou seja, nesta semana, alunos do infantil até o 3º ano do Ensino Fundamental já podem voltar. Na próxima semana, é a vez dos estudantes até o 5º ano e na semana do dia 26, o Ensino fundamental II (6º ao 9º ano) e Ensino Médio. Segundo os pais, a escola já acompanhava a situação de cada família e qual seria a proporção desse retorno. De acordo com eles, a adesão ainda é baixa.

A veterinária Gabriela de Moraes, 42, além de precisar trabalhar, observa que o filho Lorenzo, 6, já queria voltar para a escola, mas esse retorno ficará em análise por conta dos casos da Covid-19. "Ele não estava aguentando mais, mas todos os dias conversamos sobre os cuidados, tanto que, no almoço, busco ele, ele toma banho em casa e o deixo na minha mãe", conta. 

Com o cenário um pouco diferente, em Santo André, no Centro Educacional Infantil Rhema, na Vila América, a adesão foi um pouco maior, ainda seguindo a capacidade máxima de 35%. A coordenadora da unidade, Silvia Ritschel, que atende crianças do barçario ao Infantil (de 2 a 5 anos), comenta que a situação dos pais é muito parecida, seja por trabalharem fora e não terem com quem deixar as crianças, mas também, por observar os estudantes mais estressados dentro de casa. "Nessa unidade foram poucos os pais que optaram em manter seus filhos em casa. Muitos deles já estavam precisando desse retorno antes, o que não tinha sido possível. Hoje, além das medidas de higiene, a higienização nos brinquedos também é frequente", avalia. 

A Prefeitura de Santo André, conforme o último decreto do prefeito Paulo Serra (PSDB), publicado no dia 10 de abril, as aulas presenciais nas redes municipal e estadual estão suspensas até 30 de abril. Neste momento ainda não é possível saber a data exata de quando as aulas presenciais na rede pública serão retomadas, mas seguem com o ensino remoto. Assim como, em São Bernardo, que as aulas presencias na rede pública também permanecem suspensas. 

Em São Bernardo não há previsão para o retorno das aulas presenciais na rede pública (estadual e municipal). 

DEMAIS CIDADES - Após anúncio do governo estadual, na última sexta-feira (9), que liberou as aulas presenciais na rede estadual, São Caetano informou que as escolas estaduais e particulares já estão autorizadas a funcionarem presencialmente, seguindo a determinação da capacidade máxima de alunos em 35%. Apenas a rede municipal continua de forma remota e sem previsão de retorno. 

O mesmo acontece em Diadema, que autorizou o retorno das aulas presenciais das escolas particulares e estaduais. Nas escolas municipais, o retorno está previsto para o dia 3 de maio, também de forma híbrida. 

Em Ribeirão Pires, o retorno de atividades presenciais em escolas estaduais e particulares da cidade está programado para 22 de abril. Para a rede municipal, a data prevista de retorno de aulas presenciais está programada para 30 de maio. Os alunos da rede municipal também seguem em ensino remoto.

Já Rio Grande da Serra informou que a retomada das aulas de forma presencial não tem previsão de retorno.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;