Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Fipe: projeção para IPC de abril cai de 0,61% para 0,58%, diz Guilherme Moreira



12/04/2021 | 12:11


A desaceleração em Transportes (2,91%, após 3,26%) na primeira quadrissemana de abril, puxada por combustíveis, levou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a rebaixar de 0,61% para 0,58% a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) deste mês. A leitura inicial de abril, divulgada nesta segunda-feira, 12, repetiu a taxa de 0,71% do fechamento de março, e veio levemente abaixo do esperado (0,73%), segundo o coordenador do IPC-Fipe, Guilherme Moreira.

Além dos itens de Transportes que já vinham exercendo pressão sobre a inflação na capital paulista, como gasolina (11,00%), etanol (13,52%) e automóvel (novo, 1,90%, e usado, 2,63%), Moreira destaca a alta em Alimentação (0,39%, após 0,27%). Os semielaborados, que compõem o grupo, registraram alta de 0,98% na primeira quadrissemana de abril, puxados por carnes bovinas (1,55%) e aves (1,46%).

"Tem a ver com câmbio, exportações e baixa oferta interna. Os in natura, com deflação de 0,74%, estão segurando esse aumento em Alimentação, mas é algo temporário", alerta o coordenador do IPC-Fipe.

Moreira acrescenta que os itens relacionados a viagens seguem fazendo a diferença, devido às restrições impostas pela pandemia da covid-19. "Cada bloqueio despenca os preços", diz. Na primeira leitura de abril, o destaque foi passagem aérea, que registrou uma deflação de 3,14%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fipe: projeção para IPC de abril cai de 0,61% para 0,58%, diz Guilherme Moreira


12/04/2021 | 12:11


A desaceleração em Transportes (2,91%, após 3,26%) na primeira quadrissemana de abril, puxada por combustíveis, levou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a rebaixar de 0,61% para 0,58% a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) deste mês. A leitura inicial de abril, divulgada nesta segunda-feira, 12, repetiu a taxa de 0,71% do fechamento de março, e veio levemente abaixo do esperado (0,73%), segundo o coordenador do IPC-Fipe, Guilherme Moreira.

Além dos itens de Transportes que já vinham exercendo pressão sobre a inflação na capital paulista, como gasolina (11,00%), etanol (13,52%) e automóvel (novo, 1,90%, e usado, 2,63%), Moreira destaca a alta em Alimentação (0,39%, após 0,27%). Os semielaborados, que compõem o grupo, registraram alta de 0,98% na primeira quadrissemana de abril, puxados por carnes bovinas (1,55%) e aves (1,46%).

"Tem a ver com câmbio, exportações e baixa oferta interna. Os in natura, com deflação de 0,74%, estão segurando esse aumento em Alimentação, mas é algo temporário", alerta o coordenador do IPC-Fipe.

Moreira acrescenta que os itens relacionados a viagens seguem fazendo a diferença, devido às restrições impostas pela pandemia da covid-19. "Cada bloqueio despenca os preços", diz. Na primeira leitura de abril, o destaque foi passagem aérea, que registrou uma deflação de 3,14%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;