Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Motoristas de vans escolares fazem manifestação em Santo André; eles pleiteiam auxílio

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A Prefeitura disse que haverá reunião com a categoria na quarta-feira e que não foi informada sobre protesto


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

08/03/2021 | 09:49


Atualizado às 13h57

Grupo de motoristas de vans escolares saiu em protesto na manhã desta segunda-feira (8). A manifestação com 240 veículos foi organizado pelo Sitem (Sindicato dos Transportadores Escolares Santo André). Os trabalhadores se reuniram na Capitão Mario de Toledo e seguiram em comboio e buzinaço pela Avenida Santos Dumont, Coronel Alfredo Flaquer, Siqueira Campos, General Glicério, Luiz Fláquer até o Paço.

As principais reivindicações da categoria, que está paralisada há mais de um ano por causa da pandemia de Covid-19, são que a Prefeitura ajude com um auxílio emergencial e também abra linha de crédito especial. Em outubro, a categoria se reuniu com o prefeito da cidade, Paulo Serra (PSDB). Na ocasião, segundo eles, foi prometido auxílio emergencial aos profissionais. Desde então, a categoria espera pela ajuda. "Estamos aguardando que a Prefeitura dê entrada na Câmara para seguir com esse plano. Até agora, não temos previsão. Ganhamos cesta básica da Prefeitura e até entramos como público prioritário para vacinação da Covid, mas isso não paga nossas contas", detalha o presidente do Sitem, Cláudio Norberto Caldas.

André Henriques/DGABC

Motorista de van escolar há 12 anos, Lidiane Tavares Salvador, 37 anos, atende quatro escolas estaduais e, durante a pandemia, buscou alternativas para conseguir pagar as contas. "Deixei a van parada e arrumei entregas para fazer. Sabemos que agora não é o momento certo para o retorno das aulas, até para não colocar as crianças e toda sua família em perigo por conta da Covid. Nossa luta é exclusivamente pelo auxílio", destaca Lidiane. 

Irene Batista, 57, e o marido, Pedro Batista, 61, atuam na categoria há 27 anos que atendem escolas estaduais e uma particular. "Muitas pessoas acham que pelas vans estarem paradas, nós não temos gastos. Mas não é assim. São as vans que nos dão o sustento de casa e pagamos nossas contas, com elas paradas, não temos renda", lamenta Irene. Desde fevereiro, com o retorno parcial das aulas presenciais na rede privada, Irene e Pedro voltaram a buscar estudantes da escola particular que atendem, mas quando colocam na ponta do lápis, o custo acaba não compensando. "Tem dias que buscamos um aluno. Ida e volta. Isso sem contar que é um aluno às vezes em um único dia da semana. Está bem difícil", completa Irene. 

Em nota, a Prefeitura de Santo André disse que já havia reunião marcada com a categoria para quarta-feira (10), às 16h, e que não foi informada sobre a manifestação. "Neste momento a prioridade da cidade é a saúde e afirma que várias categorias foram prejudicadas pela pandemia, não apenas os transportadores escolares. "Nosso inimigo comum é o coronavírus", afirma. O Paço comfirma que estão sendo feitas adequações orçamentárias para ser enviado para a Câmara Municipal projeto de lei que cria o Banco do Povo Andreense. "Com a iniciativa, o município vai ofertar linhas de crédito em condições especiais para as categorias afetadas diretamente pela pandemia, o que beneficiará não somente os transportadores, mas trabalhadores das mais diversas áreas."

Ainda de acordo com a nota, a Prefeitura distribuiu cestas básicas para os transportadores escolares e outras categorias. "Lembramos, no entanto, que o PSOL entrou com uma ação na Justiça Eleitoral que impedia qualquer auxílio à categoria, tentando transformar as ações do governo em ações eleitorais que são vedadas por Lei." 

André Henriques/DGABC

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Motoristas de vans escolares fazem manifestação em Santo André; eles pleiteiam auxílio

A Prefeitura disse que haverá reunião com a categoria na quarta-feira e que não foi informada sobre protesto

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

08/03/2021 | 09:49


Atualizado às 13h57

Grupo de motoristas de vans escolares saiu em protesto na manhã desta segunda-feira (8). A manifestação com 240 veículos foi organizado pelo Sitem (Sindicato dos Transportadores Escolares Santo André). Os trabalhadores se reuniram na Capitão Mario de Toledo e seguiram em comboio e buzinaço pela Avenida Santos Dumont, Coronel Alfredo Flaquer, Siqueira Campos, General Glicério, Luiz Fláquer até o Paço.

As principais reivindicações da categoria, que está paralisada há mais de um ano por causa da pandemia de Covid-19, são que a Prefeitura ajude com um auxílio emergencial e também abra linha de crédito especial. Em outubro, a categoria se reuniu com o prefeito da cidade, Paulo Serra (PSDB). Na ocasião, segundo eles, foi prometido auxílio emergencial aos profissionais. Desde então, a categoria espera pela ajuda. "Estamos aguardando que a Prefeitura dê entrada na Câmara para seguir com esse plano. Até agora, não temos previsão. Ganhamos cesta básica da Prefeitura e até entramos como público prioritário para vacinação da Covid, mas isso não paga nossas contas", detalha o presidente do Sitem, Cláudio Norberto Caldas.

André Henriques/DGABC

Motorista de van escolar há 12 anos, Lidiane Tavares Salvador, 37 anos, atende quatro escolas estaduais e, durante a pandemia, buscou alternativas para conseguir pagar as contas. "Deixei a van parada e arrumei entregas para fazer. Sabemos que agora não é o momento certo para o retorno das aulas, até para não colocar as crianças e toda sua família em perigo por conta da Covid. Nossa luta é exclusivamente pelo auxílio", destaca Lidiane. 

Irene Batista, 57, e o marido, Pedro Batista, 61, atuam na categoria há 27 anos que atendem escolas estaduais e uma particular. "Muitas pessoas acham que pelas vans estarem paradas, nós não temos gastos. Mas não é assim. São as vans que nos dão o sustento de casa e pagamos nossas contas, com elas paradas, não temos renda", lamenta Irene. Desde fevereiro, com o retorno parcial das aulas presenciais na rede privada, Irene e Pedro voltaram a buscar estudantes da escola particular que atendem, mas quando colocam na ponta do lápis, o custo acaba não compensando. "Tem dias que buscamos um aluno. Ida e volta. Isso sem contar que é um aluno às vezes em um único dia da semana. Está bem difícil", completa Irene. 

Em nota, a Prefeitura de Santo André disse que já havia reunião marcada com a categoria para quarta-feira (10), às 16h, e que não foi informada sobre a manifestação. "Neste momento a prioridade da cidade é a saúde e afirma que várias categorias foram prejudicadas pela pandemia, não apenas os transportadores escolares. "Nosso inimigo comum é o coronavírus", afirma. O Paço comfirma que estão sendo feitas adequações orçamentárias para ser enviado para a Câmara Municipal projeto de lei que cria o Banco do Povo Andreense. "Com a iniciativa, o município vai ofertar linhas de crédito em condições especiais para as categorias afetadas diretamente pela pandemia, o que beneficiará não somente os transportadores, mas trabalhadores das mais diversas áreas."

Ainda de acordo com a nota, a Prefeitura distribuiu cestas básicas para os transportadores escolares e outras categorias. "Lembramos, no entanto, que o PSOL entrou com uma ação na Justiça Eleitoral que impedia qualquer auxílio à categoria, tentando transformar as ações do governo em ações eleitorais que são vedadas por Lei." 

André Henriques/DGABC

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;