Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Prefeitura do Rio fecha estabelecimentos; cai liminar que permitia bar até as 20h



06/03/2021 | 20:01


A Prefeitura do Rio multou 50 comerciantes e interditou 13 estabelecimentos por desrespeitarem as medidas restritivas à circulação de pessoas e ao funcionamento do comércio na cidade. Neste sábado foi a primeira madrugada em que passou a valer o protocolo de "lockdown" (bloqueio) previsto no decreto 48.573, que limita o horário de bares e restaurantes ao intervalo de 6h às 17h.

Na sexta, excepcionalmente, estes estabelecimentos puderam funcionar até as 20h, por conta de uma liminar favorável à Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Neste sábado, no entanto, voltou a valer o período definido pela Prefeitura, após o desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, do Tribunal de Justiça do Rio, suspender a liminar.

Em sua decisão, o desembargador argumentou que "cabe ao Poder Executivo, com exclusividade, adotar as medidas que entender razoáveis e necessárias para a circulação de pessoas e o funcionamento dos estabelecimentos comerciais", durante a pandemia.

Ele destacou também que, ao fechar as portas às 17h, os bares e restaurantes podem continuar atendendo a domicílio. Por isso, as medidas restritivas não chegariam a inviabilizar a atividade.

Ao todo, os órgãos de fiscalização - Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), Guarda Municipal e Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa) - realizaram 230 autuações, incluindo multas e interdições a estabelecimentos, encerramento de feiras, reboques e apreensão de mercadorias de ambulantes.

Em nota, a Prefeitura afirma que o balanço destas primeiras ações é positivo, pois uma expressiva parcela da população aderiu às medidas mais restritivas. "Porém, infelizmente, alguns estabelecimentos ainda seguem descumprindo as normas, o que mostra que as fiscalizações seguem sendo necessárias", destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, no comunicado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitura do Rio fecha estabelecimentos; cai liminar que permitia bar até as 20h


06/03/2021 | 20:01


A Prefeitura do Rio multou 50 comerciantes e interditou 13 estabelecimentos por desrespeitarem as medidas restritivas à circulação de pessoas e ao funcionamento do comércio na cidade. Neste sábado foi a primeira madrugada em que passou a valer o protocolo de "lockdown" (bloqueio) previsto no decreto 48.573, que limita o horário de bares e restaurantes ao intervalo de 6h às 17h.

Na sexta, excepcionalmente, estes estabelecimentos puderam funcionar até as 20h, por conta de uma liminar favorável à Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Neste sábado, no entanto, voltou a valer o período definido pela Prefeitura, após o desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, do Tribunal de Justiça do Rio, suspender a liminar.

Em sua decisão, o desembargador argumentou que "cabe ao Poder Executivo, com exclusividade, adotar as medidas que entender razoáveis e necessárias para a circulação de pessoas e o funcionamento dos estabelecimentos comerciais", durante a pandemia.

Ele destacou também que, ao fechar as portas às 17h, os bares e restaurantes podem continuar atendendo a domicílio. Por isso, as medidas restritivas não chegariam a inviabilizar a atividade.

Ao todo, os órgãos de fiscalização - Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), Guarda Municipal e Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa) - realizaram 230 autuações, incluindo multas e interdições a estabelecimentos, encerramento de feiras, reboques e apreensão de mercadorias de ambulantes.

Em nota, a Prefeitura afirma que o balanço destas primeiras ações é positivo, pois uma expressiva parcela da população aderiu às medidas mais restritivas. "Porém, infelizmente, alguns estabelecimentos ainda seguem descumprindo as normas, o que mostra que as fiscalizações seguem sendo necessárias", destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, no comunicado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;