Fechar
Publicidade

Sábado, 17 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Alshop teme alta no desemprego com fase vermelha em SP e cobra Doria

Marcello Casal Jr/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


03/03/2021 | 15:56


A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) publicou um comunicado à imprensa afirmando que vê com "grande pesar" a migração do Estado de São Paulo para a fase vermelha, com o fechamento do comércio. Além disso, cobrou o governo de João Doria (PSDB) a adotar outras medidas para combater a disseminação do coronavírus.

"O poder público deveria, desde o começo, voltar sua atenção em manter hospitais de campanha, aumentar a testagem, reforçar a oferta de transporte público entre outras medidas, e o que estamos vendo é justamente o contrário", afirmou o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun. "Sabemos que todos os setores estão sendo prejudicados e que precisamos nos unir para vencer esse vírus."

Ele observou que, mesmo com os protocolos de segurança e higiene adotados pela maioria dos lojistas durante a pandemia, a nova restrição vai prejudicar o comércio e os empregos em geral. "O setor já tem sido prejudicado neste último ano, desde o começo da quarentena", declarou o presidente.

"Serão mais duas semanas de comércio fechado, um desespero a mais para os lojistas que estão vivendo dia após dia nesta incerteza. E isso tudo após a aplicação de protocolos de saúde. Tememos pela aceleração do desemprego, principalmente de pequenos lojistas que representam 70% do total dentro de um shopping".

O Governo do Estado de São Paulo determinou hoje a volta de todo o Estado para a fase vermelha a partir do sábado (06). Serão 14 dias de restrição e somente os serviços essenciais como saúde, alimentação e segurança poderão funcionar.

As lojas de shoppings poderão funcionar somente de forma drive thru, para compras feitas em apps e lojas online, mediante horários agendados e a organização de cada empreendimento. Supermercados dentro dos empreendimentos também poderão funcionar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alshop teme alta no desemprego com fase vermelha em SP e cobra Doria


03/03/2021 | 15:56


A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) publicou um comunicado à imprensa afirmando que vê com "grande pesar" a migração do Estado de São Paulo para a fase vermelha, com o fechamento do comércio. Além disso, cobrou o governo de João Doria (PSDB) a adotar outras medidas para combater a disseminação do coronavírus.

"O poder público deveria, desde o começo, voltar sua atenção em manter hospitais de campanha, aumentar a testagem, reforçar a oferta de transporte público entre outras medidas, e o que estamos vendo é justamente o contrário", afirmou o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun. "Sabemos que todos os setores estão sendo prejudicados e que precisamos nos unir para vencer esse vírus."

Ele observou que, mesmo com os protocolos de segurança e higiene adotados pela maioria dos lojistas durante a pandemia, a nova restrição vai prejudicar o comércio e os empregos em geral. "O setor já tem sido prejudicado neste último ano, desde o começo da quarentena", declarou o presidente.

"Serão mais duas semanas de comércio fechado, um desespero a mais para os lojistas que estão vivendo dia após dia nesta incerteza. E isso tudo após a aplicação de protocolos de saúde. Tememos pela aceleração do desemprego, principalmente de pequenos lojistas que representam 70% do total dentro de um shopping".

O Governo do Estado de São Paulo determinou hoje a volta de todo o Estado para a fase vermelha a partir do sábado (06). Serão 14 dias de restrição e somente os serviços essenciais como saúde, alimentação e segurança poderão funcionar.

As lojas de shoppings poderão funcionar somente de forma drive thru, para compras feitas em apps e lojas online, mediante horários agendados e a organização de cada empreendimento. Supermercados dentro dos empreendimentos também poderão funcionar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;