Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Pandemia e valores humanos


Do Diário do Grande ABC

01/03/2021 | 23:59


Pandemia e valores humanos

O isolamento físico a que fomos submetidos por causa da pandemia nos fez repensar ações, valorizar mais ainda a vida, a família, a liberdade, reaprender a cultivar a paciência, a fé e a esperança. Da mesma forma, refletir sobre o comportamento humano. Vivemos em um mundo no qual a diferença socioeconômica graceja de forma escancarada, mas, ironicamente, com a pandemia ficou evidente que a igualdade social se mostrou como solução para uma ameaça invisível. Algo que não respeita fronteiras, entra em todos os lugares sem necessidade de convite, sem medo de armas, de cara feia, de falsas pretensões, arrogância e ignorância. Vírus que exige das pessoas humildes união de esforços, ajuda solidária e a torcida pelo bem-estar individual, porque a saúde de um depende da saúde do outro.

Nunca ficou tão evidente a fragilidade daqueles que se julgam superiores ou intocáveis ao terem de disputar leitos, medicamentos e aparelhos essenciais à vida com aqueles que ignoram. E tendo de obedecer às mesmas regras de isolamento e comportamento, independentemente da marca do carro na garagem ou das casas decimais na conta bancária. E qual a moral que esse momento tão difícil e delicado quer mostrar aos seres humanos? Que o vírus do egoísmo, da vaidade, da ignorância e da falta de empatia pode ser combatido pelo antídoto do amor, da empatia, da benevolência, da união e da caridade. Apenas esse medicamento pode destruir o vírus que nos aniquila. Só ele nos trará a tão sonhada igualdade e eliminará a ameaça da indiferença e, ao mesmo tempo, nos permitirá repensar nossas crenças e valores.

No entanto, só os corajosos farão uso. A contraindicação pode ser amarga e provocar dor insuportável, que virá de algum lugar do nosso íntimo. Para passar, e surtir o efeito desejado, temos de aprender a amar a nossa companhia e a do nosso próximo, a ouvir mais, desacelerar nosso ritmo, valorizar fatos antes imperceptíveis, aproveitar melhor o tempo, agradecer a vida que temos e, acima de tudo, saber que somos seres sociáveis, portanto, temos de aprender a não querer só para nós, temos de aprender a dividir e a somar, a valorizar a nossa identidade que as posses materiais, a pôr em prática os princípios de solidariedade e caridade com que norteiam nossa existência. Infelizmente, há pessoas que precisam de holofotes, pois a própria luz não brilha. Só nos resta torcer para que muitas pessoas façam uso dessa medicação, que pode ser usada várias vezes ao dia, pelo resto da vida, e que saiam fortalecidas desta pandemia, renovadas internamente e preparadas para unir forças no intuito de colher os bons frutos, de forma igualitária.


Cida Simka e Sérgio Simka são professores e escritores.


PALAVRA DO LEITOR

Preocupações
Quanto à reportagem ‘Patriani arremata área que pertenceu à Fiação Tognato’ (Política, dia 25), lembramos que somos solidários com as preocupações dos nossos vizinhos de São Bernardo, até porque, o mesmo está a ocorrer na área verde entre a Estrada de Ferro, a Avenida Goiás, a Rua Capibaribe e Tapajós, em São Caetano. É a boiada passando em plena pandemia, como reza a onda atual. Para documentar enviamos abaixo-assinado de moradores, familiares e amigos da nossa vizinhança, que deve estar esquecido em alguma gaveta burocrática, pois até hoje os eleitores e pagadores de tributos, ainda sobreviventes, que o assinaram continuam a aguardar resposta das autoridades. Agradecemos, desde já, as providências que vossa excelência deliberar a respeito!
Benjamin Eurico Cruz Filho
São Caetano


Atitudes
Neste Diário, li na coluna Cena Política, de Raphael Rocha, com o subtítulo ‘Voto de pesar’ (Política, dia 25), a notícia de que a senhora Bruna Biondi, do mandato coletivo Mulheres por Mais Direitos, foi a única a ser contra voto de pesar pelo falecimento do ex-prefeito Luiz Carlos Grecco. As razões apresentadas foram por ter sido ele integrante da Arena e próximo de Paulo Maluf. Na opinião de diversas pessoas em nossa cidade, a atitude da nobre edil é desprovida de respeito, tato político e princípios éticos. As pessoas nas suas atitudes demonstram seus princípios. Como cidadão ribeirão-pirense, lamento o procedimento da vereadora. Talvez ela não o conheceu pessoalmente. Diante da partida física, devemos cessar o ódio e o ranger de dentes.
Octavio David Filho
Ribeirão Pires


PEC da Impunidade
Impressionante como é ágil a Câmara dos Deputados quando trata de assunto de seus próprios interesses. A chamada PEC da impunidade tenta blindar ainda mais os ‘nobres’ parlamentares e, de quebra, também integrantes do Ministério Público, Poder Judiciário e outros. São aproximadamente 60 mil pessoas nesta condição, colocando o Brasil no topo do ranking mundial dessa indecência. O cargo em si não pode servir para proteger sujeitos como o desembargador que humilhou o GCM (Guarda-Civil Municipal) no cumprimento do dever, bem como o deputado ‘bombadão’, ambos travestidos de defensores do povo ou da lei. Bastaram poucos dias de o deputado ser preso que já estava lá a PEC da vergonha, incentivada pelo presidente da Câmara, que tem suas razões para se preocupar com o assunto, sem ao menos cumprir os trâmites normais para sua instalação. Por falar em PEC, onde estão as que tratam da prisão em segunda instância e do fim do foro privilegiado? Estas sim interessam ao País e não a que tentam nos empurrar goela abaixo, em toque de caixa.
Mauri Fontes
Santo André


Empate
Pelo futebol apresentado na primeira rodada do Paulista, acho que o Ramalhão vai brigar para não cair. Empatar com o sub 21 do Santos foi péssimo início.
Sandro Abreu
Santo André


Ignorantes?
Em Brasília, os negacionistas gritam: ‘Lockdown não! Queremos trabalhar’. Os que estão conscientes em como poder voltar a trabalhar gritam: ‘Vacinas já, Vacinas jà! Entenderam ou preciso desenhar?
Tânia Tavares
Capital


É de estarrecer
Levantamento indica que o País vacina só 48% dos acima de 90, mas imuniza 142 mil dos menos prioritários! Absurdo! Dos 893,8 mil idosos nessa faixa etária, diga-se, de maior risco, apenas 436,6 mil foram vacinados. Dos que supostamente furaram a fila, 119,6 mil foram vacinados com idade desde 17 até 74 anos. Também, 118 mil pessoas foram imunizadas sem que fossem de qualquer grupo prioritário. É de estarrecer! Vergonha! Tudo porque temos um medíocre ministro da Saúde, o tal de Eduardo Pazzuello, que, sem capacidade de administrar nada, abandona o comando desta pandemia. Reflexo de presidente como Jair Bolsonaro, que sequer respeita a ciência e menos ainda se interessa salvar vidas.
Paulo David
São Carlos (SP)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pandemia e valores humanos

Do Diário do Grande ABC

01/03/2021 | 23:59


Pandemia e valores humanos

O isolamento físico a que fomos submetidos por causa da pandemia nos fez repensar ações, valorizar mais ainda a vida, a família, a liberdade, reaprender a cultivar a paciência, a fé e a esperança. Da mesma forma, refletir sobre o comportamento humano. Vivemos em um mundo no qual a diferença socioeconômica graceja de forma escancarada, mas, ironicamente, com a pandemia ficou evidente que a igualdade social se mostrou como solução para uma ameaça invisível. Algo que não respeita fronteiras, entra em todos os lugares sem necessidade de convite, sem medo de armas, de cara feia, de falsas pretensões, arrogância e ignorância. Vírus que exige das pessoas humildes união de esforços, ajuda solidária e a torcida pelo bem-estar individual, porque a saúde de um depende da saúde do outro.

Nunca ficou tão evidente a fragilidade daqueles que se julgam superiores ou intocáveis ao terem de disputar leitos, medicamentos e aparelhos essenciais à vida com aqueles que ignoram. E tendo de obedecer às mesmas regras de isolamento e comportamento, independentemente da marca do carro na garagem ou das casas decimais na conta bancária. E qual a moral que esse momento tão difícil e delicado quer mostrar aos seres humanos? Que o vírus do egoísmo, da vaidade, da ignorância e da falta de empatia pode ser combatido pelo antídoto do amor, da empatia, da benevolência, da união e da caridade. Apenas esse medicamento pode destruir o vírus que nos aniquila. Só ele nos trará a tão sonhada igualdade e eliminará a ameaça da indiferença e, ao mesmo tempo, nos permitirá repensar nossas crenças e valores.

No entanto, só os corajosos farão uso. A contraindicação pode ser amarga e provocar dor insuportável, que virá de algum lugar do nosso íntimo. Para passar, e surtir o efeito desejado, temos de aprender a amar a nossa companhia e a do nosso próximo, a ouvir mais, desacelerar nosso ritmo, valorizar fatos antes imperceptíveis, aproveitar melhor o tempo, agradecer a vida que temos e, acima de tudo, saber que somos seres sociáveis, portanto, temos de aprender a não querer só para nós, temos de aprender a dividir e a somar, a valorizar a nossa identidade que as posses materiais, a pôr em prática os princípios de solidariedade e caridade com que norteiam nossa existência. Infelizmente, há pessoas que precisam de holofotes, pois a própria luz não brilha. Só nos resta torcer para que muitas pessoas façam uso dessa medicação, que pode ser usada várias vezes ao dia, pelo resto da vida, e que saiam fortalecidas desta pandemia, renovadas internamente e preparadas para unir forças no intuito de colher os bons frutos, de forma igualitária.


Cida Simka e Sérgio Simka são professores e escritores.


PALAVRA DO LEITOR

Preocupações
Quanto à reportagem ‘Patriani arremata área que pertenceu à Fiação Tognato’ (Política, dia 25), lembramos que somos solidários com as preocupações dos nossos vizinhos de São Bernardo, até porque, o mesmo está a ocorrer na área verde entre a Estrada de Ferro, a Avenida Goiás, a Rua Capibaribe e Tapajós, em São Caetano. É a boiada passando em plena pandemia, como reza a onda atual. Para documentar enviamos abaixo-assinado de moradores, familiares e amigos da nossa vizinhança, que deve estar esquecido em alguma gaveta burocrática, pois até hoje os eleitores e pagadores de tributos, ainda sobreviventes, que o assinaram continuam a aguardar resposta das autoridades. Agradecemos, desde já, as providências que vossa excelência deliberar a respeito!
Benjamin Eurico Cruz Filho
São Caetano


Atitudes
Neste Diário, li na coluna Cena Política, de Raphael Rocha, com o subtítulo ‘Voto de pesar’ (Política, dia 25), a notícia de que a senhora Bruna Biondi, do mandato coletivo Mulheres por Mais Direitos, foi a única a ser contra voto de pesar pelo falecimento do ex-prefeito Luiz Carlos Grecco. As razões apresentadas foram por ter sido ele integrante da Arena e próximo de Paulo Maluf. Na opinião de diversas pessoas em nossa cidade, a atitude da nobre edil é desprovida de respeito, tato político e princípios éticos. As pessoas nas suas atitudes demonstram seus princípios. Como cidadão ribeirão-pirense, lamento o procedimento da vereadora. Talvez ela não o conheceu pessoalmente. Diante da partida física, devemos cessar o ódio e o ranger de dentes.
Octavio David Filho
Ribeirão Pires


PEC da Impunidade
Impressionante como é ágil a Câmara dos Deputados quando trata de assunto de seus próprios interesses. A chamada PEC da impunidade tenta blindar ainda mais os ‘nobres’ parlamentares e, de quebra, também integrantes do Ministério Público, Poder Judiciário e outros. São aproximadamente 60 mil pessoas nesta condição, colocando o Brasil no topo do ranking mundial dessa indecência. O cargo em si não pode servir para proteger sujeitos como o desembargador que humilhou o GCM (Guarda-Civil Municipal) no cumprimento do dever, bem como o deputado ‘bombadão’, ambos travestidos de defensores do povo ou da lei. Bastaram poucos dias de o deputado ser preso que já estava lá a PEC da vergonha, incentivada pelo presidente da Câmara, que tem suas razões para se preocupar com o assunto, sem ao menos cumprir os trâmites normais para sua instalação. Por falar em PEC, onde estão as que tratam da prisão em segunda instância e do fim do foro privilegiado? Estas sim interessam ao País e não a que tentam nos empurrar goela abaixo, em toque de caixa.
Mauri Fontes
Santo André


Empate
Pelo futebol apresentado na primeira rodada do Paulista, acho que o Ramalhão vai brigar para não cair. Empatar com o sub 21 do Santos foi péssimo início.
Sandro Abreu
Santo André


Ignorantes?
Em Brasília, os negacionistas gritam: ‘Lockdown não! Queremos trabalhar’. Os que estão conscientes em como poder voltar a trabalhar gritam: ‘Vacinas já, Vacinas jà! Entenderam ou preciso desenhar?
Tânia Tavares
Capital


É de estarrecer
Levantamento indica que o País vacina só 48% dos acima de 90, mas imuniza 142 mil dos menos prioritários! Absurdo! Dos 893,8 mil idosos nessa faixa etária, diga-se, de maior risco, apenas 436,6 mil foram vacinados. Dos que supostamente furaram a fila, 119,6 mil foram vacinados com idade desde 17 até 74 anos. Também, 118 mil pessoas foram imunizadas sem que fossem de qualquer grupo prioritário. É de estarrecer! Vergonha! Tudo porque temos um medíocre ministro da Saúde, o tal de Eduardo Pazzuello, que, sem capacidade de administrar nada, abandona o comando desta pandemia. Reflexo de presidente como Jair Bolsonaro, que sequer respeita a ciência e menos ainda se interessa salvar vidas.
Paulo David
São Carlos (SP)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;