Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Reali esconde valor para evitar rejeição

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

06/08/2011 | 07:27


A proposta definitiva da Prefeitura de Diadema ao funcionalismo público será encaminhada ao Sindicato dos Servidores Públicos poucas horas antes da assembleia sindical, marcada para segunda-feira, às 17h30. A estratégia da administração Mário Reali (PT) é evitar novas especulações em torno do valor e eliminar possibilidade de contrapropostas da categoria.

O percentual foi definido por Reali, que mantém o número em absoluto sigilo. Apenas alguns secretários conhecem a nova oferta, entre eles estão Osvaldo Misso (Gabinete), Airton Germano (Assuntos Jurídicos), João Garavelo (Gestão de Pessoas) e Adelaide Moraes (Finanças).

Reali evitou comentar sobre a negociação com o sindicato. Mas ressaltou não querer repetir o imbróglio do início da campanha salarial do funcionalismo, que culminou com greve de 23 dias, a maior da história de Diadema. "Quero conversar depois de fechar negociação. Quero que chegue a um consenso."

A última proposta de Reali foi de 12,46%, fracionados em cinco bimestres, mais abono salarial de R$ 300. O governo justificou que trabalha no limite de gastos com a folha salarial e que, se majorasse a oferta, poderia estourar o teto prudencial estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, de 51,3%.

No mês passado, o Sindema realizou estudo em contratos na área da Saúde, Educação e de terceirizações fornecidos pela Prefeitura e alegou haver R$ 6,4 milhões em sobra de receita que poderiam ser despendidos no reajuste salarial. Segundo a entidade, a administração concordou que há R$ 3,4 milhões superestimados em acordos da Prefeitura.

Há duas semanas, durante a realização da última plenária do Orçamento Participativo promovido pelo Paço, o chefe de Gabinete, Osvaldo Misso (PT), tratou de reduzir as expectativas dos servidores. "A proposta não vai ser muito grande. Não tem espaço para aumentar, estamos no limite. Diria que é quase nada. Só faremos outra oferta para não ficar com a mesma proposta. Isso se não for a mesma proposta."

Presidente do sindicato, Jandyra Uehara Alves afirmou que o funcionalismo não irá aceitar propostas similares à última oferecida. "Mostramos que há como aumentar substancialmente o reajuste. Se não falarem valores razoáveis, vamos deixar o caso ser julgado pelo Tribunal (Regional do Trabalho)", comentou.

O TRT foi responsável por orientar pelo fim da greve e determinou a criação de rodada de negociações entre as partes. As conversas têm de ser encerradas até segunda-feira.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reali esconde valor para evitar rejeição

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

06/08/2011 | 07:27


A proposta definitiva da Prefeitura de Diadema ao funcionalismo público será encaminhada ao Sindicato dos Servidores Públicos poucas horas antes da assembleia sindical, marcada para segunda-feira, às 17h30. A estratégia da administração Mário Reali (PT) é evitar novas especulações em torno do valor e eliminar possibilidade de contrapropostas da categoria.

O percentual foi definido por Reali, que mantém o número em absoluto sigilo. Apenas alguns secretários conhecem a nova oferta, entre eles estão Osvaldo Misso (Gabinete), Airton Germano (Assuntos Jurídicos), João Garavelo (Gestão de Pessoas) e Adelaide Moraes (Finanças).

Reali evitou comentar sobre a negociação com o sindicato. Mas ressaltou não querer repetir o imbróglio do início da campanha salarial do funcionalismo, que culminou com greve de 23 dias, a maior da história de Diadema. "Quero conversar depois de fechar negociação. Quero que chegue a um consenso."

A última proposta de Reali foi de 12,46%, fracionados em cinco bimestres, mais abono salarial de R$ 300. O governo justificou que trabalha no limite de gastos com a folha salarial e que, se majorasse a oferta, poderia estourar o teto prudencial estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, de 51,3%.

No mês passado, o Sindema realizou estudo em contratos na área da Saúde, Educação e de terceirizações fornecidos pela Prefeitura e alegou haver R$ 6,4 milhões em sobra de receita que poderiam ser despendidos no reajuste salarial. Segundo a entidade, a administração concordou que há R$ 3,4 milhões superestimados em acordos da Prefeitura.

Há duas semanas, durante a realização da última plenária do Orçamento Participativo promovido pelo Paço, o chefe de Gabinete, Osvaldo Misso (PT), tratou de reduzir as expectativas dos servidores. "A proposta não vai ser muito grande. Não tem espaço para aumentar, estamos no limite. Diria que é quase nada. Só faremos outra oferta para não ficar com a mesma proposta. Isso se não for a mesma proposta."

Presidente do sindicato, Jandyra Uehara Alves afirmou que o funcionalismo não irá aceitar propostas similares à última oferecida. "Mostramos que há como aumentar substancialmente o reajuste. Se não falarem valores razoáveis, vamos deixar o caso ser julgado pelo Tribunal (Regional do Trabalho)", comentou.

O TRT foi responsável por orientar pelo fim da greve e determinou a criação de rodada de negociações entre as partes. As conversas têm de ser encerradas até segunda-feira.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;