Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Luiz diz que morte de Batata travou negociação


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

06/08/2011 | 07:24


O goleiro Luiz afastou as especulações e garantiu ontem que não está de saída. Há nove anos no São Caetano - tem vínculo até dezembro -, o jogador segue com futuro indefinido, pois o clube ainda não acenou com proposta concreta de renovação.

O afastamento do camisa um por causa de lesão na panturrilha direita, gerou nos últimos dias rumores de que já estaria acertando transferência para outra agremiação. Por lei, seis meses antes do encerramento de contrato, os atletas podem fazer pré-acordo com outros clubes. "Não negocio com ninguém no momento. Surgiram sondagens, mas nada oficial. Minha intenção é seguir no clube. No momento penso apenas em me recuperar e ajudar o time."

Segundo Luiz, a morte do vice-presidente de futebol Luiz de Paula, o Batata - assassinado ao lado do irmão há pouco mais de um mês em circunstâncias ainda não esclarecidas pela Polícia -, esfriaram as negociações.

Conforme o goleiro, ele e o dirigente morto já haviam conversado sobre a renovação de contrato, mas agora está "tudo parado". "Agora é o Leal (Genivaldo Leal, diretor de futebol) que está no lugar do Batata. Até já tivemos uma conversa e parece que houve o interesse de que eu fique. Tenho intenção renovar. Ainda falta a gente marcar mais uma reunião para ver como fica."

Ídolo da torcida, Luiz quer conquistar o acesso com o clube este ano. O São Caetano está na zona de rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos.

Há cinco anos o clube persegue o retorno à elite do nacional. Para Luiz, com o elenco que tem, o Azulão não poderia estar na atual situação.

Perguntado sobre o que estaria acontecendo, já que em sua avaliação, o clube possui um dos melhores elencos já montados para o torneio, analisou. "É um dos melhores dos últimos tempos, porque hoje temos jogadores com qualidade até na reserva. Mas isso não pode ficar no papel. Creio que esteja faltando humildade. Todos precisam entender que até atacante tem de ajudar na marcação. As outras equipes fazem isso, se não fizermos, fica difícil."

A equipe, que recentemente ganhou mais dois reforços, o lateral-direito Elder Granja e o atacante Ricardo Xavier, apresentados anteontem, recebe o Goiás, terça-feira, no Anacleto Campanella.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Luiz diz que morte de Batata travou negociação

Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

06/08/2011 | 07:24


O goleiro Luiz afastou as especulações e garantiu ontem que não está de saída. Há nove anos no São Caetano - tem vínculo até dezembro -, o jogador segue com futuro indefinido, pois o clube ainda não acenou com proposta concreta de renovação.

O afastamento do camisa um por causa de lesão na panturrilha direita, gerou nos últimos dias rumores de que já estaria acertando transferência para outra agremiação. Por lei, seis meses antes do encerramento de contrato, os atletas podem fazer pré-acordo com outros clubes. "Não negocio com ninguém no momento. Surgiram sondagens, mas nada oficial. Minha intenção é seguir no clube. No momento penso apenas em me recuperar e ajudar o time."

Segundo Luiz, a morte do vice-presidente de futebol Luiz de Paula, o Batata - assassinado ao lado do irmão há pouco mais de um mês em circunstâncias ainda não esclarecidas pela Polícia -, esfriaram as negociações.

Conforme o goleiro, ele e o dirigente morto já haviam conversado sobre a renovação de contrato, mas agora está "tudo parado". "Agora é o Leal (Genivaldo Leal, diretor de futebol) que está no lugar do Batata. Até já tivemos uma conversa e parece que houve o interesse de que eu fique. Tenho intenção renovar. Ainda falta a gente marcar mais uma reunião para ver como fica."

Ídolo da torcida, Luiz quer conquistar o acesso com o clube este ano. O São Caetano está na zona de rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos.

Há cinco anos o clube persegue o retorno à elite do nacional. Para Luiz, com o elenco que tem, o Azulão não poderia estar na atual situação.

Perguntado sobre o que estaria acontecendo, já que em sua avaliação, o clube possui um dos melhores elencos já montados para o torneio, analisou. "É um dos melhores dos últimos tempos, porque hoje temos jogadores com qualidade até na reserva. Mas isso não pode ficar no papel. Creio que esteja faltando humildade. Todos precisam entender que até atacante tem de ajudar na marcação. As outras equipes fazem isso, se não fizermos, fica difícil."

A equipe, que recentemente ganhou mais dois reforços, o lateral-direito Elder Granja e o atacante Ricardo Xavier, apresentados anteontem, recebe o Goiás, terça-feira, no Anacleto Campanella.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;