Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 12 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Clubhouse: Kaspersky alerta para possíveis golpes sobre o app

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação, com assessoria
Do 33Giga

26/02/2021 | 14:18


Muitos usuários estão curiosos sobre as funcionalidades do aplicativo do momento, o Clubhouse. Mas antes de experimentar a novidade, é importante ficar atento. Como todo assunto que atrai a atenção do público, a nova rede social também pode estar na mira dos hackers para a disseminação de malware e invasão de privacidade. É o que alerta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

“Observo, em princípio, duas possibilidades de ciberataques relacionados ao Clubhouse: a venda de convites e os aplicativos falsos. No primeiro caso, trata-se simplesmente de uma pequena monetização. O segundo cenário é mais sério”, afirma o analista.

Leia mais:
Clubhouse: entenda como funciona a rede social exclusiva para áudios
Clubhouse: aprenda a editar seus assuntos de interesse

Segundo Fabio, é provável que cibercriminosos estejam criando versões fraudulentas do aplicativo para disfarçar programas maliciosos. Um exemplo seria um app falso para Android – uma vez que o Clubhouse só está disponível, no momento, para sistema iOS. “Se o usuário instalar essa versão falsa, ele pode dar ao cibercriminoso acesso às configurações de segurança de seu dispositivo, como permitir acesso à localização aproximada ou exata do aparelho móvel, gravar áudio e vídeo, invadir apps de mensagens, entre outros.”

O analista alerta ainda para outra manobra que, apesar de menos comum, também é possível de ser explorada por hackers. “Se os invasores conseguirem implementar no arquivo malicioso a capacidade de gravar áudio, e se esse recurso for permitido no dispositivo, eles poderão usar gravações de alta qualidade para treinar algoritmos de aprendizado de máquina e criar falsificações mais sofisticadas.”

Por isso, Fabio recomenda que “a melhor maneira de se manter seguro é ficar atento ao que é baixado e manter as configurações de segurança apropriadas em seu aparelho móvel”.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Para proteger as informações de seus dispositivos móveis, a Kaspersky também indica:

– Não baixar apps de mensagens ou outros programas de fontes externas. Use apenas lojas de aplicativos oficiais;

– Se possível, informe-se sobre o contrato do usuário. Existem situações em que o desenvolvedor do aplicativo informa abertamente que pode compartilhar os seus dados com terceiros;

– Não acesse links suspeitos, mesmo que tenham sido enviados por pessoas de confiança;

– Tenha uma solução de segurança instalada em seu dispositivo;

– Preste atenção às permissões solicitadas pelos aplicativos baixados. Se a permissão não for necessária para o pleno funcionamento do aplicativo, é preciso ter cuidado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Clubhouse: Kaspersky alerta para possíveis golpes sobre o app

Da Redação, com assessoria
Do 33Giga

26/02/2021 | 14:18


Muitos usuários estão curiosos sobre as funcionalidades do aplicativo do momento, o Clubhouse. Mas antes de experimentar a novidade, é importante ficar atento. Como todo assunto que atrai a atenção do público, a nova rede social também pode estar na mira dos hackers para a disseminação de malware e invasão de privacidade. É o que alerta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

“Observo, em princípio, duas possibilidades de ciberataques relacionados ao Clubhouse: a venda de convites e os aplicativos falsos. No primeiro caso, trata-se simplesmente de uma pequena monetização. O segundo cenário é mais sério”, afirma o analista.

Leia mais:
Clubhouse: entenda como funciona a rede social exclusiva para áudios
Clubhouse: aprenda a editar seus assuntos de interesse

Segundo Fabio, é provável que cibercriminosos estejam criando versões fraudulentas do aplicativo para disfarçar programas maliciosos. Um exemplo seria um app falso para Android – uma vez que o Clubhouse só está disponível, no momento, para sistema iOS. “Se o usuário instalar essa versão falsa, ele pode dar ao cibercriminoso acesso às configurações de segurança de seu dispositivo, como permitir acesso à localização aproximada ou exata do aparelho móvel, gravar áudio e vídeo, invadir apps de mensagens, entre outros.”

O analista alerta ainda para outra manobra que, apesar de menos comum, também é possível de ser explorada por hackers. “Se os invasores conseguirem implementar no arquivo malicioso a capacidade de gravar áudio, e se esse recurso for permitido no dispositivo, eles poderão usar gravações de alta qualidade para treinar algoritmos de aprendizado de máquina e criar falsificações mais sofisticadas.”

Por isso, Fabio recomenda que “a melhor maneira de se manter seguro é ficar atento ao que é baixado e manter as configurações de segurança apropriadas em seu aparelho móvel”.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Para proteger as informações de seus dispositivos móveis, a Kaspersky também indica:

– Não baixar apps de mensagens ou outros programas de fontes externas. Use apenas lojas de aplicativos oficiais;

– Se possível, informe-se sobre o contrato do usuário. Existem situações em que o desenvolvedor do aplicativo informa abertamente que pode compartilhar os seus dados com terceiros;

– Não acesse links suspeitos, mesmo que tenham sido enviados por pessoas de confiança;

– Tenha uma solução de segurança instalada em seu dispositivo;

– Preste atenção às permissões solicitadas pelos aplicativos baixados. Se a permissão não for necessária para o pleno funcionamento do aplicativo, é preciso ter cuidado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;