Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Comércio lidera ao contratar 792 mil trabalhadores em um trimestre, diz IBGE



26/02/2021 | 11:43


O comércio foi o setor que liderou a criação de vagas no trimestre encerrado em dezembro de 2020, com 792 mil admissões em relação ao trimestre terminado em setembro, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira, 26, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A reação não veio apenas do comércio. Todas as atividades mostraram uma reação da sua população ocupada. Isso pode estar relacionado não só à sazonalidade, mas também ao represamento que houve ao longo do ano. Por isso, essas atividades acabam mostrando expansão", avaliou Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Na passagem do trimestre terminado em setembro para o trimestre encerrado em dezembro houve geração de vagas em todas as atividades: outros serviços (234 mil ocupados), indústria (333 mil), alojamento e alimentação (249 mil), transporte (155 mil), agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (280 mil), construção (296 mil), serviços domésticos (314 mil), informação, comunicação e atividades financeiras (573 mil) e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (468 mil).

Em relação ao patamar de um ano antes, a agricultura ganhou 226 mil trabalhadores, e a administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais contratou 112 mil trabalhadores a mais.

Houve perdas em todas as demais atividades. A construção demitiu 803 mil, o comércio dispensou 1,971 milhão. Alojamento e alimentação fechou 1,569 milhão de vagas, e serviços domésticos perderam 1,423 milhão de trabalhadores.

A indústria dispensou 1,251 milhão de funcionários, enquanto o setor de informação, comunicação e atividades financeiras demitiu 125 mil. Transporte perdeu 627 mil vagas, e outros serviços demitiram 955 mil pessoas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Comércio lidera ao contratar 792 mil trabalhadores em um trimestre, diz IBGE


26/02/2021 | 11:43


O comércio foi o setor que liderou a criação de vagas no trimestre encerrado em dezembro de 2020, com 792 mil admissões em relação ao trimestre terminado em setembro, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira, 26, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A reação não veio apenas do comércio. Todas as atividades mostraram uma reação da sua população ocupada. Isso pode estar relacionado não só à sazonalidade, mas também ao represamento que houve ao longo do ano. Por isso, essas atividades acabam mostrando expansão", avaliou Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Na passagem do trimestre terminado em setembro para o trimestre encerrado em dezembro houve geração de vagas em todas as atividades: outros serviços (234 mil ocupados), indústria (333 mil), alojamento e alimentação (249 mil), transporte (155 mil), agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (280 mil), construção (296 mil), serviços domésticos (314 mil), informação, comunicação e atividades financeiras (573 mil) e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (468 mil).

Em relação ao patamar de um ano antes, a agricultura ganhou 226 mil trabalhadores, e a administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais contratou 112 mil trabalhadores a mais.

Houve perdas em todas as demais atividades. A construção demitiu 803 mil, o comércio dispensou 1,971 milhão. Alojamento e alimentação fechou 1,569 milhão de vagas, e serviços domésticos perderam 1,423 milhão de trabalhadores.

A indústria dispensou 1,251 milhão de funcionários, enquanto o setor de informação, comunicação e atividades financeiras demitiu 125 mil. Transporte perdeu 627 mil vagas, e outros serviços demitiram 955 mil pessoas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;