Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA: Senado debate aumento de salário mínimo para US$ 15 por hora



25/02/2021 | 21:24


O Congresso dos Estados Unidos espera na quinta-feira, 25, que o Senado pondere se as regras do legislativo permitiriam aos democratas aumentar o salário mínimo nacional para US$ 15 a hora como parte do pacote de alívio por conta da covid-19 de US$ 1,9 trilhão do presidente Joe Biden.

A decisão da senadora Elizabeth MacDonough abrirá palco para um intenso debate sobre como proceder na disposição contenciosa. Os democratas, que não podem se dar ao luxo de perder um único voto entre suas próprias fileiras para aprovar o projeto de lei em um Senado igualmente dividido, se dividiram quanto à pressão para aumentar o salário mínimo.

"Estamos esperando, como todos nós, ouvir os parlamentares do Senado sobre o que acontecerá com a peça do salário mínimo da legislação", afirmou a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, a jornalistas na quinta-feira. "Sinto que temos um argumento muito, muito forte e temos uma necessidade muito grande em nosso país de aprovar o salário mínimo".

A Câmara deve aprovar o projeto na sexta-feira, antes de enviá-lo ao Senado. Se o projeto for alterado na Câmara alta, precisará ser aprovado entre os deputados novamente antes de ir para a Casa Branca.

O aumento do salário mínimo é a questão mais controversa no pacote de ajuda, que os democratas apoiam amplamente. O pacote também proporcionaria um pagamento de US$ 1.400 a muitos americanos; estender e aumentar a assistência federal ao desemprego; enviar US$350 bilhões em ajuda aos governos estaduais e locais; e injetar novos fundos na distribuição de vacinas, cupons de alimentação e escolas.

Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA: Senado debate aumento de salário mínimo para US$ 15 por hora


25/02/2021 | 21:24


O Congresso dos Estados Unidos espera na quinta-feira, 25, que o Senado pondere se as regras do legislativo permitiriam aos democratas aumentar o salário mínimo nacional para US$ 15 a hora como parte do pacote de alívio por conta da covid-19 de US$ 1,9 trilhão do presidente Joe Biden.

A decisão da senadora Elizabeth MacDonough abrirá palco para um intenso debate sobre como proceder na disposição contenciosa. Os democratas, que não podem se dar ao luxo de perder um único voto entre suas próprias fileiras para aprovar o projeto de lei em um Senado igualmente dividido, se dividiram quanto à pressão para aumentar o salário mínimo.

"Estamos esperando, como todos nós, ouvir os parlamentares do Senado sobre o que acontecerá com a peça do salário mínimo da legislação", afirmou a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, a jornalistas na quinta-feira. "Sinto que temos um argumento muito, muito forte e temos uma necessidade muito grande em nosso país de aprovar o salário mínimo".

A Câmara deve aprovar o projeto na sexta-feira, antes de enviá-lo ao Senado. Se o projeto for alterado na Câmara alta, precisará ser aprovado entre os deputados novamente antes de ir para a Casa Branca.

O aumento do salário mínimo é a questão mais controversa no pacote de ajuda, que os democratas apoiam amplamente. O pacote também proporcionaria um pagamento de US$ 1.400 a muitos americanos; estender e aumentar a assistência federal ao desemprego; enviar US$350 bilhões em ajuda aos governos estaduais e locais; e injetar novos fundos na distribuição de vacinas, cupons de alimentação e escolas.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;