Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Honduras fechará 76 empresas financeiras ilegais


Do Diário do Grande ABC

24/03/2000 | 11:13


O governo de Honduras anunciou que fechará 76 empresas financeiras por operarem ilegalmente no país. O Estado informou ainda que apenas 13 dessas instituiçoes têm autorizaçao para funcionar. ``Essas empresas nao possuem um capital legal mínimo de US$ 4,5 milhoes. A medida será aplicada para proteger o povo'', disse o chefe da Comissao de Finanças da Justiça, Rolando Cárdenas.

``As financeiras captaram cerca de US$ 6,8 milhoes em depósitos públicos por oferecerem taxas superiores aos 34%, média adotada pelo mercado nacional. Os interesses os liquidam em um período de seis meses ou dois anos'', explicou Cárdenas, um dos 67 deputados do Partido Liberal, que controla o Congresso.

Segundo ele, o caso afeta 22 bancos privados do sistema nacional. ``O governo ordenou que as financeiras ilegais entrem rapidamente em um processo de autoliquidaçao, que será supervisado pelo Banco Central'', contou Cárdenas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Honduras fechará 76 empresas financeiras ilegais

Do Diário do Grande ABC

24/03/2000 | 11:13


O governo de Honduras anunciou que fechará 76 empresas financeiras por operarem ilegalmente no país. O Estado informou ainda que apenas 13 dessas instituiçoes têm autorizaçao para funcionar. ``Essas empresas nao possuem um capital legal mínimo de US$ 4,5 milhoes. A medida será aplicada para proteger o povo'', disse o chefe da Comissao de Finanças da Justiça, Rolando Cárdenas.

``As financeiras captaram cerca de US$ 6,8 milhoes em depósitos públicos por oferecerem taxas superiores aos 34%, média adotada pelo mercado nacional. Os interesses os liquidam em um período de seis meses ou dois anos'', explicou Cárdenas, um dos 67 deputados do Partido Liberal, que controla o Congresso.

Segundo ele, o caso afeta 22 bancos privados do sistema nacional. ``O governo ordenou que as financeiras ilegais entrem rapidamente em um processo de autoliquidaçao, que será supervisado pelo Banco Central'', contou Cárdenas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;