Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estado estuda ampliação do Bom Prato em Santo André

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Secretária de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou unidade do Centro


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

18/02/2021 | 13:05


A secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou na manhã desta quinta-feira (18), a unidade do Bom Prato de Santo André, no Centro, para discutir com o prefeito Paulo Serra (PSDB) e o secretário de Assistência Social Marcelo Delsir da Silva a ampliação do serviço na cidade.

O projeto da prefeitura é transferir o espaço, localizado na Rua General Glicério, 710, para dois galpões em frente, nos números 707 717, onde hoje funciona uma loja de carros, ao lado de um prédio desativado. O investimento estimado gira em torno de R$ 750 mil a R$ 1 milhão, mais o custo de alimentação, dependendo do acordo firmado entre o estado e o município.

A secretaria estadual reforçou que sua visita teve como objetivo observar a qualidade do restaurante. “Além de observar todas as questões de funcionamento, precisamos pensar eventualmente nas questões de ampliação para um local que dê condições para que as pessoas venham se alimentar com toda a qualidade que merecem”, pontuou, sem deixar formalizado o aval para a reforma.

Célia disse ainda que a mudança se faz necessária devido a estrutura antiga do local, em funcionamento há 19 anos. “(a ampliação do espaço) É justamente pensando no pós-pandemia, quando os restaurantes já estiverem abertos, e que possam se alimentar ali. O Bom Preto vem ampliando em 60% o número de refeições em Santo André, como um reconhecimento dessa demanda de segurança alimentar justamente nesse período de pandemia”, explicou.

O prefeito Paulo Serra destacou a quantidade refeições servidas, sendo 200 cafés da manhã, das 7h30 às 9h, ao custo de R$ 0,50; 1.400 almoços, das 10h30 às 14h; e 300 jantares, das 17h15 às 9h, que foram implementados por conta da pandemia da Covid -- ambas as refeições custam ao munícipe R$ 1. “O que buscamos aqui é melhorar esse equipamento, e também temos um pedido em negociação de ter o segundo Bom Prato, na Vila Luzita”, afirmou o chefe do Paço, reforçando que, por conta do novo coronavirus, o espaço não está recebendo a população para refeição local, somente distribuindo as marmitas. Até março do ano passado o equipamento, com cerca de 300 m 2, comportava 130 pessoas sentadas.

Secretário de Assistência Social, Marcelo Delsir da Silva explicou que o novo espaço tem 750m² com 600m² de área construída, podendo, além de recepcionar a população para alimentação em maior escala, poderia ainda abrigar funcionários administrativos e, diferentemente do que ocorre hoje, a fila para entrada no restaurante -- que hoje fica na rua -- poderia se formar em ambiente coberto. “As pessoas poderão ficar fora do sol, da chuva, e ter mais conforto. Além disso, nosso público maior é de idosos, e pessoas que trabalham no entorno”, contou o chefe da pasta, explicando que com a ampliação haverá mais comodidade.

Ainda de acordo com o secretário, a unidade pleiteada para Vila Luzita deve cobrir alimentação de cerca de 150 moradores em situação de rua que vivem naquela área , além de que o local reúne cerca de 20% dos munícipes em vulnerabilidade de Santo André.

VISTORIA
A secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou também o centro de acolhimento emergencial, montado no setor G do estádio Bruno Daniel, além da obra do novo espaço de atendimento social, localizado na Vila Luzita, onde será instalado o CRAS, CREAS, Conselho Tutelar, além de uma extensão do Centro POP com triagem de pessoas em situação de rua. Haverá ainda alojamento de emergência, além de canil para os pets de companhia dos moradores de rua. A proposta é de que o local se torne o maior equipamento de atendimento assistencial do Grande ABC, conforme anunciou o secretário Marcelo Delsir.

A estimativa da Prefeitura é de que o local seja entregue ainda no segundo semestre deste ano  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado estuda ampliação do Bom Prato em Santo André

Secretária de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou unidade do Centro

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

18/02/2021 | 13:05


A secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou na manhã desta quinta-feira (18), a unidade do Bom Prato de Santo André, no Centro, para discutir com o prefeito Paulo Serra (PSDB) e o secretário de Assistência Social Marcelo Delsir da Silva a ampliação do serviço na cidade.

O projeto da prefeitura é transferir o espaço, localizado na Rua General Glicério, 710, para dois galpões em frente, nos números 707 717, onde hoje funciona uma loja de carros, ao lado de um prédio desativado. O investimento estimado gira em torno de R$ 750 mil a R$ 1 milhão, mais o custo de alimentação, dependendo do acordo firmado entre o estado e o município.

A secretaria estadual reforçou que sua visita teve como objetivo observar a qualidade do restaurante. “Além de observar todas as questões de funcionamento, precisamos pensar eventualmente nas questões de ampliação para um local que dê condições para que as pessoas venham se alimentar com toda a qualidade que merecem”, pontuou, sem deixar formalizado o aval para a reforma.

Célia disse ainda que a mudança se faz necessária devido a estrutura antiga do local, em funcionamento há 19 anos. “(a ampliação do espaço) É justamente pensando no pós-pandemia, quando os restaurantes já estiverem abertos, e que possam se alimentar ali. O Bom Preto vem ampliando em 60% o número de refeições em Santo André, como um reconhecimento dessa demanda de segurança alimentar justamente nesse período de pandemia”, explicou.

O prefeito Paulo Serra destacou a quantidade refeições servidas, sendo 200 cafés da manhã, das 7h30 às 9h, ao custo de R$ 0,50; 1.400 almoços, das 10h30 às 14h; e 300 jantares, das 17h15 às 9h, que foram implementados por conta da pandemia da Covid -- ambas as refeições custam ao munícipe R$ 1. “O que buscamos aqui é melhorar esse equipamento, e também temos um pedido em negociação de ter o segundo Bom Prato, na Vila Luzita”, afirmou o chefe do Paço, reforçando que, por conta do novo coronavirus, o espaço não está recebendo a população para refeição local, somente distribuindo as marmitas. Até março do ano passado o equipamento, com cerca de 300 m 2, comportava 130 pessoas sentadas.

Secretário de Assistência Social, Marcelo Delsir da Silva explicou que o novo espaço tem 750m² com 600m² de área construída, podendo, além de recepcionar a população para alimentação em maior escala, poderia ainda abrigar funcionários administrativos e, diferentemente do que ocorre hoje, a fila para entrada no restaurante -- que hoje fica na rua -- poderia se formar em ambiente coberto. “As pessoas poderão ficar fora do sol, da chuva, e ter mais conforto. Além disso, nosso público maior é de idosos, e pessoas que trabalham no entorno”, contou o chefe da pasta, explicando que com a ampliação haverá mais comodidade.

Ainda de acordo com o secretário, a unidade pleiteada para Vila Luzita deve cobrir alimentação de cerca de 150 moradores em situação de rua que vivem naquela área , além de que o local reúne cerca de 20% dos munícipes em vulnerabilidade de Santo André.

VISTORIA
A secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, Célia Parnes, visitou também o centro de acolhimento emergencial, montado no setor G do estádio Bruno Daniel, além da obra do novo espaço de atendimento social, localizado na Vila Luzita, onde será instalado o CRAS, CREAS, Conselho Tutelar, além de uma extensão do Centro POP com triagem de pessoas em situação de rua. Haverá ainda alojamento de emergência, além de canil para os pets de companhia dos moradores de rua. A proposta é de que o local se torne o maior equipamento de atendimento assistencial do Grande ABC, conforme anunciou o secretário Marcelo Delsir.

A estimativa da Prefeitura é de que o local seja entregue ainda no segundo semestre deste ano  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;