Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

De volta ao cenário rural


Roseane Castilho
Especial para o Diário

15/03/2009 | 07:01


Com a mesma história exibida em 1982, a novela Paraíso retorna às telinhas amanhã, às 18h. Escrita originalmente por Benedito Ruy Barbosa, a nova versão foi adaptada pelas filhas do autor Edmara e Edilene.

O fio condutor da trama é a paixão entre a suposta santinha, Maria Rita, e o "filho do diabo", Zeca. Os protagonistas serão vividos por Nathalia Dill, recém-saída de Malhação, e Eriberto Leão.

O galã leva o apelido de filho do diabo devido a uma garrafinha com um diabo dentro que o pai, Eleutério, interpretado por Reginaldo Faria, carregava consigo. A mãe de Zeca só engravidou após a chegada do estranho amuleto e morreu depois de dar à luz, criando o mito de que a criança seria filha do diabo.

Já a santa, Maria Rita, carrega o fardo da loucura de sua mãe, Mariana (Cássia Kiss), que insiste em santificar a filha. O motivo: quando bebê, Maria Rita teve sérios problemas de saúde e só se curou após uma promessa de sua mãe.

O desenrolar da história acontece em uma cidade fictícia chamada Paraíso, que dá nome à novela.

AMBIENTE - Cenários naturais como Poconé, Chapada dos Guimarães, Cuiabá e Nobres, no Mato Grosso, foram alguns dos locais de gravação da trama. A famosa Lagoa de Araras, em Nobres, servirá de pano de fundo para a cena em que Zeca conta a história de seu apelido para o amigo Terêncio, vivido por Alexandre Nero (o verdureiro Vanderlei, de A Favorita). Alguns locais na Bahia também serviram de locação.

Cerca de 80 profissionais formaram a equipe de gravação no Mato Grosso e aproximadamente 40 pessoas foram contratadas no local para completar o grupo.

O clima interiorano marca o retorno do estilo rural de Benedito Ruy Barbosa ao horário. O autor tem em seu currículo tramas sempre focadas na simplicidade do povo do interior como Sinhá Moça (exibida em 1986, na Globo), Pantanal (de 1990, exibida pela Manchete) e O Rei do Gado (1996/97, também da Globo). Pantanal, aliás, foi reprisada recentemente pelo SBT, garantindo à emissora a vice-liderança na faixa das 22h.

MÚSICA - O protagonista Zeca, após terminar a faculdade, resolve montar em seu cavalo e rodar o País com uma comitiva de peões.

Como em toda comitiva, quando cai a noite, se aquietam as conversas e a música toma conta do ambiente.

Quem pega na viola é o cantor Daniel, que interpreta Zé Camilo. Na versão original, o papel foi vivido por Sérgio Reis.

A voz do cantor e galanteador Zé Camilo é acompanhada por Tiago e Juvenal, interpretados por Rodrigo Sater e Yassir Chediak, respectivamente.

Para aproximar mais ainda a comitiva da realidade, os peões usam instrumentos próprios e costumeiros desses grupos como os fogões, o embornal (que carrega apetrechos de uso no campo), a bruaca (mala de couro para carregar objetos dos peões) e as traias (adornam o animal de montaria).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;