Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Irmãos ajudam no sustento da família com trabalho em faróis


Deh Oliveira
Do Diário do Grande ABC

12/06/2009 | 07:00


A justificativa é quase sempre a mesma: ajudar a família. Nos semáforos, vendendo diversos produtos, está a face mais visível do trabalho infantil. Dessa atividade, saem parte do sustento dos irmãos José, 15 anos, e Rafael, 11 (nomes fictícios).

Moradores do Jardim Oratório, em Mauá, os dois irmão vão de bicicleta até Santo André, o irmão mais novo na garupa. Eles param em algum semáforo e alternam entre a venda de balas e exibição de malabares.

José afirma tirar aproximadamente R$ 70 mensais, cerca de R$ 20 a menos que o irmão. "Ele ganha mais porque é menor", explica. Rafael sorri e confirma, indicando que quanto menor, maior o apelo pela "ajuda". O reflexo do trabalho, porém, aparece na educação. Ambos estão com defasagem escolar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Irmãos ajudam no sustento da família com trabalho em faróis

Deh Oliveira
Do Diário do Grande ABC

12/06/2009 | 07:00


A justificativa é quase sempre a mesma: ajudar a família. Nos semáforos, vendendo diversos produtos, está a face mais visível do trabalho infantil. Dessa atividade, saem parte do sustento dos irmãos José, 15 anos, e Rafael, 11 (nomes fictícios).

Moradores do Jardim Oratório, em Mauá, os dois irmão vão de bicicleta até Santo André, o irmão mais novo na garupa. Eles param em algum semáforo e alternam entre a venda de balas e exibição de malabares.

José afirma tirar aproximadamente R$ 70 mensais, cerca de R$ 20 a menos que o irmão. "Ele ganha mais porque é menor", explica. Rafael sorri e confirma, indicando que quanto menor, maior o apelo pela "ajuda". O reflexo do trabalho, porém, aparece na educação. Ambos estão com defasagem escolar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;