Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

As redes sociais e a LGPD


Do Diário do Grande ABC

29/01/2021 | 23:59


Diante do dilúvio de especulações sobre as novas normas do WhatsApp, o Procon rapidamente notifica e pede explicações sobre a política de privacidade e termo de autorização remetido a seus bilhões de usuários. Existem muitas polêmicas em grupos do WhatsApp, questionamentos dos usuários e expressões de indignação sobre a forma de compartilhamento proposta pelo Facebook. Pretende o WhatsApp o compartilhamento de dados (número de telefone, marca, IP, até fotos dentre outras informações) com outras empresas parceiras do grupo, e isso está revoltando seus usuários, inclusive depois de tomarem conhecimento que o mesmo não ocorrerá nos países da Europa.

Fica a indagação do Procon: por que tal diferenciação? O Facebook se vê em situação difícil e pode perder muito com a migração de seus bilhões de usuários para o Telegram. O Procon-SP recentemente publicou cartilha, em conjunto com o governo do Estado e a Escola de Proteção de Defesa do Consumido – LGPD – O Que Você Precisa Saber. Com o objetivo de auxiliar os consumidores na aplicação da LGPD, em especial neste momento em que a maior parte das transações comerciais e de serviços avança exponencialmente no universo digital e pode colocar os consumidores em riscos de ataques cibernéticos ou até fraudes. Destaco alguns trechos da cartilha.

‘Observe que deixamos nossos dados pessoais em vários lugares: o cadastro que preenchemos na academia, curso ou escola; os registros de navegação de sites de internet; dados de GPS; perfis que temos em redes sociais’. Atente-se, não despeje seus dados sem ler as regras de uso e proteção de seus direitos, os níveis de proteção e as responsabilidades dos controladores/empresários.

‘Você deve ter acesso facilitado e de forma clara, adequada e visível às seguintes informações: finalidade específica do tratamento; forma e duração do tratamento; identificação e informações de contato do controlador; informações sobre o uso compartilhado de dados pelo controlador e a finalidade; responsabilidade dos agentes que realizarão o tratamento’.

‘Não serão aceitas autorizações genéricas para o tratamento dos dados. O consentimento deverá ser para finalidades determinadas e não para ‘melhoria dos serviços’ ou para ‘melhorar sua experiência’, como geralmente as autorizações aparecem.


Certamente o WhatsApp deverá revisar e se adequar aos requisitos da lei. Diante da atuação do Procon-SP, os usuários terão o conhecimento necessário para manterem-se ou não na plataforma.

Thais Carloni é advogada, sócia-fundadora da Carloni Advocacia Empresarial e formada em direito, especialização em direito empresarial e direito societário.


PALAVRA DO LEITOR

Memória
Parece incrível, mas o jornalista e historiador Ademir Medici tem a capacidade de se superar e fazer de sua coluna Memória (página 2 de Setecidades) imprescindível para o entendimento de nossa querida região. É de se destacar o rigor jornalístico e o apuro histórico desse seu último trabalho que vem sendo publicado (Ribeirão do Soldado). Parabéns ao Ademir e parabéns a este Diário.
Gonzaga do Monte
São Bernardo

Vacina
Não adianta reclamar para a Prefeitura de São Bernardo sobre desvio nas aplicações das vacinas em pessoas fora do grupo prioritário. A Prefeitura só faz a entrega, o controle é da competência de quem recebe e administra. Está faltando organização.
Keiko Sakata
São Bernardo

Outra pisada
Caro Paulo Serra, desculpa a sinceridade, mas a notícia de que o gramado do Brunão não será entregue porque o estádio será ponto de vacinação não é desculpa (Esportes, ontem). O jogo é realizado dentro das quatro linhas e a vacinação, do lado de fora. Infelizmente essa desculpa é para tirar a culpa pela falta de capacidade do responsável pela reforma, no caso, o secretário de Obras. Não colou.
Fernando Cesar Toribio
Santo André

Sapiência
Parabenizo a sapiente medida profilática tomada pela Prefeitura de Rio Grande da Serra, que, mesmo favorável a acordo que os sete prefeitos firmaram, no dia 12, com o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, determinou a suspensão da retomada das aulas presenciais nos educandários da cidade (Política, dia 27). O mesmo não ocorre em Diadema, que, embora implementando medidas preventivas, não garante a não contaminação de regidos e regentes no retorno das aulas presenciais. Tenho quatro netos matriculados na rede municipal de ensino, dois deles em situação de risco, e minha neta primogênita, na rede estadual de ensino. Isso posto, minha consorte e eu não enviaremos nossos netos às aulas presenciais, a não ser que a municipalidade diademense garanta que o recinto escolar está em plena consonância com as medidas profiláticas determinadas pelas autoridades sanitárias.
João Paulo de Oliveira
Diadema

Diferenças
Há Homens que usam o cérebro, argumentos. E há homens,sem argumentos, que usam palavrões. Esta é a diferença, simples assim. Viva a imprensa livre!
Tânia Tavares
Capital

O pior
‘Este é o pior governo que o Brasil já teve’, disse o ex-líder dos caminhoneiros na greve de 2018 Wanderlei Alves, o Dedeco. Concordo plenamente: é o pior dos piores presidentes da história.
Juvenal Avelino Suzélido
Jundiaí (SP)

Observações
Apenas duas observações: faz parte da boa administração a nomeação pela municipalidade para cargos importantes de dois políticos residentes fora do município e indicados por outro político? Ainda, seria de interesse de todos os habitantes da região o excesso de informação, com grande ocupação de espaço no jornal, de fatos ocorrentes no interior de uma associação comercial, particular, sem enfoque público?
Reinaldo Toledo
Santo André

Não é líder
Ao classificar o seu vice-presidente como ‘palpiteiro’, o presidente Bolsonaro mostra mais uma vez que não é o líder que o Brasil precisa. Suas divergências com integrantes de sua equipe complicam a busca de soluções para o drama causado por esta pandemia. Mais do que nunca se faz necessária a compreensão de que a área da saúde, no momento, é tema prioritário. E quem ocupa o cargo maior da República tem a responsabilidade de implementar as orientações de especialistas. O quanto antes. A população brasileira não pode ficar sofrendo as consequências de divergências políticas.
Uriel Villas Boas
Santos (SP) 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

As redes sociais e a LGPD

Do Diário do Grande ABC

29/01/2021 | 23:59


Diante do dilúvio de especulações sobre as novas normas do WhatsApp, o Procon rapidamente notifica e pede explicações sobre a política de privacidade e termo de autorização remetido a seus bilhões de usuários. Existem muitas polêmicas em grupos do WhatsApp, questionamentos dos usuários e expressões de indignação sobre a forma de compartilhamento proposta pelo Facebook. Pretende o WhatsApp o compartilhamento de dados (número de telefone, marca, IP, até fotos dentre outras informações) com outras empresas parceiras do grupo, e isso está revoltando seus usuários, inclusive depois de tomarem conhecimento que o mesmo não ocorrerá nos países da Europa.

Fica a indagação do Procon: por que tal diferenciação? O Facebook se vê em situação difícil e pode perder muito com a migração de seus bilhões de usuários para o Telegram. O Procon-SP recentemente publicou cartilha, em conjunto com o governo do Estado e a Escola de Proteção de Defesa do Consumido – LGPD – O Que Você Precisa Saber. Com o objetivo de auxiliar os consumidores na aplicação da LGPD, em especial neste momento em que a maior parte das transações comerciais e de serviços avança exponencialmente no universo digital e pode colocar os consumidores em riscos de ataques cibernéticos ou até fraudes. Destaco alguns trechos da cartilha.

‘Observe que deixamos nossos dados pessoais em vários lugares: o cadastro que preenchemos na academia, curso ou escola; os registros de navegação de sites de internet; dados de GPS; perfis que temos em redes sociais’. Atente-se, não despeje seus dados sem ler as regras de uso e proteção de seus direitos, os níveis de proteção e as responsabilidades dos controladores/empresários.

‘Você deve ter acesso facilitado e de forma clara, adequada e visível às seguintes informações: finalidade específica do tratamento; forma e duração do tratamento; identificação e informações de contato do controlador; informações sobre o uso compartilhado de dados pelo controlador e a finalidade; responsabilidade dos agentes que realizarão o tratamento’.

‘Não serão aceitas autorizações genéricas para o tratamento dos dados. O consentimento deverá ser para finalidades determinadas e não para ‘melhoria dos serviços’ ou para ‘melhorar sua experiência’, como geralmente as autorizações aparecem.


Certamente o WhatsApp deverá revisar e se adequar aos requisitos da lei. Diante da atuação do Procon-SP, os usuários terão o conhecimento necessário para manterem-se ou não na plataforma.

Thais Carloni é advogada, sócia-fundadora da Carloni Advocacia Empresarial e formada em direito, especialização em direito empresarial e direito societário.


PALAVRA DO LEITOR

Memória
Parece incrível, mas o jornalista e historiador Ademir Medici tem a capacidade de se superar e fazer de sua coluna Memória (página 2 de Setecidades) imprescindível para o entendimento de nossa querida região. É de se destacar o rigor jornalístico e o apuro histórico desse seu último trabalho que vem sendo publicado (Ribeirão do Soldado). Parabéns ao Ademir e parabéns a este Diário.
Gonzaga do Monte
São Bernardo

Vacina
Não adianta reclamar para a Prefeitura de São Bernardo sobre desvio nas aplicações das vacinas em pessoas fora do grupo prioritário. A Prefeitura só faz a entrega, o controle é da competência de quem recebe e administra. Está faltando organização.
Keiko Sakata
São Bernardo

Outra pisada
Caro Paulo Serra, desculpa a sinceridade, mas a notícia de que o gramado do Brunão não será entregue porque o estádio será ponto de vacinação não é desculpa (Esportes, ontem). O jogo é realizado dentro das quatro linhas e a vacinação, do lado de fora. Infelizmente essa desculpa é para tirar a culpa pela falta de capacidade do responsável pela reforma, no caso, o secretário de Obras. Não colou.
Fernando Cesar Toribio
Santo André

Sapiência
Parabenizo a sapiente medida profilática tomada pela Prefeitura de Rio Grande da Serra, que, mesmo favorável a acordo que os sete prefeitos firmaram, no dia 12, com o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, determinou a suspensão da retomada das aulas presenciais nos educandários da cidade (Política, dia 27). O mesmo não ocorre em Diadema, que, embora implementando medidas preventivas, não garante a não contaminação de regidos e regentes no retorno das aulas presenciais. Tenho quatro netos matriculados na rede municipal de ensino, dois deles em situação de risco, e minha neta primogênita, na rede estadual de ensino. Isso posto, minha consorte e eu não enviaremos nossos netos às aulas presenciais, a não ser que a municipalidade diademense garanta que o recinto escolar está em plena consonância com as medidas profiláticas determinadas pelas autoridades sanitárias.
João Paulo de Oliveira
Diadema

Diferenças
Há Homens que usam o cérebro, argumentos. E há homens,sem argumentos, que usam palavrões. Esta é a diferença, simples assim. Viva a imprensa livre!
Tânia Tavares
Capital

O pior
‘Este é o pior governo que o Brasil já teve’, disse o ex-líder dos caminhoneiros na greve de 2018 Wanderlei Alves, o Dedeco. Concordo plenamente: é o pior dos piores presidentes da história.
Juvenal Avelino Suzélido
Jundiaí (SP)

Observações
Apenas duas observações: faz parte da boa administração a nomeação pela municipalidade para cargos importantes de dois políticos residentes fora do município e indicados por outro político? Ainda, seria de interesse de todos os habitantes da região o excesso de informação, com grande ocupação de espaço no jornal, de fatos ocorrentes no interior de uma associação comercial, particular, sem enfoque público?
Reinaldo Toledo
Santo André

Não é líder
Ao classificar o seu vice-presidente como ‘palpiteiro’, o presidente Bolsonaro mostra mais uma vez que não é o líder que o Brasil precisa. Suas divergências com integrantes de sua equipe complicam a busca de soluções para o drama causado por esta pandemia. Mais do que nunca se faz necessária a compreensão de que a área da saúde, no momento, é tema prioritário. E quem ocupa o cargo maior da República tem a responsabilidade de implementar as orientações de especialistas. O quanto antes. A população brasileira não pode ficar sofrendo as consequências de divergências políticas.
Uriel Villas Boas
Santos (SP) 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;