Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 8 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Taxa de desemprego fica em 14,1% no trimestre até novembro, afirma IBGE



28/01/2021 | 09:48


A taxa de desocupação no Brasil ficou em 14,1% no trimestre móvel encerrado em novembro de 2020, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) mensal divulgados na manhã desta quinta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual trimestre móvel de 2019, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,2%. No trimestre móvel encerrado em outubro, a taxa de desocupação ficou em 14,3%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.517 no trimestre móvel até novembro. O resultado representa alta de 4,0% em relação a igual trimestre móvel de 2019. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 210 bilhões no trimestre móvel encerrado em novembro, queda de 5,9% ante igual período de 2019.

Ocupação

O Brasil alcançou uma população ocupada de 85,578 milhões de trabalhadores no trimestre móvel encerrado em novembro, segundo os dados da Pnad Contínua agora divulgados. Na comparação com o trimestre móvel anterior, houve alta de 4,8%, sinalizando a geração de 3,912 milhões de postos de trabalho em um trimestre.

Com a alta na população ocupada de um trimestre móvel para o outro, o nível de ocupação ficou em 48,6%, 1,8 ponto porcentual acima do registrado no trimestre móvel até julho. Com a pandemia de covid-19, o nível de ocupação caiu abaixo de 50% pela primeira vez na série histórica da Pnad Contínua.

Na comparação com igual trimestre de 2019, a população ocupada apresenta um tombo de 9,4%. Isso aponta que, em um ano, 8,838 milhões de vagas de trabalho foram fechadas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Taxa de desemprego fica em 14,1% no trimestre até novembro, afirma IBGE


28/01/2021 | 09:48


A taxa de desocupação no Brasil ficou em 14,1% no trimestre móvel encerrado em novembro de 2020, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) mensal divulgados na manhã desta quinta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual trimestre móvel de 2019, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,2%. No trimestre móvel encerrado em outubro, a taxa de desocupação ficou em 14,3%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.517 no trimestre móvel até novembro. O resultado representa alta de 4,0% em relação a igual trimestre móvel de 2019. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 210 bilhões no trimestre móvel encerrado em novembro, queda de 5,9% ante igual período de 2019.

Ocupação

O Brasil alcançou uma população ocupada de 85,578 milhões de trabalhadores no trimestre móvel encerrado em novembro, segundo os dados da Pnad Contínua agora divulgados. Na comparação com o trimestre móvel anterior, houve alta de 4,8%, sinalizando a geração de 3,912 milhões de postos de trabalho em um trimestre.

Com a alta na população ocupada de um trimestre móvel para o outro, o nível de ocupação ficou em 48,6%, 1,8 ponto porcentual acima do registrado no trimestre móvel até julho. Com a pandemia de covid-19, o nível de ocupação caiu abaixo de 50% pela primeira vez na série histórica da Pnad Contínua.

Na comparação com igual trimestre de 2019, a população ocupada apresenta um tombo de 9,4%. Isso aponta que, em um ano, 8,838 milhões de vagas de trabalho foram fechadas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;