Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ásia: bolsas fecham em baixa após tombo em NY e com BC chinês retirando liquidez



28/01/2021 | 07:16


As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta quinta-feira (28) com perdas significativas, após o tombo que os índices acionários de Nova York sofreram ontem e à medida que o Banco Central chinês continua retirando liquidez do mercado interbancário.

Em Tóquio, o Nikkei caiu 1,53% hoje, a 28.197,42 pontos, pressionado por ações do setor de eletrônicos. Já o sul-coreano Kospi recuou 1,71% em Seul, a 3.069,05 pontos, enquanto o Hang Seng se desvalorizou 2,55% em Hong Kong, a 28.550,77 pontos. Na bolsa taiwanesa, o Taiex teve baixa de 1,82%, a 15.415,88 pontos.

O mau humor na Ásia veio após as bolsas de Nova York registrarem quedas de mais de 2% ontem, com o índice S&P 500 indo para território negativo no ano. O tombo em Wall Street ocorreu em meio a movimentos especulativos e preocupações com o ritmo da vacinação contra a covid-19. Além disso, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) manteve sua política monetária inalterada ontem, mas mostrou desconforto com o grau de recuperação da economia americana.

Na China, as bolsas foram pressionadas também por novo enxugamento de liquidez pelo PBoC, como é conhecido o BC do país. O Xangai Composto caiu 1,91%, a 3.505,18 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 2,82%, a 2.352,75 pontos.

Nesta quinta-feira, o PBoC retirou 150 bilhões de yuans em liquidez por meio de operações no mercado aberto, trazendo o total enxugado na semana para ao menos 328 bilhões de yuans, segundo a provedora de dados Wind. Investidores aguardam para ver como o BC chinês irá lidar com as crescentes necessidades de fundos dos bancos locais antes do feriado do ano-novo lunar, que terá início em 11 de fevereiro e dura uma semana, diz analista da Axi.

Na Oceania, a bolsa australiana registrou hoje sua maior queda em um único pregão desde setembro, na esteira das perdas em Nova York e na Ásia. O S&P/ASX 200 caiu 1,93% em Sydney, a 6.649,7 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ásia: bolsas fecham em baixa após tombo em NY e com BC chinês retirando liquidez


28/01/2021 | 07:16


As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta quinta-feira (28) com perdas significativas, após o tombo que os índices acionários de Nova York sofreram ontem e à medida que o Banco Central chinês continua retirando liquidez do mercado interbancário.

Em Tóquio, o Nikkei caiu 1,53% hoje, a 28.197,42 pontos, pressionado por ações do setor de eletrônicos. Já o sul-coreano Kospi recuou 1,71% em Seul, a 3.069,05 pontos, enquanto o Hang Seng se desvalorizou 2,55% em Hong Kong, a 28.550,77 pontos. Na bolsa taiwanesa, o Taiex teve baixa de 1,82%, a 15.415,88 pontos.

O mau humor na Ásia veio após as bolsas de Nova York registrarem quedas de mais de 2% ontem, com o índice S&P 500 indo para território negativo no ano. O tombo em Wall Street ocorreu em meio a movimentos especulativos e preocupações com o ritmo da vacinação contra a covid-19. Além disso, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) manteve sua política monetária inalterada ontem, mas mostrou desconforto com o grau de recuperação da economia americana.

Na China, as bolsas foram pressionadas também por novo enxugamento de liquidez pelo PBoC, como é conhecido o BC do país. O Xangai Composto caiu 1,91%, a 3.505,18 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 2,82%, a 2.352,75 pontos.

Nesta quinta-feira, o PBoC retirou 150 bilhões de yuans em liquidez por meio de operações no mercado aberto, trazendo o total enxugado na semana para ao menos 328 bilhões de yuans, segundo a provedora de dados Wind. Investidores aguardam para ver como o BC chinês irá lidar com as crescentes necessidades de fundos dos bancos locais antes do feriado do ano-novo lunar, que terá início em 11 de fevereiro e dura uma semana, diz analista da Axi.

Na Oceania, a bolsa australiana registrou hoje sua maior queda em um único pregão desde setembro, na esteira das perdas em Nova York e na Ásia. O S&P/ASX 200 caiu 1,93% em Sydney, a 6.649,7 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;