Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 3 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Taxa de desemprego do Reino Unido salta ao maior nível em 4 anos



26/01/2021 | 12:54


A taxa de desemprego no Reino Unido saltou em novembro para seu maior patamar em quatro anos, com o aumento das infecções por coronavírus e consequentes medidas governamentais que afetaram a atividade econômica.

A taxa de desemprego britânica foi de 5% no período de três meses até novembro, em comparação a 4,5% no período de três meses até agosto, segundo dados oficiais divulgados nesta terça. Trata-se do pior resultado desde meados de 2016.

Para o economista de mercados desenvolvidos do ING, James Smith, a taxa poderá se agravar ainda mais, para níveis de 6% a 7%, se o apoio de Londres for removido antes que todos os setores sejam totalmente reabertos. O programa de licença deve terminar em abril, e o fato de que ainda havia mais de um milhão de trabalhadores "totalmente licenciados" em outubro, quando o esquema estava originalmente programado para terminar, mostra que há um grande grupo de trabalhadores que não conseguiram trabalhar devido às restrições, diz Smith.

Além disso, a interrupção decorrente do novo acordo entre o Reino Unido e a União Europeia também inevitavelmente colocará pressão sobre os empregos, à medida que as empresas continuam lutando contra o avanço constante dos custos e das barreiras comerciais, ponderou Smith.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Taxa de desemprego do Reino Unido salta ao maior nível em 4 anos


26/01/2021 | 12:54


A taxa de desemprego no Reino Unido saltou em novembro para seu maior patamar em quatro anos, com o aumento das infecções por coronavírus e consequentes medidas governamentais que afetaram a atividade econômica.

A taxa de desemprego britânica foi de 5% no período de três meses até novembro, em comparação a 4,5% no período de três meses até agosto, segundo dados oficiais divulgados nesta terça. Trata-se do pior resultado desde meados de 2016.

Para o economista de mercados desenvolvidos do ING, James Smith, a taxa poderá se agravar ainda mais, para níveis de 6% a 7%, se o apoio de Londres for removido antes que todos os setores sejam totalmente reabertos. O programa de licença deve terminar em abril, e o fato de que ainda havia mais de um milhão de trabalhadores "totalmente licenciados" em outubro, quando o esquema estava originalmente programado para terminar, mostra que há um grande grupo de trabalhadores que não conseguiram trabalhar devido às restrições, diz Smith.

Além disso, a interrupção decorrente do novo acordo entre o Reino Unido e a União Europeia também inevitavelmente colocará pressão sobre os empregos, à medida que as empresas continuam lutando contra o avanço constante dos custos e das barreiras comerciais, ponderou Smith.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;