Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

"Há evidência de que nova variante do coronavírus é mais mortal", diz Boris Johnson

Andrew Parsons 10 Downing Stree/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


22/01/2021 | 14:35


O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira, 22, que a mutação do coronavírus identificada no Reino Unido pode ser mais mortal que as anteriores. "Além de se disseminar mais rapidamente, agora parece haver evidência de que o nova variante detectada em Londres e no sudeste pode estar associada com um grau mais alto de mortalidade", explicou, em coletiva de imprensa.

Os estudos ainda são preliminares e estão sendo analisados por cientistas do Grupo de Conselho para Novas Ameaça de Vírus Respiratórios, que assessora o governo.

Desde que foi descoberta, no final do ano passado, a nova cepa do vírus se espalhou rapidamente para mais de 50 países.

"É basicamente o impacto da nova variante que faz o NHS (sistema nacional de saúde) estar sob intensa pressão", disse o premiê.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

"Há evidência de que nova variante do coronavírus é mais mortal", diz Boris Johnson


22/01/2021 | 14:35


O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira, 22, que a mutação do coronavírus identificada no Reino Unido pode ser mais mortal que as anteriores. "Além de se disseminar mais rapidamente, agora parece haver evidência de que o nova variante detectada em Londres e no sudeste pode estar associada com um grau mais alto de mortalidade", explicou, em coletiva de imprensa.

Os estudos ainda são preliminares e estão sendo analisados por cientistas do Grupo de Conselho para Novas Ameaça de Vírus Respiratórios, que assessora o governo.

Desde que foi descoberta, no final do ano passado, a nova cepa do vírus se espalhou rapidamente para mais de 50 países.

"É basicamente o impacto da nova variante que faz o NHS (sistema nacional de saúde) estar sob intensa pressão", disse o premiê.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;