Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

'Onde estão as outras vacinas?', diz Doria durante imunização em Ribeirão Preto

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


19/01/2021 | 15:44


O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), que se recuperou da covid há poucos dias, participaram na manhã desta terça-feira, 19, da cerimônia para lançar a vacinação contra a doença em Ribeirão Preto. Profissionais do Hospital das Clínicas que atuam na linha de frente contra a covid devem ser os primeiros vacinados, com as 6.520 doses da Coronavac que chegaram à cidade na noite anterior.

No lançamento, Doria fez questão que Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, especificasse quem foi o protagonista da campanha de difamação contra a Coronavac que Covas mencionava. "A autoridade maior deste País fez uma campanha até domingo contra a Coronavac. Até domingo, a vacina era a inimiga número 1 do nosso presidente", afirmou Covas. Para o diretor do Butantã, essa campanha negativa "usando até um nome muito esquisito para se referir a essa vacina" influenciou no atraso da conclusão da produção da Coronavac.

Doria fez mais críticas a Jair Bolsonaro (sem partido) e retomou questionamentos feitos na segunda-feira, 18. "Nós iniciamos um programa de imunização no Brasil com uma única vacina, que só existe e está em solo brasileiro porque o governo do Estado de São Paulo, o Instituto Butantan e pessoas destemidas levaram adiante o projeto e a iniciativa de termos uma vacina brasileira com o apoio da China para a imunização em nosso país, mas repito: onde estão as outras vacinas? O Brasil vai precisar de mais vacinas", afirmou.

O governador listou o que afirma serem outras falhas do governo federal: "Falta de seringas, de agulhas, falta de logística" e mencionou o desperdício de testes que venceram. Lembrou que continua necessário realizar testes. "Até quando vamos ter a incompetência do governo federal?", indagou.

Um novo lote de vacinas deve chegar em Ribeirão Preto na quinta-feira, 21, conforme anunciado na cerimônia de lançamento. As doses entregues até o momento são suficientes para imunizar pouco mais da metade dos mais de 6 mil funcionários do hospital. A primeira vacinada em Ribeirão Preto foi a técnica de enfermagem Maria Luci dos Santos, de 44 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Onde estão as outras vacinas?', diz Doria durante imunização em Ribeirão Preto


19/01/2021 | 15:44


O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), que se recuperou da covid há poucos dias, participaram na manhã desta terça-feira, 19, da cerimônia para lançar a vacinação contra a doença em Ribeirão Preto. Profissionais do Hospital das Clínicas que atuam na linha de frente contra a covid devem ser os primeiros vacinados, com as 6.520 doses da Coronavac que chegaram à cidade na noite anterior.

No lançamento, Doria fez questão que Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, especificasse quem foi o protagonista da campanha de difamação contra a Coronavac que Covas mencionava. "A autoridade maior deste País fez uma campanha até domingo contra a Coronavac. Até domingo, a vacina era a inimiga número 1 do nosso presidente", afirmou Covas. Para o diretor do Butantã, essa campanha negativa "usando até um nome muito esquisito para se referir a essa vacina" influenciou no atraso da conclusão da produção da Coronavac.

Doria fez mais críticas a Jair Bolsonaro (sem partido) e retomou questionamentos feitos na segunda-feira, 18. "Nós iniciamos um programa de imunização no Brasil com uma única vacina, que só existe e está em solo brasileiro porque o governo do Estado de São Paulo, o Instituto Butantan e pessoas destemidas levaram adiante o projeto e a iniciativa de termos uma vacina brasileira com o apoio da China para a imunização em nosso país, mas repito: onde estão as outras vacinas? O Brasil vai precisar de mais vacinas", afirmou.

O governador listou o que afirma serem outras falhas do governo federal: "Falta de seringas, de agulhas, falta de logística" e mencionou o desperdício de testes que venceram. Lembrou que continua necessário realizar testes. "Até quando vamos ter a incompetência do governo federal?", indagou.

Um novo lote de vacinas deve chegar em Ribeirão Preto na quinta-feira, 21, conforme anunciado na cerimônia de lançamento. As doses entregues até o momento são suficientes para imunizar pouco mais da metade dos mais de 6 mil funcionários do hospital. A primeira vacinada em Ribeirão Preto foi a técnica de enfermagem Maria Luci dos Santos, de 44 anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;