Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Novo chefe da DPU toma posse e reclama de efeito do teto de gastos sobre o órgão



19/01/2021 | 12:57


O presidente Jair Bolsonaro participou no final da manhã desta terça-feira, 19, da cerimônia de posse da nova chefia da Defensoria Pública da União (DPU), no Ministério da Justiça. Em 15 de dezembro, o Senado aprovou a indicação de Daniel de Macedo Alves Pereira para chefiar a DPU com mandato de dois anos. Na votação, 46 senadores votaram a favor de seu nome e seis votaram contra.

Em seu discurso, Daniel de Macedo destacou que o melhor caminho de trabalho da DPU é atuar sem seguir narrativas políticas e em cooperação. Ele reclamou do teto de gastos que, segundo ele, teria interrompido o projeto de expansão do órgão. "Hoje a defensoria cobre apenas 29% das comarcas, seções e subseções. Essa balança está desequilibrada. A saída é matemática. A saída vai ter que ser pela via congressual. A emenda do teto - que o ministro Paulo Guedes que não nos ouça - vai ter que sofrer uma revisão ainda que seja só para a defensoria", afirmou Macedo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Novo chefe da DPU toma posse e reclama de efeito do teto de gastos sobre o órgão


19/01/2021 | 12:57


O presidente Jair Bolsonaro participou no final da manhã desta terça-feira, 19, da cerimônia de posse da nova chefia da Defensoria Pública da União (DPU), no Ministério da Justiça. Em 15 de dezembro, o Senado aprovou a indicação de Daniel de Macedo Alves Pereira para chefiar a DPU com mandato de dois anos. Na votação, 46 senadores votaram a favor de seu nome e seis votaram contra.

Em seu discurso, Daniel de Macedo destacou que o melhor caminho de trabalho da DPU é atuar sem seguir narrativas políticas e em cooperação. Ele reclamou do teto de gastos que, segundo ele, teria interrompido o projeto de expansão do órgão. "Hoje a defensoria cobre apenas 29% das comarcas, seções e subseções. Essa balança está desequilibrada. A saída é matemática. A saída vai ter que ser pela via congressual. A emenda do teto - que o ministro Paulo Guedes que não nos ouça - vai ter que sofrer uma revisão ainda que seja só para a defensoria", afirmou Macedo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;