Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Azulão convoca eleição em meio à venda do futebol para investidores

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pleito para presidir o clube reforça negociações de Nairo com grupo; sede pública da AD está em jogo


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

19/01/2021 | 00:59


A AD São Caetano decidiu convocar eleições para escolha da nova diretoria em meio a uma negociação de venda do futebol que também envolve a sede do clube, um patrimônio público municipal.

Conselheiros foram surpreendidos ontem com chamamento de eleição para presidência do clube. Inicialmente agendado para o dia 25, o processo pode ser transferido para o dia 8 de fevereiro, segundo o presidente do conselho deliberativo, Antônio de Pádua Tortorello, que também é presidente interino do clube. Edital com a convocação do pleito deve ser publicado nos próximos dias.

A convocação da eleição teria como motivação o avanço nas negociações entre o presidente da São Caetano Futebol Ltda, Nairo Ferreira de Souza, com grupo de investidores. O departamento de futebol é administrado por empresa privada, cujo maior cotista é Nairo, cacique do Azulão nas últimas três décadas. A empresa tem capital de R$ 4,4 milhões na Junta Comercial, sendo R$ 4,39 milhões de Nairo e apenas R$ 10 mil para a AD São Caetano, sócia minoritária no contrato – Pádua representa a instituição no acordo.

Nairo esconde a sete chaves o nome do grupo de investidores, mas, a alguns conselheiros, deixou escapar que as negociações envolvem, além do futebol, a sede da AD São Caetano. A estrutura fica na Rua Eduardo Prado, 8, no bairro Cerâmica, o mesmo endereço onde funciona a São Caetano Futebol Ltda. A sede social do Azulão é pública, ou seja, não pode ser negociada sem anuência da Prefeitura e aval da Câmara de Vereadores.

A despeito desse caráter público, o local foi incluso por Nairo nas negociações, segundo apurou o Diário com alguns conselheiros. Figuras influentes do clube acreditam que Saul Klein, filho do fundador da Casas Bahia, Samuel Klein, e mecenas do Azulão nos tempos de glória da equipe, pode ser a ponte entre Nairo e esse grupo de investidores. Existe o temor de que o acordo envolva outro patrimônio público municipal: o Estádio Anacleto Campanella.

A eleição é passo jurídico estabelecido por esse bloco de empresários para investir no São Caetano. Esse grupo quer ter segurança jurídica para poder aportar recursos no clube, embora não fale em cifras.

Dentro das discussões também há o debate em torno das dívidas. O São Caetano encerrou a temporada com pendências com a comissão técnica e jogadores, além de dever para funcionários da associação desportiva – o clube recorreu à medida provisória nacional que permitia reduzir jornada de trabalho mediante corte no salário. O passivo, aliás, foi mote para ameaça de rompimento entre a AD São Caetano e a São Caetano Futebol Ltda no fim do ano passado, movimento que não se concretizou.

Nairo não retornou aos contatos da equipe do Diário. Pádua se limitou a dizer que não haverá eleição dia 25. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Azulão convoca eleição em meio à venda do futebol para investidores

Pleito para presidir o clube reforça negociações de Nairo com grupo; sede pública da AD está em jogo

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

19/01/2021 | 00:59


A AD São Caetano decidiu convocar eleições para escolha da nova diretoria em meio a uma negociação de venda do futebol que também envolve a sede do clube, um patrimônio público municipal.

Conselheiros foram surpreendidos ontem com chamamento de eleição para presidência do clube. Inicialmente agendado para o dia 25, o processo pode ser transferido para o dia 8 de fevereiro, segundo o presidente do conselho deliberativo, Antônio de Pádua Tortorello, que também é presidente interino do clube. Edital com a convocação do pleito deve ser publicado nos próximos dias.

A convocação da eleição teria como motivação o avanço nas negociações entre o presidente da São Caetano Futebol Ltda, Nairo Ferreira de Souza, com grupo de investidores. O departamento de futebol é administrado por empresa privada, cujo maior cotista é Nairo, cacique do Azulão nas últimas três décadas. A empresa tem capital de R$ 4,4 milhões na Junta Comercial, sendo R$ 4,39 milhões de Nairo e apenas R$ 10 mil para a AD São Caetano, sócia minoritária no contrato – Pádua representa a instituição no acordo.

Nairo esconde a sete chaves o nome do grupo de investidores, mas, a alguns conselheiros, deixou escapar que as negociações envolvem, além do futebol, a sede da AD São Caetano. A estrutura fica na Rua Eduardo Prado, 8, no bairro Cerâmica, o mesmo endereço onde funciona a São Caetano Futebol Ltda. A sede social do Azulão é pública, ou seja, não pode ser negociada sem anuência da Prefeitura e aval da Câmara de Vereadores.

A despeito desse caráter público, o local foi incluso por Nairo nas negociações, segundo apurou o Diário com alguns conselheiros. Figuras influentes do clube acreditam que Saul Klein, filho do fundador da Casas Bahia, Samuel Klein, e mecenas do Azulão nos tempos de glória da equipe, pode ser a ponte entre Nairo e esse grupo de investidores. Existe o temor de que o acordo envolva outro patrimônio público municipal: o Estádio Anacleto Campanella.

A eleição é passo jurídico estabelecido por esse bloco de empresários para investir no São Caetano. Esse grupo quer ter segurança jurídica para poder aportar recursos no clube, embora não fale em cifras.

Dentro das discussões também há o debate em torno das dívidas. O São Caetano encerrou a temporada com pendências com a comissão técnica e jogadores, além de dever para funcionários da associação desportiva – o clube recorreu à medida provisória nacional que permitia reduzir jornada de trabalho mediante corte no salário. O passivo, aliás, foi mote para ameaça de rompimento entre a AD São Caetano e a São Caetano Futebol Ltda no fim do ano passado, movimento que não se concretizou.

Nairo não retornou aos contatos da equipe do Diário. Pádua se limitou a dizer que não haverá eleição dia 25. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;