Fechar
Publicidade

Domingo, 7 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ar-condicionado e portas fechadas durante Enem no Rio com sensação térmica de 45º



17/01/2021 | 21:05


O calor de mais de 37ºC, com sensação térmica ultrapassando os 45ºC em alguns pontos do Rio, foi mais forte do que todos os protocolos de segurança para se evitar a propagação do novo coronavírus. No primeiro dia de provas do Enem, candidatos que foram fazer o exame na PUC-Rio tiveram o "benefício" do sistema de ar-condicionado, inclusive com as janelas fechadas.

"Quando entrei na sala o ar-condicionado estava funcionando, com as janelas abertas. Um pouco antes da prova perguntaram como a gente preferia fazer, se com o ar-condicionado ligado ou não. Chegamos a um consenso de fazer a prova com as janelas fechadas e o ar ligado", relatou o estudante Guilherme Lorenzatto, de 17 anos.

O jovem contou ainda que sua sala não estava lotada. "Teve diversos ausentes, e talvez por isso ficaram vários lugares vagos. Em geral havia um lugar vago à frente e do lado, mas logo atrás de mim tinha outro candidato", narrou.

Maria Cristina Magalhães Pinto, de 19, deu relato semelhante. "Na minha sala fizemos a prova com o ar-condicionado ligado", contou. "Mas havia muitos espaços vazios, em média duas carteiras entre os candidatos."

Teve ar-condicionado e janelas cerradas também na sala de André de Paula de Oliveira, 18 anos. Ele admitiu que isso ajudou a enfrentar o calor, mas lamentou a prova em meio à pandemia sobretudo pela necessidade de se usar máscaras.

"É muito difícil fazer prova de máscara. Fica pinicando, sua, e você não tem como tirar. Até cheguei a pensar em não vir fazer a prova, mas como tinha pago a inscrição acabei vindo", afirmou.

À exceção do ar-condicionado, os estudantes contaram que os protocolos sanitários foram respeitados. "Tinha álcool em gel e todo mundo usou máscara. Só tiravam no momento em que comiam algo", pontuou Lorenzatto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ar-condicionado e portas fechadas durante Enem no Rio com sensação térmica de 45º


17/01/2021 | 21:05


O calor de mais de 37ºC, com sensação térmica ultrapassando os 45ºC em alguns pontos do Rio, foi mais forte do que todos os protocolos de segurança para se evitar a propagação do novo coronavírus. No primeiro dia de provas do Enem, candidatos que foram fazer o exame na PUC-Rio tiveram o "benefício" do sistema de ar-condicionado, inclusive com as janelas fechadas.

"Quando entrei na sala o ar-condicionado estava funcionando, com as janelas abertas. Um pouco antes da prova perguntaram como a gente preferia fazer, se com o ar-condicionado ligado ou não. Chegamos a um consenso de fazer a prova com as janelas fechadas e o ar ligado", relatou o estudante Guilherme Lorenzatto, de 17 anos.

O jovem contou ainda que sua sala não estava lotada. "Teve diversos ausentes, e talvez por isso ficaram vários lugares vagos. Em geral havia um lugar vago à frente e do lado, mas logo atrás de mim tinha outro candidato", narrou.

Maria Cristina Magalhães Pinto, de 19, deu relato semelhante. "Na minha sala fizemos a prova com o ar-condicionado ligado", contou. "Mas havia muitos espaços vazios, em média duas carteiras entre os candidatos."

Teve ar-condicionado e janelas cerradas também na sala de André de Paula de Oliveira, 18 anos. Ele admitiu que isso ajudou a enfrentar o calor, mas lamentou a prova em meio à pandemia sobretudo pela necessidade de se usar máscaras.

"É muito difícil fazer prova de máscara. Fica pinicando, sua, e você não tem como tirar. Até cheguei a pensar em não vir fazer a prova, mas como tinha pago a inscrição acabei vindo", afirmou.

À exceção do ar-condicionado, os estudantes contaram que os protocolos sanitários foram respeitados. "Tinha álcool em gel e todo mundo usou máscara. Só tiravam no momento em que comiam algo", pontuou Lorenzatto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;