Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sem força da torcida, Água Santa busca alternativas em campo

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Técnico Sérgio Guedes diz que Netuno usa pressão da arquibancada a favor, mas A-2 será sem público


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

17/01/2021 | 08:23


O Água Santa tem como origem a várzea de Diadema. Foram nos antigos campos de terra da cidade que o clube cresceu, conquistou muitos títulos e formou grande e apaixonada torcida. A partir de então decidiu se profissionalizar, sempre contando com seus fanáticos seguidores nos jogos dentro ou fora do Estádio do Inamar. Entretanto, em razão da pandemia de Covid-19 e dos protocolos adotados para a realização das competições de futebol, o Netuno ou qualquer outro concorrente não poderá ter a presença dos fãs nas arquibancadas durante o Paulista da Série A-2.

Na visão do técnico Sérgio Guedes, a equipe invariavelmente deve sentir a falta do apoio vindo de fora. Por isso, até mesmo para montar o elenco, o treinador leva estes fatos em consideração. “(A Série A-2) É uma competição muito equilibrada, mais ainda pelas circunstâncias de não ter fator torcida. Existem clubes que têm muita influência do fator campo, da pressão vinda da arquibancada”, sustentou o treinador. Ele vê o Água Santa nesta condição e está em busca de formar elenco com personalidade suficiente para suprir esse aspecto. “O clube historicamente é assim: tem paixão da torcida, sentimento forte. Então, vejo que precisamos ter jogadores que compensem com desejo próprio essa falta do torcedor. Cada atleta funciona de uma forma. Tem até quem jogue melhor sem pressão. Precisamos saber pôr as peças que vão fazer direito mesmo com todos esses dificultadores (envolvidos)”, avaliou.

O Netuno apresentou, por ora, um reforço: o volante Tauã, 25 anos, ex-Boa Esporte-MG. Segundo o treinador, o clube vem encontrando dificuldade para negociar em razão da qualidade e do interesse que os jogadores despertam em outros clubes. “Mercado está aquecido e onde estamos querendo entrar é mais competitivo ainda. As escolhas já foram feitas, o processo está em andamento, encaminhado. Acredito que teremos elenco similar, formado por titulares e precisamos doutrinar isso, dar importância para todos e construir projeto que compense esse prejuízo que a competição vai dar a nível de mando de jogo, motivação”, disse Guedes.

E o intuito de montar um grupo forte é justamente alcançar o acesso de volta à elite. “(Aqui) É clube com condição, que quer regressar, está escolhendo as pessoas adequadas para construir isso. Não é processo simples, é muito desgastante esse momento de contratação, porque tem muitas opções. Priorizamos muito a transformação do perfil dos atletas: conduta, maneira de trabalhar, se portar, se valorizar. Esse contexto de forma muito interpretada faz com que a gente tenha pretensões maiores”, concluiu. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem força da torcida, Água Santa busca alternativas em campo

Técnico Sérgio Guedes diz que Netuno usa pressão da arquibancada a favor, mas A-2 será sem público

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

17/01/2021 | 08:23


O Água Santa tem como origem a várzea de Diadema. Foram nos antigos campos de terra da cidade que o clube cresceu, conquistou muitos títulos e formou grande e apaixonada torcida. A partir de então decidiu se profissionalizar, sempre contando com seus fanáticos seguidores nos jogos dentro ou fora do Estádio do Inamar. Entretanto, em razão da pandemia de Covid-19 e dos protocolos adotados para a realização das competições de futebol, o Netuno ou qualquer outro concorrente não poderá ter a presença dos fãs nas arquibancadas durante o Paulista da Série A-2.

Na visão do técnico Sérgio Guedes, a equipe invariavelmente deve sentir a falta do apoio vindo de fora. Por isso, até mesmo para montar o elenco, o treinador leva estes fatos em consideração. “(A Série A-2) É uma competição muito equilibrada, mais ainda pelas circunstâncias de não ter fator torcida. Existem clubes que têm muita influência do fator campo, da pressão vinda da arquibancada”, sustentou o treinador. Ele vê o Água Santa nesta condição e está em busca de formar elenco com personalidade suficiente para suprir esse aspecto. “O clube historicamente é assim: tem paixão da torcida, sentimento forte. Então, vejo que precisamos ter jogadores que compensem com desejo próprio essa falta do torcedor. Cada atleta funciona de uma forma. Tem até quem jogue melhor sem pressão. Precisamos saber pôr as peças que vão fazer direito mesmo com todos esses dificultadores (envolvidos)”, avaliou.

O Netuno apresentou, por ora, um reforço: o volante Tauã, 25 anos, ex-Boa Esporte-MG. Segundo o treinador, o clube vem encontrando dificuldade para negociar em razão da qualidade e do interesse que os jogadores despertam em outros clubes. “Mercado está aquecido e onde estamos querendo entrar é mais competitivo ainda. As escolhas já foram feitas, o processo está em andamento, encaminhado. Acredito que teremos elenco similar, formado por titulares e precisamos doutrinar isso, dar importância para todos e construir projeto que compense esse prejuízo que a competição vai dar a nível de mando de jogo, motivação”, disse Guedes.

E o intuito de montar um grupo forte é justamente alcançar o acesso de volta à elite. “(Aqui) É clube com condição, que quer regressar, está escolhendo as pessoas adequadas para construir isso. Não é processo simples, é muito desgastante esse momento de contratação, porque tem muitas opções. Priorizamos muito a transformação do perfil dos atletas: conduta, maneira de trabalhar, se portar, se valorizar. Esse contexto de forma muito interpretada faz com que a gente tenha pretensões maiores”, concluiu. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;