Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA: Biden preenche equipe do Departamento de Estado com veteranos da era Obama



16/01/2021 | 20:54


O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, preencheu neste sábado a sua equipe no Departamento de Estado com um grupo de ex-diplomatas de carreira e veteranos do governo Obama, sinalizando seu desejo de retornar a um modelo mais tradicional de política externa após quatro anos de incerteza e imprevisibilidade sob o presidente Donald Trump.

Biden nomeará Wendy Sherman como vice-secretária de Estado e Victoria

Nuland como subsecretária de Estado para assuntos políticos - o segundo e terceiros postos principais dentro do departamento, respectivamente. Outros nove nomes foram anunciados hoje para trabalhar com o próximo secretário de Estado, Antony Blinken.

A equipe "incorpora minha crença central de que a América é mais forte quando funciona com nossos aliados", disse Biden, em comunicado. Ele disse estar confiante de que "eles usarão sua experiência diplomática e habilidade para restaurar a liderança global e moral da América. A América está de volta."

Embora a maioria não seja de nomes conhecidos, todos são defensores do multilateralismo e muitos estão familiarizados com Washington e círculos de política externa no exterior. As seleções de Biden são um reflexo da intenção de se afastar da posição de Trump de "América em primeiro lugar" nas relações internacionais.

Sherman liderou as negociações do governo Obama que levaram em 2015 ao acordo nuclear com o Irã, do qual Trump se retirou, e se envolveu em negociações

sobre mísseis balísticos com a Coreia do Norte durante o segundo mandato do presidente Bill Clinton. Nuland atuou como secretária de Estado adjunta para a Assuntos Europeus durante a crise da Ucrânia. Sherman e Nuland precisarão de confirmação do Senado para seus postos.

Outro nome que precisará de confirmação é o de Brian McKeon, assessor de Biden no Senado de longa data, para ser vice-secretário de Estado para gestão. Esse cargo está vago há algum tempo e espera-se que McKeon e Sherman compartilhem as funções de oficial número 3 do departamento.

As experientes diplomatas Bonnie Jenkins e Uzra Zeya serão subsecretárias

de Estado para controle de armas e subsecretária de Estado da democracia e

direitos, respectivamente, cargos que também precisam de confirmação no Senado.

Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA: Biden preenche equipe do Departamento de Estado com veteranos da era Obama


16/01/2021 | 20:54


O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, preencheu neste sábado a sua equipe no Departamento de Estado com um grupo de ex-diplomatas de carreira e veteranos do governo Obama, sinalizando seu desejo de retornar a um modelo mais tradicional de política externa após quatro anos de incerteza e imprevisibilidade sob o presidente Donald Trump.

Biden nomeará Wendy Sherman como vice-secretária de Estado e Victoria

Nuland como subsecretária de Estado para assuntos políticos - o segundo e terceiros postos principais dentro do departamento, respectivamente. Outros nove nomes foram anunciados hoje para trabalhar com o próximo secretário de Estado, Antony Blinken.

A equipe "incorpora minha crença central de que a América é mais forte quando funciona com nossos aliados", disse Biden, em comunicado. Ele disse estar confiante de que "eles usarão sua experiência diplomática e habilidade para restaurar a liderança global e moral da América. A América está de volta."

Embora a maioria não seja de nomes conhecidos, todos são defensores do multilateralismo e muitos estão familiarizados com Washington e círculos de política externa no exterior. As seleções de Biden são um reflexo da intenção de se afastar da posição de Trump de "América em primeiro lugar" nas relações internacionais.

Sherman liderou as negociações do governo Obama que levaram em 2015 ao acordo nuclear com o Irã, do qual Trump se retirou, e se envolveu em negociações

sobre mísseis balísticos com a Coreia do Norte durante o segundo mandato do presidente Bill Clinton. Nuland atuou como secretária de Estado adjunta para a Assuntos Europeus durante a crise da Ucrânia. Sherman e Nuland precisarão de confirmação do Senado para seus postos.

Outro nome que precisará de confirmação é o de Brian McKeon, assessor de Biden no Senado de longa data, para ser vice-secretário de Estado para gestão. Esse cargo está vago há algum tempo e espera-se que McKeon e Sherman compartilhem as funções de oficial número 3 do departamento.

As experientes diplomatas Bonnie Jenkins e Uzra Zeya serão subsecretárias

de Estado para controle de armas e subsecretária de Estado da democracia e

direitos, respectivamente, cargos que também precisam de confirmação no Senado.

Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;