Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

37% dos internautas creem que governo Bolsonaro é ruim ou péssimo, diz pesquisa



15/01/2021 | 17:29


Apesar do pico da crise de saúde vivida em Manaus (AM), a popularidade do governo do presidente Jair Bolsonaro se manteve estável nas redes sociais, de acordo com pesquisa feita pelo Modalmais e AP Exata nesta semana. O levantamento indicou que 35,1% dos usuários avaliam o governo como bom ou ótimo. Outros 37% dos internautas acreditam que o governo é ruim ou péssimo e 27,9% o veem como regular.

Mesmo com a popularidade em estabilidade, as menções negativas ao presidente permaneceram altas, em especial na quinta-feira, 14, depois da repercussão da falta de cilindros de oxigênio em Manaus. A situação do Estado do Amazonas também intensificou as pressões pelo início de uma campanha de vacinação contra a covid-19.

Desde meados de dezembro, opositores do governo superam os apoiadores, um dos períodos mais longos desde o início do levantamento, em abril de 2020.

A pesquisa da consultoria AP Exata e do banco Modalmais utiliza dados abertos, de perfis públicos.

Na economia, o encerramento das fábricas da Ford no Brasil causou piora na percepção do cenário econômico nas redes. Os opositores culpam o governo pela falta de empenho na recuperação, enquanto liberais pedem reformas estruturais urgentes.

Por outro lado, a imagem do ministro Paulo Guedes também foi afetada depois do impasse envolvendo mudanças no Banco do Brasil.

Depois do anúncio do BB sobre o fechamento de agências e o desligamento de 5 mil funcionários, o presidente passou a considerar a demissão do presidente do banco, André Brandão.

A pesquisa indicou que perfis liberais e do mercado consideram que Bolsonaro está interferindo na atuação de Guedes para proteger a sua popularidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

37% dos internautas creem que governo Bolsonaro é ruim ou péssimo, diz pesquisa


15/01/2021 | 17:29


Apesar do pico da crise de saúde vivida em Manaus (AM), a popularidade do governo do presidente Jair Bolsonaro se manteve estável nas redes sociais, de acordo com pesquisa feita pelo Modalmais e AP Exata nesta semana. O levantamento indicou que 35,1% dos usuários avaliam o governo como bom ou ótimo. Outros 37% dos internautas acreditam que o governo é ruim ou péssimo e 27,9% o veem como regular.

Mesmo com a popularidade em estabilidade, as menções negativas ao presidente permaneceram altas, em especial na quinta-feira, 14, depois da repercussão da falta de cilindros de oxigênio em Manaus. A situação do Estado do Amazonas também intensificou as pressões pelo início de uma campanha de vacinação contra a covid-19.

Desde meados de dezembro, opositores do governo superam os apoiadores, um dos períodos mais longos desde o início do levantamento, em abril de 2020.

A pesquisa da consultoria AP Exata e do banco Modalmais utiliza dados abertos, de perfis públicos.

Na economia, o encerramento das fábricas da Ford no Brasil causou piora na percepção do cenário econômico nas redes. Os opositores culpam o governo pela falta de empenho na recuperação, enquanto liberais pedem reformas estruturais urgentes.

Por outro lado, a imagem do ministro Paulo Guedes também foi afetada depois do impasse envolvendo mudanças no Banco do Brasil.

Depois do anúncio do BB sobre o fechamento de agências e o desligamento de 5 mil funcionários, o presidente passou a considerar a demissão do presidente do banco, André Brandão.

A pesquisa indicou que perfis liberais e do mercado consideram que Bolsonaro está interferindo na atuação de Guedes para proteger a sua popularidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;