Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Rottweillers atacam homem em ferro-velho em Sto.André


Leandro Calixto e Orlando Filho
Do Diário do Grande ABC

03/09/2005 | 09:55


O funcionário público Fernando Cabral, 47 anos, teve parte de suas duas pernas dilaceradas por dois cachorros rottweillers no final da tarde de sexta-feira. Ele foi atacado pelos animais dentro de um ferro-velho, na rua Lauro Gomes, no bairro Valparaíso, em Santo André. Enquanto negociava a compra de um portão com o proprietário do estabelecimento, os cachorros conseguiram escapar do local onde estavam presos e foram para cima de Cabral.

Sexta-feira à noite, o funcionário público passaria por cirurgias no Hospital Cristóvão da Gama. Só então, os médicos saberiam a gravidade das lesões. "As veias e os músculos das pernas dele foram rompidos. Vamos tentar costurá-los. Mas acredito que ele não corra grande risco", disse o médico Márcio Pereira, momentos antes de iniciar a cirurgia.

O drama de Fernando Cabral começou por volta das 16h. Ao entrar no ferro-velho, a vítima sabia da existência dos rottweillers no estabelecimento e que estavam presos, atrás de uma grade. "Foi tudo muito rápido. Eles conseguiram sair e vieram para cima de mim. O senhor, dono do ferro-velho, ainda tentou segurá-los. Mas não teve forças", explicou o funcionário público, momentos antes de entrar na sala de cirurgia.

Mesmo ferido e depois de conseguir escapar da fúria dos cães, Fernando Cabral conseguiu avisar por telefone a família sobre os ataques que acabara de sofrer. Em seguida, chamaram o resgate do Corpo de Bombeiros para levá-lo para o pronto-socorro do Hospital Cristóvão da Gama.

Cabral fez questão de isentar o dono dos rottweilers, o aposentado José Loureira de Paula, 72 anos. "Eles não teve culpa. Foi um acidente", enfatizou. A mesma opinião foi compartilha por algumas testemunhas que presenciaram o acidente. "Ele (dono do ferro-velho) é bastante velhinho. Só comprou estes cachorros porque estava sendo assaltado constantemente", disse o mecânico Fernando dos Santos.

Ainda assustado com o incidente, o aposentado José Loureira não cansava de lamentar o acidente ocorrido em seu estabelecimento. "Consegui segurar um dos cães em minhas mãos durante um determinado tempo. Mas eles são muito fortes. Não tive como evitar os ataques", afirmou o dono do ferro-velho. Ele disse ainda que não sabe se iria se desfazer dos rottweilers depois do acidente de sexta-feira.

O caso foi encaminhado para o 1º DP (Distrito Policial) de Santo André. Mas a família de Fernando Cabral descarta qualquer possibilidade de mover um processo contra o aposentado. "Ele não teve culpa. Realmente foi um acidente e infelizmente meu irmão foi vítima desta barbaridade. Só acho que não é qualquer um que pode ter este tipo de cão", disse a professora Rubia Cabral, 43 anos.

Já o filho do funcionário público, o metalúrgico Rodrigo Cabral, 24, espera que este acidente no qual seu pai foi vítima sirva de exemplo. Para ele, este tipo de raça de cão deveria ser extinto. "Eles são perigosos e traiçoeiros. Não podem conviver normalmente com a sociedade", opiniou o metalúrgico.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;