Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tite tira indicado de Vidoski do comando da pasta de Esportes

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Marco Astolfi é substituído por Renata Trevelin como secretário; tucano diz não ver retaliação


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

13/01/2021 | 00:33


O prefeito de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania), exonerou Marco Astolfi do cargo de secretário de Esportes e já deu posse para Renata Trevelin como titular do setor. Astolfi estava na função desde o primeiro semestre do ano passado e havia sido indicado pelo ex-vice-prefeito e atual vereador Beto Vidoski (PSDB).

A movimentação aconteceu ontem e até cerimônia de transmissão de cargo aconteceu – de forma reservada, mas com a presença de Vidoski. Renata atuou como gestora esportiva na pasta, inclusive na passagem de Vidoski como secretário, que durou de 2017 a 2020, quando o tucano se desincompatibilizou da função para ser candidato a vereador. A nomeação está programada para hoje, no Diário Oficial.

É a primeira troca no secretariado promovida por Tite desde que ele assumiu o Paço – eleito presidente da Câmara no dia 1º, foi alçado à condição de prefeito em exercício diante do impasse jurídico envolvendo José Auricchio Júnior (PSDB). Reeleito no voto em novembro, o tucano teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral de São Caetano e aguarda acolhimento de recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para tomar posse.

A alteração, entretanto, envolve o personagem que mais causou polêmica na eleição para a mesa diretora do Legislativo. No dia 1º, Vidoski não escondeu a contrariedade com a decisão de Tite ser o nome governista no pleito interno, tendo Pio Mielo (PSDB) como vice – a configuração implicaria Tite como prefeito interino e Pio como presidente da casa em exercício.

Momentos antes da eleição, gravou vídeo dizendo que não votaria na chapa governista. Durante o processo eleitoral, colocou seu nome como candidato a presidente da Câmara – recebeu apenas seu voto. Depois do pleito, foi à tribuna buscar pacificar a situação que, nos bastidores, estava quente. Vidoski chamou Tite e Pio de amigos, desejou bom mandato a ambos e avisou que estava à disposição para ajudar.

Ao Diário, Vidoski disse que a saída de Astolfi é “natura em um processo de troca de governo”. “Eu fiquei muito feliz com a indicação da Renata. Até porque ela trabalhou com a gente durante os quatro anos, é uma excelente gestora. É amiga minha e da minha família de longa data”, comentou o tucano, emendando que chegou a fazer convite para Renata substituí-lo, mas ela declinou por não conseguir, à ocasião, licença de um colégio particular de São Caetano que trabalha. Renata foi atleta de handebol.

Nos bastidores, Renata é considerada uma desafeta de Vidoski. Entretanto, o tucano assegurou que nunca houve desentendimento com a nova secretária. “Às vezes as ideias não batem, mas a Renata é uma parceira, sempre esteve ligada à nossa gestão na secretaria. Tanto que, na fala dela, a Renata fez elogios ao trabalho desenvolvido. O Tite também.”

O vereador tucano evitou traçar paralelo entre a posição durante a eleição para presidência da Câmara com a saída de seu aliado do primeiro escalão de Tite. “Não vejo relação. No mundo esportivo de São Caetano, a Renata era considerada certa para o cargo desde o período eleitoral.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tite tira indicado de Vidoski do comando da pasta de Esportes

Marco Astolfi é substituído por Renata Trevelin como secretário; tucano diz não ver retaliação

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

13/01/2021 | 00:33


O prefeito de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania), exonerou Marco Astolfi do cargo de secretário de Esportes e já deu posse para Renata Trevelin como titular do setor. Astolfi estava na função desde o primeiro semestre do ano passado e havia sido indicado pelo ex-vice-prefeito e atual vereador Beto Vidoski (PSDB).

A movimentação aconteceu ontem e até cerimônia de transmissão de cargo aconteceu – de forma reservada, mas com a presença de Vidoski. Renata atuou como gestora esportiva na pasta, inclusive na passagem de Vidoski como secretário, que durou de 2017 a 2020, quando o tucano se desincompatibilizou da função para ser candidato a vereador. A nomeação está programada para hoje, no Diário Oficial.

É a primeira troca no secretariado promovida por Tite desde que ele assumiu o Paço – eleito presidente da Câmara no dia 1º, foi alçado à condição de prefeito em exercício diante do impasse jurídico envolvendo José Auricchio Júnior (PSDB). Reeleito no voto em novembro, o tucano teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral de São Caetano e aguarda acolhimento de recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para tomar posse.

A alteração, entretanto, envolve o personagem que mais causou polêmica na eleição para a mesa diretora do Legislativo. No dia 1º, Vidoski não escondeu a contrariedade com a decisão de Tite ser o nome governista no pleito interno, tendo Pio Mielo (PSDB) como vice – a configuração implicaria Tite como prefeito interino e Pio como presidente da casa em exercício.

Momentos antes da eleição, gravou vídeo dizendo que não votaria na chapa governista. Durante o processo eleitoral, colocou seu nome como candidato a presidente da Câmara – recebeu apenas seu voto. Depois do pleito, foi à tribuna buscar pacificar a situação que, nos bastidores, estava quente. Vidoski chamou Tite e Pio de amigos, desejou bom mandato a ambos e avisou que estava à disposição para ajudar.

Ao Diário, Vidoski disse que a saída de Astolfi é “natura em um processo de troca de governo”. “Eu fiquei muito feliz com a indicação da Renata. Até porque ela trabalhou com a gente durante os quatro anos, é uma excelente gestora. É amiga minha e da minha família de longa data”, comentou o tucano, emendando que chegou a fazer convite para Renata substituí-lo, mas ela declinou por não conseguir, à ocasião, licença de um colégio particular de São Caetano que trabalha. Renata foi atleta de handebol.

Nos bastidores, Renata é considerada uma desafeta de Vidoski. Entretanto, o tucano assegurou que nunca houve desentendimento com a nova secretária. “Às vezes as ideias não batem, mas a Renata é uma parceira, sempre esteve ligada à nossa gestão na secretaria. Tanto que, na fala dela, a Renata fez elogios ao trabalho desenvolvido. O Tite também.”

O vereador tucano evitou traçar paralelo entre a posição durante a eleição para presidência da Câmara com a saída de seu aliado do primeiro escalão de Tite. “Não vejo relação. No mundo esportivo de São Caetano, a Renata era considerada certa para o cargo desde o período eleitoral.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;