Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Não vou trabalhar contra ninguém, garante Colombo

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Primeiro suplente do PSDB em Sto.André será vereador com ida de Chehade ao Paço


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

06/01/2021 | 00:01


Primeiro suplente de vereador pelo PSDB de Santo André, o líder do MBL (Movimento Brasil Livre) na cidade Márcio Colombo evitou entrar em embate com os colegas de Câmara. Ao falar sobre a ida à casa, o tucano adotou tom “de diálogo”, a despeito da desconfiança que paira sobre sua atuação. Ele exercerá mandato nesta legislatura com a volta do parlamentar Marcelo Chehade (PSDB) para a Secretaria de Esportes, cenário que abriu vaga para o ativista político, que sofre resistência de parte dos políticos devido a seu posicionamento de questionar ações da casa.

“Não vou trabalhar contra ninguém. Todos os vereadores eleitos representam pessoas que acreditaram nelas. Todos merecem respeito. Essa dúvida que, talvez, alguns tenham em como o Márcio vai se comportar (no Legislativo) pode ter certeza: vou ser fiel às minhas bandeiras, defendendo os interesses do município, mas, com certeza, buscando convencimento dos pares, bom diálogo, discussão de projetos, elevar a qualidade da Câmara e, com isso, buscar trazer novas oportunidades. Não será gerado conflito apenas para gerar mídia”, ponderou o tucano.

O tucanato fez seis cadeiras. Colombo registrou 2.845 votos em novembro – em 2016, alcançou 578 adesões. Ele acrescentou que seu relacionamento com o prefeito Paulo Serra (PSDB) é de longa data e que a gestão no primeiro mandato o “agradou muito do ponto de vista liberal”. “Obviamente as pessoas que votaram em mim votaram por causa de bandeiras específicas que eu defendo. Tenho consonâncias com o prefeito. A primeira, o bom uso do dinheiro público, que não é para ser esbanjado.”

O tucano chegou a ocupar cargo no governo. Após a saída do posto, encabeçou ação contra a revisão da PGV (Planta Genérica de Valores), base de cálculo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Apesar do longo percurso até a próxima eleição, em 2022, há sinalização que Colombo não seja candidato a deputado na disputa. Em 2018, ele atuou na campanha de Arthur Mamãe Falei (Patriota) e Kim Kataguiri (DEM), ambos eleitos parlamentares estadual e federal, respectivamente. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Não vou trabalhar contra ninguém, garante Colombo

Primeiro suplente do PSDB em Sto.André será vereador com ida de Chehade ao Paço

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

06/01/2021 | 00:01


Primeiro suplente de vereador pelo PSDB de Santo André, o líder do MBL (Movimento Brasil Livre) na cidade Márcio Colombo evitou entrar em embate com os colegas de Câmara. Ao falar sobre a ida à casa, o tucano adotou tom “de diálogo”, a despeito da desconfiança que paira sobre sua atuação. Ele exercerá mandato nesta legislatura com a volta do parlamentar Marcelo Chehade (PSDB) para a Secretaria de Esportes, cenário que abriu vaga para o ativista político, que sofre resistência de parte dos políticos devido a seu posicionamento de questionar ações da casa.

“Não vou trabalhar contra ninguém. Todos os vereadores eleitos representam pessoas que acreditaram nelas. Todos merecem respeito. Essa dúvida que, talvez, alguns tenham em como o Márcio vai se comportar (no Legislativo) pode ter certeza: vou ser fiel às minhas bandeiras, defendendo os interesses do município, mas, com certeza, buscando convencimento dos pares, bom diálogo, discussão de projetos, elevar a qualidade da Câmara e, com isso, buscar trazer novas oportunidades. Não será gerado conflito apenas para gerar mídia”, ponderou o tucano.

O tucanato fez seis cadeiras. Colombo registrou 2.845 votos em novembro – em 2016, alcançou 578 adesões. Ele acrescentou que seu relacionamento com o prefeito Paulo Serra (PSDB) é de longa data e que a gestão no primeiro mandato o “agradou muito do ponto de vista liberal”. “Obviamente as pessoas que votaram em mim votaram por causa de bandeiras específicas que eu defendo. Tenho consonâncias com o prefeito. A primeira, o bom uso do dinheiro público, que não é para ser esbanjado.”

O tucano chegou a ocupar cargo no governo. Após a saída do posto, encabeçou ação contra a revisão da PGV (Planta Genérica de Valores), base de cálculo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Apesar do longo percurso até a próxima eleição, em 2022, há sinalização que Colombo não seja candidato a deputado na disputa. Em 2018, ele atuou na campanha de Arthur Mamãe Falei (Patriota) e Kim Kataguiri (DEM), ambos eleitos parlamentares estadual e federal, respectivamente. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;