Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sou o vereador que mais se opôs a Morando, diz Joilson

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

03/01/2021 | 03:27


O vereador Joilson Santos (PT) deflagrou crise no PT de São Bernardo na primeira sessão do ano. Depois de votar a favor de Estevão Camolesi (PSDB) para presidir a Câmara, em alinhamento ao governo do prefeito Orlando Morando (PSDB), disparou contra os correligionários.

Joilson surpreendeu ao ir contra a candidatura oposicionista na eleição ao comando do Legislativo, liderado por Ana Nice (PT). Camolesi foi eleito para dirigir a casa neste ano e no próximo com 25 votos – dos 24 situacionistas e o de Joilson.

“Votei em Camolesi porque ele me pediu e porque tenho relação de amizade com o vereador. Além do mais, também votei no Pery e no Ramon e nunca deixei de de fazer oposição ao Orlando Morando”, comentou Joilson, em referência às eleições de Pery Cartola (PSDB), em 2017, e de Ramon Ramos (PDT, morto em 2019), em 2018. “Aliás, sou o vereador petista que mais faz oposição na Câmara. Mais até que Ana Nice.”

O racha aconteceu em meio aos questionamentos de desempenho da bancada petista na Câmara no primeiro mandato de Morando e o resultado eleitoral do ano passado – que conferiu vitória ao tucano no primeiro turno e, de quebra, reduziu o bloco do petismo na casa, perdendo uma cadeira. Durante os quatro primeiros anos da gestão tucana, a crítica dentro do diretório do PT era recorrente sobre oposição branda, quando existia, contra a administração do PSDB.

Joilson admitiu ter recebido ligação do presidente do PT municipal, Cleiton Coutinho, para discutir o assunto. “O presidente do partido me ligou e pediu união no PT, mas expliquei que eu ter votado nesse ou naquele não quer dizer que estamos desunidos”, discorreu, para, na sequência, reconhecer que pode ser alvo de apuração dentro da sigla. “Não sei se serei punido, mas se for encararei com tranquilidade. Quero começar 2021 em paz.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sou o vereador que mais se opôs a Morando, diz Joilson

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

03/01/2021 | 03:27


O vereador Joilson Santos (PT) deflagrou crise no PT de São Bernardo na primeira sessão do ano. Depois de votar a favor de Estevão Camolesi (PSDB) para presidir a Câmara, em alinhamento ao governo do prefeito Orlando Morando (PSDB), disparou contra os correligionários.

Joilson surpreendeu ao ir contra a candidatura oposicionista na eleição ao comando do Legislativo, liderado por Ana Nice (PT). Camolesi foi eleito para dirigir a casa neste ano e no próximo com 25 votos – dos 24 situacionistas e o de Joilson.

“Votei em Camolesi porque ele me pediu e porque tenho relação de amizade com o vereador. Além do mais, também votei no Pery e no Ramon e nunca deixei de de fazer oposição ao Orlando Morando”, comentou Joilson, em referência às eleições de Pery Cartola (PSDB), em 2017, e de Ramon Ramos (PDT, morto em 2019), em 2018. “Aliás, sou o vereador petista que mais faz oposição na Câmara. Mais até que Ana Nice.”

O racha aconteceu em meio aos questionamentos de desempenho da bancada petista na Câmara no primeiro mandato de Morando e o resultado eleitoral do ano passado – que conferiu vitória ao tucano no primeiro turno e, de quebra, reduziu o bloco do petismo na casa, perdendo uma cadeira. Durante os quatro primeiros anos da gestão tucana, a crítica dentro do diretório do PT era recorrente sobre oposição branda, quando existia, contra a administração do PSDB.

Joilson admitiu ter recebido ligação do presidente do PT municipal, Cleiton Coutinho, para discutir o assunto. “O presidente do partido me ligou e pediu união no PT, mas expliquei que eu ter votado nesse ou naquele não quer dizer que estamos desunidos”, discorreu, para, na sequência, reconhecer que pode ser alvo de apuração dentro da sigla. “Não sei se serei punido, mas se for encararei com tranquilidade. Quero começar 2021 em paz.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;