Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Moradores pedem olhar especial a saúde e educação

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Equipe do Diário vai às ruas da região para ouvir a lista de desejos para os próximos prefeitos


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

01/01/2021 | 00:04


O ano começa hoje juntamente com os mandatos dos prefeitos eleitos no pleito de novembro, e o desejo dos moradores do Grande ABC aos futuros gestores é por olhar especial na saúde e educação, dois setores fortemente impactados pela pandemia de Covid-19.

A equipe do Diário foi às ruas nas cidades da região para ouvir eleitores sobre as expectativas para o ano, em meio à crise sanitária e a todos os efeitos que ela trouxe – como aumento da desigualdade social, acréscimo do desemprego, mais de 3.000 mortes por novo coronavírus no Grande ABC e suspensão de aulas presenciais.

Em Santo André, que reconduziu o prefeito Paulo Serra (PSDB) para mais quatro anos, a saúde foi listada como área que o tucano precisará olhar com atenção. “Uma coisa que tem que melhorar em Santo André é a saúde. Há espera em algum exames da rede municipal. Espero que o prefiro possa resolver este problema”, disse o promotor Eduardo Nogueira Cardoso, 40 anos, morador da Vila Luzita. “O prefeito tem de priorizar o investimento na saúde municipal. Mais leitos, mais equipamentos e até mais mão de obra. Melhorando a saúde, já melhora muito a vida na cidade”, comentou Rodrigo Tralli, 36 anos, que reside na Vila Homero Thon.

Assim como a vizinha Santo André, São Bernardo reelegeu Orlando Morando (PSDB) como prefeito. A saúde também foi apontada como setor a melhorar, mas houve reclamação de insegurança e pedido por melhoria na educação. “Acho que o prefeito teria que trabalhar muito para aprimorar da saúde. Os atendimentos são ruins, assim como a espera na fila de exames no serviço municipal”, citou a representante de vendas Sônia Gonzaga, 60, que mora no Jardim Los Angeles. “Ainda tem muito que fazer em segurança na cidade. Acredito que a GCM (Guarda Civil Municipal) poderia ser usada para fazer mais rondas, por exemplo. Na educação também. Abrir mais vagas de creche, mais vagas para o ensino fundamental”, opinou Adão Midel, 23, líder de terminal e morador do Rudge Ramos.

Em Diadema, cidade que voltou a eleger José de Filippi Júnior (PT) como chefe do Executivo – o petista administrou o município em três oportunidades e estava fora do Paço havia 12 anos –, o desejo é por investimento em saúde pública. “Eu espero que o novo prefeito Filippi invista na saúde pública e na segurança. Ficou nítido o sucateamento das UBSs (Unidades Básicas de Saúde), do Quarteirão da Saúde e do pronto-socorro do Hospital Municipal de Piraporinha agora durante a pandemia”, avaliou Daniel Leal, 25, estudante e morador de Piraporinha. “A última gestão (de Lauro Michels, PV) deixou muito a desejar. Com o retorno do Filippi, acredito que as atenções possam voltar à saúde. Gostaria também de melhorias no transporte público”, pediu Flávio Santos, 26, estudante e residente da região central.

A saúde foi citada como prioridade dos moradores de Ribeirão Pires, que tornaram a confiar o comando do Paço a Clóvis Volpi (PL) – o político administrou a cidade em dois mandatos, o último encerrado em 2012. “Gostaria que o próximo prefeito cuidasse da saúde dos idosos. Parece que os políticos sempre se esquecem da gente”, reclamou Maria Aparecida Gonçalves, 63, aposentada e moradora do Centro. O comerciante da Vila Suíssa José Roberto Paranhas, 43, também solicitou melhorias na educação, além da saúde. “ Acho que isso é o básico.”

Em Mauá, o vereador Marcelo Oliveira (PT) toma posse hoje, às 10h, como prefeito da cidade. No mesmo horário, o ex-vereador Claudinho da Geladeira (Podemos) será empossado chefe do Executivo de Rio Grande da Serra.

SÃO CAETANO
Em São Caetano, onde a situação política está indefinida diante do indeferimento do registro de candidatura do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), os moradores lembraram dos problemas com as enchentes. “Acredito que o futuro prefeito tenha que encaminhar o piscinão Jaboticabal, que fica na Avenida Guido Aliberti. Há um problema de enchentes naquelas partes da cidade”, lembrou Argemiro Severino, 75, aposentado morador do Centro. “São Caetano não tem muitos problemas. O próximo prefeito só precisa manter o que a cidade já tem, principalmente na saúde e educação”, considerou Antonio Risomar, 43, ambulante e residente do bairro Olímpico. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Moradores pedem olhar especial a saúde e educação

Equipe do Diário vai às ruas da região para ouvir a lista de desejos para os próximos prefeitos

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

01/01/2021 | 00:04


O ano começa hoje juntamente com os mandatos dos prefeitos eleitos no pleito de novembro, e o desejo dos moradores do Grande ABC aos futuros gestores é por olhar especial na saúde e educação, dois setores fortemente impactados pela pandemia de Covid-19.

A equipe do Diário foi às ruas nas cidades da região para ouvir eleitores sobre as expectativas para o ano, em meio à crise sanitária e a todos os efeitos que ela trouxe – como aumento da desigualdade social, acréscimo do desemprego, mais de 3.000 mortes por novo coronavírus no Grande ABC e suspensão de aulas presenciais.

Em Santo André, que reconduziu o prefeito Paulo Serra (PSDB) para mais quatro anos, a saúde foi listada como área que o tucano precisará olhar com atenção. “Uma coisa que tem que melhorar em Santo André é a saúde. Há espera em algum exames da rede municipal. Espero que o prefiro possa resolver este problema”, disse o promotor Eduardo Nogueira Cardoso, 40 anos, morador da Vila Luzita. “O prefeito tem de priorizar o investimento na saúde municipal. Mais leitos, mais equipamentos e até mais mão de obra. Melhorando a saúde, já melhora muito a vida na cidade”, comentou Rodrigo Tralli, 36 anos, que reside na Vila Homero Thon.

Assim como a vizinha Santo André, São Bernardo reelegeu Orlando Morando (PSDB) como prefeito. A saúde também foi apontada como setor a melhorar, mas houve reclamação de insegurança e pedido por melhoria na educação. “Acho que o prefeito teria que trabalhar muito para aprimorar da saúde. Os atendimentos são ruins, assim como a espera na fila de exames no serviço municipal”, citou a representante de vendas Sônia Gonzaga, 60, que mora no Jardim Los Angeles. “Ainda tem muito que fazer em segurança na cidade. Acredito que a GCM (Guarda Civil Municipal) poderia ser usada para fazer mais rondas, por exemplo. Na educação também. Abrir mais vagas de creche, mais vagas para o ensino fundamental”, opinou Adão Midel, 23, líder de terminal e morador do Rudge Ramos.

Em Diadema, cidade que voltou a eleger José de Filippi Júnior (PT) como chefe do Executivo – o petista administrou o município em três oportunidades e estava fora do Paço havia 12 anos –, o desejo é por investimento em saúde pública. “Eu espero que o novo prefeito Filippi invista na saúde pública e na segurança. Ficou nítido o sucateamento das UBSs (Unidades Básicas de Saúde), do Quarteirão da Saúde e do pronto-socorro do Hospital Municipal de Piraporinha agora durante a pandemia”, avaliou Daniel Leal, 25, estudante e morador de Piraporinha. “A última gestão (de Lauro Michels, PV) deixou muito a desejar. Com o retorno do Filippi, acredito que as atenções possam voltar à saúde. Gostaria também de melhorias no transporte público”, pediu Flávio Santos, 26, estudante e residente da região central.

A saúde foi citada como prioridade dos moradores de Ribeirão Pires, que tornaram a confiar o comando do Paço a Clóvis Volpi (PL) – o político administrou a cidade em dois mandatos, o último encerrado em 2012. “Gostaria que o próximo prefeito cuidasse da saúde dos idosos. Parece que os políticos sempre se esquecem da gente”, reclamou Maria Aparecida Gonçalves, 63, aposentada e moradora do Centro. O comerciante da Vila Suíssa José Roberto Paranhas, 43, também solicitou melhorias na educação, além da saúde. “ Acho que isso é o básico.”

Em Mauá, o vereador Marcelo Oliveira (PT) toma posse hoje, às 10h, como prefeito da cidade. No mesmo horário, o ex-vereador Claudinho da Geladeira (Podemos) será empossado chefe do Executivo de Rio Grande da Serra.

SÃO CAETANO
Em São Caetano, onde a situação política está indefinida diante do indeferimento do registro de candidatura do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), os moradores lembraram dos problemas com as enchentes. “Acredito que o futuro prefeito tenha que encaminhar o piscinão Jaboticabal, que fica na Avenida Guido Aliberti. Há um problema de enchentes naquelas partes da cidade”, lembrou Argemiro Severino, 75, aposentado morador do Centro. “São Caetano não tem muitos problemas. O próximo prefeito só precisa manter o que a cidade já tem, principalmente na saúde e educação”, considerou Antonio Risomar, 43, ambulante e residente do bairro Olímpico. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;