Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Ibovespa supera marca inédita dos 120 mil pontos com notícias sobre vacinas

Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Se pararmos para avaliar com mais atenção, o País está terminando o ano bem, declarou especialista



30/12/2020 | 10:51


Os inéditos 120 mil pontos foram realidade primeiramente no mercado futuro de ações da B3, quando a máxima atingiu 120.240 pontos. Logo em seguida, instantes após a abertura, o índice à vista superou a marca dos 120 mil pontos. Até o momento, a máxima alcançada pelo Ibovespa foi de 120.149,85 pontos. "Tem muita notícia positiva sobre vacina", diz Bruno Takeo, gestor da Ouro Preto Investimentos.

Às 10h39, o Ibovespa subia 0,52%, aos 120.035,26 pontos.

Na seara de informações sobre imunizante contra o novo coronavírus, a vacina da Universidade Oxford e da AstraZeneca pode ter eficácia de 80%, quando é dado um intervalo de três meses entre a primeira e a segunda dose, conforme a Reuters.

Já no Reino Unido, mais uma vacina foi aprovada para uso emergencial (Oxford/AstraZeneca). "Isso está animando, quem sabe pode ser um gatilho para o Brasil começar logo o processo de imunização", diz Takeo.

Como é fechamento de ano e também de semestre, deve ter uma puxada, pode até ter uma pequena ''guerra''", diz o estrategista-chefe da Levante Ideias de Investimentos, Rafael Bevilacqua. "Além disso, os EUA ainda devem tentar aprovar a ampliação do auxílio e, para completar, o noticiário sobre vacina também é positivo. Ou seja, tende a ser um dia também positivo", emenda Bevilacqua.

"No geral, prevalece um contexto de maior apetite ao risco, o que fica ilustrado não apenas pelos recordes nas bolsas, mas também em outros ativos como o bitcoin", ressalta em nota o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria Integrada.

Enquanto os futuros de Nova York sobem de forma moderada, as bolsas europeias têm sinais mistos, porém o petróleo avança mas as ações da Petrobras têm variações divergentes: PN cedia 0,07% e ON subia 0,38%. Os papéis ainda podem ser influenciados pelo noticiário envolvendo a companhia.

A Petrobras informa que foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de acionistas da Transpetro a redução do capital social da subsidiária, no montante de R$ 557.020.835,82. Também ontem, a estatal anunciou ter recebido R$ 232,6 milhões em razão do acordo de leniência celebrado entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Vitol, em 3 de dezembro. Já Vale ON subia 0,03%.

"Se pararmos para avaliar com mais atenção, o País está terminando o ano bem. Iniciou o ano indicando melhora, depois as projeções pioraram por causa do início da pandemia de coronavírus, com estimativas para o PIB indicando recuo entre 15% e 10%. Agora, tende a ceder em torno de 4%, e crescer na faixa dessa marca em 2021", afirma o estrategista-chefe da Levante.

"Com a China, puxando o crescimento, liquidez continuando e com juro baixo, deve ser um ano bom", completa Bevilacqua, que não descarta a possibilidade de o Ibovespa tatear 140 mil, 150 mil pontos no ano que vem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ibovespa supera marca inédita dos 120 mil pontos com notícias sobre vacinas

Se pararmos para avaliar com mais atenção, o País está terminando o ano bem, declarou especialista


30/12/2020 | 10:51


Os inéditos 120 mil pontos foram realidade primeiramente no mercado futuro de ações da B3, quando a máxima atingiu 120.240 pontos. Logo em seguida, instantes após a abertura, o índice à vista superou a marca dos 120 mil pontos. Até o momento, a máxima alcançada pelo Ibovespa foi de 120.149,85 pontos. "Tem muita notícia positiva sobre vacina", diz Bruno Takeo, gestor da Ouro Preto Investimentos.

Às 10h39, o Ibovespa subia 0,52%, aos 120.035,26 pontos.

Na seara de informações sobre imunizante contra o novo coronavírus, a vacina da Universidade Oxford e da AstraZeneca pode ter eficácia de 80%, quando é dado um intervalo de três meses entre a primeira e a segunda dose, conforme a Reuters.

Já no Reino Unido, mais uma vacina foi aprovada para uso emergencial (Oxford/AstraZeneca). "Isso está animando, quem sabe pode ser um gatilho para o Brasil começar logo o processo de imunização", diz Takeo.

Como é fechamento de ano e também de semestre, deve ter uma puxada, pode até ter uma pequena ''guerra''", diz o estrategista-chefe da Levante Ideias de Investimentos, Rafael Bevilacqua. "Além disso, os EUA ainda devem tentar aprovar a ampliação do auxílio e, para completar, o noticiário sobre vacina também é positivo. Ou seja, tende a ser um dia também positivo", emenda Bevilacqua.

"No geral, prevalece um contexto de maior apetite ao risco, o que fica ilustrado não apenas pelos recordes nas bolsas, mas também em outros ativos como o bitcoin", ressalta em nota o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria Integrada.

Enquanto os futuros de Nova York sobem de forma moderada, as bolsas europeias têm sinais mistos, porém o petróleo avança mas as ações da Petrobras têm variações divergentes: PN cedia 0,07% e ON subia 0,38%. Os papéis ainda podem ser influenciados pelo noticiário envolvendo a companhia.

A Petrobras informa que foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de acionistas da Transpetro a redução do capital social da subsidiária, no montante de R$ 557.020.835,82. Também ontem, a estatal anunciou ter recebido R$ 232,6 milhões em razão do acordo de leniência celebrado entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Vitol, em 3 de dezembro. Já Vale ON subia 0,03%.

"Se pararmos para avaliar com mais atenção, o País está terminando o ano bem. Iniciou o ano indicando melhora, depois as projeções pioraram por causa do início da pandemia de coronavírus, com estimativas para o PIB indicando recuo entre 15% e 10%. Agora, tende a ceder em torno de 4%, e crescer na faixa dessa marca em 2021", afirma o estrategista-chefe da Levante.

"Com a China, puxando o crescimento, liquidez continuando e com juro baixo, deve ser um ano bom", completa Bevilacqua, que não descarta a possibilidade de o Ibovespa tatear 140 mil, 150 mil pontos no ano que vem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;