Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 14 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar sobe a R$ 5,22 com aversão a risco global

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


21/12/2020 | 09:45


O dólar renovou máxima na casa dos R$ 5,22 nesta segunda-feira, 21, acompanhando a moeda norte-americana forte no exterior, diz o gerente da mesa de derivativos financeiros da corretora Commcor, Cleber Alessie Machado Neto. "A mutação de covid-19 no Reino Unido pegou todos de surpresa e se sobrepõe a boa notícia do pacote de estímulos fiscais dos EUA, que é fator pró-risco e pode ser que as bolsas melhorem e o dólar desacelere a alta mais tarde, avalia.

Machado Neto afirma que a cotação à vista mais alta que a do contrato de janeiro de 2021 volta a deixar a taxa do dólar casado negativa e o BC pode entrar com injeção de liquidez via linha. "Ainda assim, se não acalmar, o BC poderá entrar com oferta extra de swap, além dos US$ 800 milhões diários em dinheiro novo que vem sendo ofertados desde 10 de dezembro, totalizando em sete pregões, desde fim da rolagem de janeiro de swap, mais US$ 5,6 bilhões já vendidos em swap novos, fora a operação de hoje", calcula o gerente.

Com a demanda maior nesta reta final do ano, se o BC estava vigilante, hoje deve estar ainda mais, avalia. Na máxima, por volta das 9h30, o dólar à vista atingiu R$ 5,2236 (+2,77%). O dólar futuro de janeiro subiu até R$ 5,2230 (+2,40%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar sobe a R$ 5,22 com aversão a risco global


21/12/2020 | 09:45


O dólar renovou máxima na casa dos R$ 5,22 nesta segunda-feira, 21, acompanhando a moeda norte-americana forte no exterior, diz o gerente da mesa de derivativos financeiros da corretora Commcor, Cleber Alessie Machado Neto. "A mutação de covid-19 no Reino Unido pegou todos de surpresa e se sobrepõe a boa notícia do pacote de estímulos fiscais dos EUA, que é fator pró-risco e pode ser que as bolsas melhorem e o dólar desacelere a alta mais tarde, avalia.

Machado Neto afirma que a cotação à vista mais alta que a do contrato de janeiro de 2021 volta a deixar a taxa do dólar casado negativa e o BC pode entrar com injeção de liquidez via linha. "Ainda assim, se não acalmar, o BC poderá entrar com oferta extra de swap, além dos US$ 800 milhões diários em dinheiro novo que vem sendo ofertados desde 10 de dezembro, totalizando em sete pregões, desde fim da rolagem de janeiro de swap, mais US$ 5,6 bilhões já vendidos em swap novos, fora a operação de hoje", calcula o gerente.

Com a demanda maior nesta reta final do ano, se o BC estava vigilante, hoje deve estar ainda mais, avalia. Na máxima, por volta das 9h30, o dólar à vista atingiu R$ 5,2236 (+2,77%). O dólar futuro de janeiro subiu até R$ 5,2230 (+2,40%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;